quarta, 01 de fevereiro de 2023
DICA

Fogos de artifício: veterinário explica como proteger seu pet do barulho

Pânico pode trazer graves problemas para a saúde do seu bichinho de estimação

21 DEZ 2022 - 11h34Por REDAÇÃO

Para algumas pessoas a queima de fogos da virada do ano representa alegria e diversão, mas para os pets é sinônimo de medo, ansiedade e muito incômodo. A professora do curso de Medicina Veterinária da Uniderp (MS), Dina Regis Recaldes, explica que a audição apurada dos cães é um dos fatores que aumenta o medo diante de barulhos excessivos.
 
“Os cães escutam de 4 a 6 vezes mais alto que os humanos e barulhos como esses provocam pavor nos animais. Diante de sustos intensos, o organismo do animal reage liberando uma grande quantidade de catecolaminas, hormônio que desencadeia uma série de alterações fisiológicas, aumentando a frequência cardíaca dos pets e consequentemente a frequência respiratória; o que pode levar até a paradas cardíacas, dependendo do histórico clínico do pet”, alerta a veterinária.
 
O medo dos fogos atinge todos os animais, de modo geral. Mas a professora ressalta que os gatos conseguem controlar melhor esse incômodo.
 
Para amenizar os transtornos causados pelo barulho é importante que os tutores adotem alguns cuidados para preservar a saúde dos pets. O guardião deve se preparar emocionalmente para dar o suporte necessário para o pet e manter a calma.

Refugio seguro

Planejar com antecedência forneça ao seu cão um refúgio, um porto seguro. Escolha um dos cômodos mais silenciosos da sua casa onde seu pet se sinta no controle. treine seu cão para associar a área com experiências positivas, por exemplo, deixando seus brinquedos favoritos.

Com o tempo, os cães podem aprender que este lugar é seguro e agradável. É importante que seu cão tenha acesso a esse refúgio seguro o tempo todo - mesmo quando você não está em casa. Leve seu cão para o porto seguro todas as noites antes do início dos fogos de artifício.


 
Abaixo, a especialista lista dicas para o cuidado com o pet, na noite de réveillon:
 
Deixe o animal no cômodo da casa que tenha menos barulho;
Certifique-se de que não há rotas de fugas no cômodo que o pet estará para que ele não fuja;
Se possível, feche portas e janelas na hora da queima dos fogos;
Procure na internet um som relaxante ou ligue a TV com o volume alto com o intuito de abafar o barulho externo;
Se morar em apartamento, verifique se as telas de proteção estão seguras para evitar acidentes com o seu pet;
Utilize fones de ouvido ou protetores de orelha apropriados para pets. Eles podem ser comprados em clínicas veterinárias e em pet shops;
Faça companhia para o seu pet. Isso transmite segurança para ele
Consulte com o veterinário do seu pet sobre difusores de feromônio, podem ser uma boa opção para o seu cão. Eles dispersam produtos químicos calmantes na sala e. Em alguns casos mais graves, seu veterinário pode até prescrever medicamentos.
 
Sobre a Uniderp

Presente no estado do Mato Grosso do Sul, a Uniderp, fundada em 1974, presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio do Núcleo de Práticas Jurídicas e das Clínicas-Escola na área de Saúde, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Em 2014, a Uniderp passou a integrar a Kroton.
 
Sobre a Kroton Med

AKroton Med é a unidade de negócio da Kroton voltada para a Medicina. Criada em 2021, a Kroton Med possui mais de 3 mil alunos matriculados no curso de Medicina em 6 instituições de ensino superior: Unic, no Mato Grosso; Uniderp, no Mato Grosso do Sul; Unime Lauro de Freitas e Pitágoras Eunápolis, na Bahia; e Pitágoras Codó e Bacabal, no Maranhão.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte suas aventuras aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Quando morre um rio, morremos todos, pois somos parte da humanidade que necessita do ambiente equilibrado

Gilberto Mendes Sobrinho, juiz federal de MS, ao determinar a recuperação do Rio Taquari, em 2013

Vídeos

Parque Ecológico Rio Formoso

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Cerimônia de formatura no Pantanal

JOÃO GUILHERME SABINO OMETTO

Do discurso da COP 27 à prática do agro brasileiro

LARISSA LANDETE

Comunicar sustentabilidade precisa ser uma jornada