sexta, 21 de junho de 2024
ROTAS NEGRAS

Grupo interministerial se une para promover o afroturismo no Brasil

08 FEV 2024 - 10h25Por MTUR

Para promover a igualdade racial, valorizar a história, a memória e a cultura afro-brasileira, bem como impulsionar o desenvolvimento turístico no país, foi publicado o decreto que institui o Grupo de Trabalho Interinstitucional Rotas Negras. Em uma ação conjunta, o GT composto por representantes dos ministérios do Turismo, da Igualdade Racial (MIR) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) além de outros órgãos federais, busca reconhecer a importância da transversalidade das políticas públicas voltadas a pauta da população negra do país.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, ressaltou o passo importante dado com o Grupo de Trabalho. 

“Essa iniciativa é uma resposta afirmativa à necessidade de reconhecimento e preservação das contribuições fundamentais da cultura afro-brasileira para a identidade nacional, visando a construção de um setor turístico mais inclusivo e diversificado”, disse.
O Rotas Negras representa uma inovadora e abrangente iniciativa do Governo Federal para o desenvolvimento turístico, cujo principal propósito é promover e enaltecer a cultura afro do Brasil por meio da criação de roteiros turísticos envolvendo os entes federados aderentes ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir) e ao Mapa do Turismo.

Através da criação destes roteiros, o projeto busca destacar e celebrar as diversidades da cultura afro-brasileira, proporcionando uma experiência enriquecedora aos visitantes. Ao incorporar diferentes entes federados, o Rotas Negras estabelece uma conexão direta entre o desenvolvimento turístico e a promoção da igualdade racial, contribuindo para a valorização das comunidades afrodescendentes em todo o território nacional.

A iniciativa busca, também, gerar renda e empregos para as comunidades e territórios afro-brasileiros, além de enaltecer a rica cultura ligada as raízes negras, que serve como alicerce para inúmeros movimentos culturais existentes.

História viva

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco destacou o objetivo do programa que será elaborado no GTI.  "O Rotas Negras vem para fortalecer a cadeia produtiva do turismo, gerar emprego e renda e apresentar um Brasil rico, diverso e com muitas histórias que merecem ser contadas e conhecidas, com a valorização de pessoas que vivem nesses locais com dignidade e mantendo a viva a história e cultura negra nas cidades", diz.

Também farão parte do Grupo de Trabalho Interinstitucional representantes do Ministério da Cultura (MinC), do Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania (MDHC), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), do Instituto Brasileiro de Turismo (EmbraTur), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Fundação Cultural Palmares.

Com essas ações, o governo federal pretende não apenas corrigir desigualdades históricas, mas também fortalecer e diversificar as bases para um desenvolvimento mais inclusivo. Reconhecer e potencializar as contribuições dessas comunidades é essencial para construir um ambiente turístico mais igualitário, promissor e representativo para todos os envolvidos.

Consolidação

Em consonância a pauta racial, o Ministério do Turismo vem trabalhando ações afirmativas, quando, ainda em 2023, realizou o “Encontro: consolidação e promoção do Afroturismo”. Conectando atividades turísticas às raízes culturais afrodescendentes, o evento resultou no mapeamento das iniciativas e ações já iniciadas pelos participantes em decorrência do Encontro e já traz as perspectivas de planejamento, articulação de parcerias e mobilização para a realização do fórum ampliado sobre o tema em 2024.

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio a manchete: 'deputados de MS propõem audiência para solucionar queimadas'. Pantanal está salvo, graças a Deus!

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Lei do Pantanal: tirou o boi, fogaréu entrou!

MARIANA PONTES

Cerrado e Caatinga são patrimônios do Brasil e precisam ser protegidos

EDUARDO CRUZETTA

Um dia pelo Meio Ambiente, 300 anos pela pecuária conservando o Pantanal