sábado, 28 de março de 2020
FÉ E CRENÇA

Festa única, fama do Banho de São João corre o mundo

18 JUN 2017 - 11h00Por Sílvio Andrade
 

Se São João soubesse
Que hoje era seu dia
Descia do céu a terra
Com prazer e alegria

Considerada pelo Ministério do Turismo um dos cinco principais destinos de festejos juninos do Brasil, Corumbá se prepara para celebrar o famoso “banho” de São João, manifestação secular que ocorre na noite do dia 23 e se estende pela madrugada do 24 de junho, com a descida dos andores com a imagem do santo para o batismo no Rio Paraguai. A tradicional festa foi tombada pelo Estado como patrimônio imaterial e aguarda reconhecimento nacional como Patrimônio Cultural Imaterial.

Os festejos juninos se espalham pelo país com fortes ingredientes das culturas locais que misturam o profano e o sagrado e atraem milhares de pessoas, movimentando as cidades nos meses de junho e julho. É um pouco desse clima que o Ministério do Turismo começa a divulgar, a partir desta sexta-feira (2), os cinco destinos (Belo Horizonte-MG, Bragança-PA, Campina Grande-PB, Corumbá-MS e São Luis-MA) contemplados pelo projeto destinado à promoção e apoio à comercialização.

A multidão acompanha o ritual até o rio

O reconhecimento do Banho de São João como festejo junino gerador de fluxo turístico e apelo popular, pelo Ministério do Turismo, dará visibilidade a uma das maiores festas populares do Brasil. Também significa apoio financeiro para divulgação nas diferentes plataformas de mídias, com a presença de jornalistas e influenciadores digitais, e ainda sua inclusão no calendário nacional. Nesse vácuo, a prefeitura local quer transformar o São João em um produto turístico capaz de gerar fluxo de visitantes nacionais e estrangeiros nos destinos nacionais que investem nestes eventos, e atrair patrocinadores.

“O Ministério do Turismo estará divulgando o São João em todos os eventos nacionais e internacionais que participar, valorizando não apenas nosso destino, mas os aspectos culturais, naturais e históricos”, aponta Marju Venturini, diretora-presidente da Fundação de Turismo do Pantanal. “Vamos realizar  uma festa ainda mais expressiva para que, com esse canal de comunicação aberto, Corumbá seja incluída, definitivamente, no circuito das maiores manifestações populares”, comemora Luiz Mário Cambará, diretor-presidente da Fundação de Cultura.

Fé e crença

Com a aproximação da celebração, em todos os cantos da cidade, Corumbá, localizada no Pantanal de Mato Grosso do Sul, é festa, é crença, é devoção, é tradição. Um dos pontos altos é a Lavagem do santo, nas águas do Rio Paraguai, dia em que os festeiros descem a ladeira Cunha e Cruz. Os festeiros, que são mais de 100, também abrem suas casas para a festa do Arraial do Banho de São João. Os festejos se iniciam no dia 21 de junho, mas as casas de rezas se preparam o ano todo para o “banho”, onde paga-se promessas por uma graça alcançada – fé que perpetua o ritual.

O São João Pantaneiro envolve toda a cidade e chegou a ser proibido pela igreja, em meados do século passado, provavelmente pela sua característica sacro profano, onde hoje se unem catolicismo, candomblé e umbanda. Na descida dos andores, misturam-se o canto da ladainha e o batuque em ritmo de frevo, onde os fieis dançam e se agitam segurança a vela acesa na mão, acompanhados por uma banda de sopro. Este é o diferencial da festa corumbaense dos demais arraiais pelo País.

Cururu

No dia 23, não existe ordem de descida dos andores, que se cruzam na Ladeira Cunha e Cruz, no habitual cumprimento. A prefeitura de Corumbá, que apoia a manifestação organizando uma praça de alimentação e promovendo atrações musicais, no Porto Geral, também participa com o seu andor, considerado oficial, onde participam os convidados. Nesse momento, ocorre a cerimônia de levantamento do mastro, com a participação dos cururueiros, que dançam e sapateiam em volta. A festa segue pela madrugada do dia 24.

Populares festejam o "banho", no retorno a casa do festeiro, entre a ladainha e o ritmo carnavalesco. Foto: Sílvio Andrade

Divulgação

No Calendário Nacional de Eventos, do Ministério do Turismo, existem 96 festejos distribuídos por 21 estados brasileiros de todas as regiões do país. Apenas na Região Centro-Oeste, gestores, organizadores e produtores de eventos cadastraram seis festejos: Mato Grosso do Sul (3), Mato Grosso (2) e Goiás (1). Além da divulgação em nível nacional, o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) tem promovido uma série de apresentações das festas de São João do Brasil na Europa, com intuito de diversificar a oferta turística em outros países.

Em Roma (Itália) foi registrado o maior público até o momento: 30 mil pessoas. Seguido de Lisboa (Portugal), com mais de 15 mil pessoas e Madri (Espanha) com cerca de 6 mil. Os estrangeiros se encantaram com apresentações musicais, vestimentas típicas, quadrilhas e a culinária da festa. O grupo esteve em Londres (Inglaterra), onde se apresentou na semana passada. O Reino Unido é o 8º maior emissor de turistas ao Brasil e o 3º entre os países europeus.

Atrações

Prefeitura realiza concurso dos andores

A prefeitura local anunciou duas atrações nacionais – Falamansa e a dupla sertaneja Edson e Hudson – e a participação de artistas regionais. O palco dos shows e outras atividades culturais, como a roda do cururu e do siriri, será montado na Rua Manoel Cavassa, no porto geral, onde estão sendo esperadas 10 mil pessoas por dia. No local, também vai funcionar uma praça de alimentação com comidas típicas da região, como sarravulho, quebra-torto e paçoca.

Com o tema “Onde a fé une, a alegria reina”, a manifestação que ganha visibilidade nacional com o apoio do Ministério do Turismo (Mtur), foi lançada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira. Ele destacou o fato de Corumbá ter sido selecionado entre os cinco maiores destinos indutores dos festejos juninos pelo Mtur, cuja conquista vai potencializar o turismo religioso e histórico da região, que tem a maior porção do Pantanal.

“Temos motivações especiais para celebrar com a comunidade o São João deste ano”, diz o prefeito. “O Ministério do Turismo passa a dar todo apoio para a divulgação dentro e fora do País da nossa festa, o que reforça também o processo de reconhecimento do ritual do banho como patrimônio imaterial nacional,  que está em fase final de apreciação pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)”, acrescentou Ruiter Cunha.

Mais informações: http://www.corumba.ms.gov.br/sao-joao/

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Pesque, solte e volte sempre!

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Tordinhos do entardecer

XICO GRAZIANO

Ecologistas precisam evoluir sobre turismo natural

FRANCISCO OLIVEIRA

Trabalho informal nos lixões: um risco à vida dos catadores