sábado, 16 de janeiro de 2021
BOA NOTÍCIA

Projeto privado salva arara-azul-de-lear no Norte da Bahia

21 JUN 2019 - 11h38Por REDAÇÃO

A Enel Green Power Brasil, subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, promoveu a soltura de seis aves da espécie arara-azul-de-lear na Região do Parque Nacional Boqueirão da Onça, no município de Campo Formoso, Norte da Bahia. Os animais viviam na fundação Loro Parque, de Tenerife, na Espanha, e foram doados em uma parceria do projeto com a instituição. As seis araras estão no meio ambiente desde janeiro e vêm sendo monitoradas por GPS por biólogos e pela equipe Disciplina Ambiental da companhia há três meses. 

Os primeiros resultados do monitoramento, realizado diariamente pela equipe de biólogos que acompanha as aves, comprovaram a plena adaptação dos animais ao meio. Os dados apurados estão de acordo com o que os especialistas esperavam inicialmente e apontam que as araras estão interagindo com os dois indivíduos selvagens da região e alcançando distâncias entre 10 a 15km do viveiro.

A arara-azul-de-lear é um dos tesouros da Caatinga do nordeste baiano. Típica da região, ela é também uma das espécies que se encontram à beira da extinção. Somente no Brasil, existem 1.260 aves desse tipo, sendo que na região do Boqueirão da Onça havia o registro de apenas dois exemplares. Segundo biólogos, por serem do mesmo sexo ou por estarem em idade avançada, os animais não se reproduziam, o que tornava a arara-azul-de-lear funcionalmente extinta na região. A expectativa é que, com a introdução das aves ao meio ambiente, em dois anos, a reprodução comece a acontecer, dando início ao repovoamento da espécie.

 “A população das araras é considerada funcionalmente extinta na região do Parque Nacional Boqueirão da Onça. Por meio desta ação pioneira da Enel Green Power, de soltura monitorada das seis aves nascidas em cativeiro, uma espécie tão importante para a biodiversidade brasileira está sendo reintegrada ao seu habitat natural. Iniciamos o processo com seis exemplares e acreditamos que, para um repovoamento de forma saudável, novos indivíduos oriundos de famílias distintas possam passar pelo processo de aprendizagem no viveiro e serem soltos na natureza, aumentando a viabilidade de manutenção da população por longo tempo” explica Valeria Ladeira, Coordenadora de Meio Ambiente da Enel Green Power Brasil.

A soltura das araras

Desde 2016, a Enel Green Power desenvolve na região próxima ao Complexo Eólico Delfina o Projeto de Monitoramento da arara-azul-de-lear e, em maio de 2018, deu início a etapa de testes de uma nova tecnologia de rastreamento de aves por GPS. Essa metodologia permite o acompanhamento da movimentação, dispersão, locais preferidos para alimentação e uso do habitat natural dos animais, possibilitando o maior entendimento sobre os hábitos da espécie, e principais locais que devem ser protegidos.

As araras vindas da Espanha foram alocadas em um viveiro construído pela Enel e passaram por um processo de adaptação aplicado pelos maiores especialistas do país nessa espécie de arara. Durante o período, elas foram alimentadas com frutos locais e se adequaram ao clima brasileiro. Além disso, por serem criaturas muito dóceis e facilmente capturadas, as aves foram distanciadas de humanos, como forma de estimular o instinto de proteção.

Em janeiro, as grades do viveiro foram abertas e as araras deram início ao processo de reintegração ao habitat natural. Aos poucos, as aves ganharam confiança e passaram a viver no ambiente ao qual pertencem. Com isso, o trabalho de monitoramento teve início e novos dados foram registrados para que o processo de adaptação possa ser acompanhado e os estudos desenvolvidos a fim de que o trabalho tenha sequência. Além disso, o viveiro construído pela Enel continuará no local, servindo como espaço permanente para soltura de aves.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Barco-hotel Vip: pesca no Pantanal

Mais Vídeos

Eco Debate

ORLANDO DE SOUZA

A real paz de que o Turismo precisa

CAIO PENIDO

Os Serviços Ambientais e o Pacto AgroAmbiental

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pertencimento é pertencer ao Pantanal!