sexta, 24 de maio de 2024
BRASILEIRÃO

FUTEBOL DÁ EXEMPLO E COMPENSA A EMISSÃO DE CARBONO DOS VOOS

Serão percorridos mais de 683 mil km com projeção de neutralizar 4.000 toneladas de CO2eq

18 SET 2023 - 18h14Por REDAÇÃO

Todos sabem que o nosso Brasileirão é reconhecido como o maior e um dos mais difíceis campeonatos nacionais, com muitos jogos e viagens aéreas de milhares de quilômetros. Com o objetivo de minimizar o impacto das emissões de gases de efeito estufa durante o deslocamento aéreo das equipes da Série A do Brasileirão, CBF, Gol Linhas Aéreas e Grupo Águia, contando com o suporte técnico da Moss, firmaram parceria inédita para oferecer uma solução de compensação de CO2 que beneficia projetos de conservação da floresta Amazônica.

Desde o início do torneio, em abril, clubes que realizam suas viagens exclusivamente pelo Grupo Águia com deslocamentos aéreos feitos pela Gol já estão compensando as emissões do dióxido de carbono (CO2). Até 3 de dezembro, data da última rodada do Brasileirão, serão percorridos mais de 683 mil km, o que projeta uma compensação de 4 mil toneladas de CO2eq emitidos nas rotas de ida e volta do campeonato. Juntos, Grupo Águia e Gol reforçam sua atuação no controle das emissões de carbono.

Iniciada em junho de 2021, a compensação de emissões dos voos da Gol neutralizou, até agosto de 2023, 15,4 mil toneladas de CO2eq de maneira voluntária pelos clientes, nas rotas carbono neutro da GOL (Recife-Fernando de Noronha e Congonhas-Bonito) e em ações pontuais. O valor compensando equivale a 3.856 hectares preservados por um ano ou 2.217.562 árvores preservadas por um ano — ou ainda à manutenção de 4.674 campos de futebol padrão FIFA de natureza nativa.

Futebol e turismo

“Gol e CBF são parceiras há 10 anos e essa iniciativa, em conjunto com Grupo Águia e Moss, abre novas perspectivas sustentáveis para as viagens das equipes do Brasileirão. Além disso, reforça o compromisso da companhia com a preservação do meio ambiente e com o desenvolvimento do esporte. Esperamos que esse exemplo chegue a mais clubes e associações, engajando outras empresas brasileiras a também realizarem suas viagens neutralizando a pegada de carbono”, afirma Renzo Mello, diretor de Canais de Vendas da companhia aérea.

 

Já o Grupo Águia, hub com empresas em diferentes áreas do turismo e responsável pela logística de vários clubes da Série A do Brasileirão há mais de 30 anos, tem escritórios carbono neutro desde 2021 e uma meta ambiciosa de neutralizar 50% das emissões de suas operações ainda este ano e 100% até 2025. A presente parceria é mais um passo para que esse objetivo seja atingido.

Em 2010, foi criado o projeto Águia Verde, focado no restauro florestal da Mata Atlântica como resposta aos deslocamentos feitos pela equipe operacional responsável pela torcida brasileira para a Copa da África do Sul. 

“Desde então, os clientes do grupo também têm a possibilidade de contribuir com o plantio de mudas de árvores em um dos biomas mais ricos do mundo, dando destinos ainda melhores às suas viagens”, destaca Thiago Abrahão, CEO do Grupo Águia. Segundo ele, usar o turismo e o futebol como plataformas para estimular e ampliar práticas de impacto positivo em clientes e parceiros é o verdadeiro gol de placa dessa ação.

Mais engajamento

O projeto do Brasileirão se tornou realidade com a tecnologia desenvolvida pela Moss, que facilita o processo de neutralização das emissões de gases de efeito estufa possibilitando a compensação de cada trecho voado. Por exemplo, um voo de ponte aérea emite cerca de 0,07 toneladas de CO2eq por passageiro e a compensação se dá por um acréscimo de, aproximadamente, R$5,53 (ida e volta) na compra do bilhete direto no check-in da GOL. A cada trecho, o cliente recebe um certificado de neutralização e de apoio a projetos de conservação da floresta Amazônica.

“Todos nós sabemos da influência que os times de futebol têm na vida dos brasileiros. Essa iniciativa colabora diretamente com a conscientização da população que poderá perceber a compensação de CO2 como um ato simples, porém de alto impacto”, comenta o CEO da Moss, Luis Adaime.

Os créditos usados na compensação dos voos seguem os padrões de certificação internacional VCS (Verified Carbon Standard). E para garantir uma camada extra de segurança nas transações, a Moss utiliza o token MCO2 que torna cada crédito único, rastreável e muito mais seguro com todas as transações registradas em blockchain.

A parceria entre Grupo Águia, Gol, CBF e Moss mostra como a compra e a compensação por meio de créditos de carbono são atitudes simples e acessíveis, agregando valor também para os times de futebol envolvidos, uma vez que são exemplos concretos. No fim, o meio ambiente é o grande vencedor dessa partida.

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O meio ambientalismo nunca preocupou-se com o meio ambiente. Suas ações são histéricas ou fanáticas em defender interesses inconfessos

Armando Arruda Lacerda, pantaneiro

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

PAULO DE GODOY

Os desafios da sustentabilidade da jornada de dados para IA

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pantaneiros informam: respeitar não é idolatrar animais

FREDERICO BUSSINGER

Água, chuvas, enchentes: Lições aprendidas e a aprender