quinta, 21 de janeiro de 2021
PATRIMÔNIO

MTur defende candidaturas de Paraty e Bumba Meu Boi

21 JUN 2019 - 11h58Por REDAÇÃO

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, participou de três reuniões na sede da Unesco, em Paris. Lá, tratou do apoio institucional do Governo Federal às candidaturas de Paraty (RJ) e do Bumba meu boi (MA), além de cidades brasileiras que disputam duas vagas na Rede de Cidades Criativas.

Cada uma das candidaturas disputa títulos distintos. A de Paraty é para se tornar Patrimônio Mundial misto de Cultura e Biodiversidade, e será analisada no próximo mês de julho em Baku, no Azerbaijão, quando se reúne o Comitê do Patrimônio Mundial.

O comitê é formado por 21 membros e tem na sua vice-presidência a embaixadora do Brasil junto à Unesco, Maria Edileuza Fontenele Reis. “A candidatura de Paraty dispõe de todos os sinais positivos”, afirmou a embaixadora, que acompanhou a visita do ministro do Turismo à entidade.

Já a diretora do Centro do Patrimônio Mundial da Unesco, a alemã Mechtild Rossler, disse ao ministro que a candidatura de Paraty foi muito bem construída e que acredita que será referendada em Baku.

“Essa expectativa nos traz muita esperança de que o Brasil, neste novo momento, certamente potencialize – e muito – nossa cultura, a valorização das nossas tradições e também trazendo um novo momento para o turismo brasileiro”, destacou Marcelo Álvaro Antônio.


Ministro Marcelo Álvaro com a diretora do Centro do Patrimônio Mundial da Unesco, Mechtild Rossler. Foto: Mtur

Título inédito

Com o título, Paraty poderá ser a primeira região brasileira reconhecida por dois fatores (cultural e natural). Atualmente, o Brasil dispõe de 14 sítios na lista do patrimônio cultural mundial e outros sete na lista de patrimônio natural mundial.

Segundo o ministro, o turismo de Paraty – e da região, que abrange ainda Angra dos Reis (RJ) e Ubatuba (SP) – tem muito a ganhar com o reconhecimento da Unesco. “Demonstramos aqui que podemos ter o engajamento do setor turístico num monumento natural e cultural sem que haja degradação da natureza. Queremos um turismo responsável, sustentável e que valorize a chamada economia criativa. Paraty é uma síntese de tudo isso”, elogiou.

O ministro apresentou dados sobre o panorama do turismo no Brasil e lembrou que o país é o número um em riquezas naturais e o 8º em bens culturais, dentre todas as nações do mundo.

A diretora da Unesco sugeriu que Paraty faça um plano de manejo e de sustentabilidade que considere o impacto que o aumento turístico pode ter na região com o iminente título de patrimônio. Tudo para evitar problemas futuros, como o aumento exponencial no número de visitantes.

Atualmente, Paraty sedia a Flip (Feira Literária de Paraty), um dos maiores e mais dinâmicos festivais de literatura do mundo. A cidade também já tem o título de Cidade Criativa, concedido pela Unesco, por sua gastronomia.

“A cada dólar investido, temos retorno de 20 vezes para a economia local”, destacou o ministro Marcelo Álvaro Antônio, reforçando a importância da atividade turística como mola propulsora da retomada da economia proposta pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Bumba Meu Boi

A candidatura do Complexo Cultural do Bumba meu Boi do Maranhão como Patrimônio Cultural Imaterial será analisada pela Unesco em dezembro, em reunião em Bogotá, na Colômbia. A defesa da candidatura foi feita pelo ministro do Turismo junto ao secretário Tim Curtis, que responde pelo setor na entidade.

Após apresentar um vídeo com uma síntese da riqueza e da sonoridade do boi ao secretário, o ministro enfatizou que a diversidade cultural do Brasil é um ativo turístico importante e que seu potencial pode e deve ser explorado pelo setor de forma ainda mais ampla.

A festa do Bumba meu Boi ocorre em junho, no Maranhão, no período das festas juninas. Ela reúne milhares de turistas e, com a possibilidade de ser reconhecido como bem cultural imaterial pela Unesco, passará a ter sua visibilidade mundial acentuada.

O secretário Tim Curtis disse que o Brasil tem grande experiência no preparo de dossiês de patrimônios imateriais e que a defesa do Bumba meu Boi contempla e atende todos os requisitos necessários. Por isso, ele vê como grande a possibilidade de o Maranhão obter o título no fim do ano.

Atualmente são sete os elementos brasileiros na lista de Patrimônio Cultural Imaterial: Roda de capoeira, Círio de Nazaré (PA), frevo do carnaval de Recife (PE), samba de roda do Recôncavo Baiano (BA), expressões orais e gráficas dos povos Wajãpi, Yaõka, ritual do povo Wnawane Nawe para manutenção da ordem cósmica e o museu vivo do fandango.

A embaixadora do Brasil junto à Unesco, Maria Edileuza Fontelene Reis, defende que as próximas candidaturas sejam a da Bossa Nova e a do Choro, ritmos brasileiros reconhecidos internacionalmente.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio apoiou as futuras candidaturas e ainda lembrou do presidente Juscelino Kubitschek, conhecido como o “presidente da bossa nova”, ressaltando que as inscrições podem trazer reflexos positivos para a promoção turística do Brasil.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Barco-hotel Vip: pesca no Pantanal

Mais Vídeos

Eco Debate

ORLANDO DE SOUZA

A real paz de que o Turismo precisa

CAIO PENIDO

Os Serviços Ambientais e o Pacto AgroAmbiental

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pertencimento é pertencer ao Pantanal!