sexta, 19 de julho de 2024
AMBIENTE

Pantanal encerra mais um ciclo de cheia normal

08 JUL 2017 - 10h44Por Sílvio Andrade

Previsões da Embrapa Pantanal e da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), do Ministério das Minas e Energia, foram confirmadas: o pico máximo do Rio Paraguai na régua de Ladário, principal referência das mudanças hidrológicas na bacia, ocorreu no fim de junho e o Pantanal passou por mais um período de cheia, desta vez normal – isto é, abaixo do nível de cinco metros.

Apesar das águas baixas, no sentido de o transbordamento do Paraguai e seus tributários não ter provocado fortes alagamentos, este é um período ideal para se conhecer o Pantanal. As lagoas, baías e corixos estão fartos de alimentos e atraem grandes concentrações de aves e animais. Um passeio de barco também revela belas paisagens e a floração dos ipês.

O nível máximo do Paraguai em Ladário ocorreu no dia 30 de junho, com 4,80 metros, sinalizando que começou a vazão lenta na planície. No alto da bacia, em Cáceres (MT), o rio já baixou mais de três metros e logo dificultará a navegação – é o ciclo normal das águas nessa região.

Agora, as águas descem para o Sul, rumo a Porto Murtinho, fronteira com o Paraguai, onde a cheia também será passageira e normal. Previsão de o rio, hoje com 5,14 metros (mesmo nível registrado no ano passado nesse período) entrar em queda no fim do mês.

Por conta dessa dinâmica, a Defesa Civil de Corumbá emitiu boletim de cessação de alerta de risco de inundação gradual do Rio Paraguai.

O Rio Paraguai atingiu seu ponto máximo no dia 30 de junho, chegando a 4,8 metros de altura. Na data de 23 de maio, quando atingiu os 4 metros, a Defesa Civil emitiu Boletim de Alerta a fim de deixar os ribeirinhos e produtores rurais cientes dos riscos da cheia. No entanto, depois de 30 de junho, foram feitas avaliações nos dias seguintes e constatado que o nível da água começou a declinar.

“Com isso, as pessoas que têm atividade econômica ao longo do Rio Paraguai e os próprios ribeirinhos podem agora fazer uma reprogramação de suas atividades. O boletim cessa a preocupação dessa população que agora pode aguardar as condições de normalidade da água”, disse o tenente Isaque do Nascimento, coordenador.

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio na mídia: "Bugio expressa ternura ao ver a irmã com o sobrinho no Pantanal..." É muita masturbação.

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

MARCO MORAES

Não confunda sustentabilidade com ideologia

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Fogo Classe P de Pantanal

HEITOR RODRIGUES FREIRE

Um Caminho