quinta, 15 de abril de 2021
RIO DE JANEIRO

Cais do Valongo recebe título de Patrimônio Mundial

11 JUL 2017 - 22h10Por Redação

O Brasil acaba de ganhar mais um título de Patrimônio Mundial da Unesco. O Sítio Arqueológico Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, faz parte dos novos atrativos turísticos, históricos e culturais da cidade localizados na região conhecida como Porto Maravilha.

A área foi revitalizada para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O local integra o Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana, que estabelece marcos da cultura afro-brasileira na Região Portuária, ao lado do Jardim Suspenso do Valongo, Largo do Depósito, Pedra do Sal, Centro Cultural José Bonifácio e Cemitério dos Pretos Novos.

O Cais do Valongo é o mais destacado vestígio do tráfico negreiro no continente americano. O título de patrimônio da humanidade representa o reconhecimento de um período marcante da história da humanidade. O local, que estava encoberto por outras obras do antigo porto, é o maior símbolo material da escravidão no Brasil.

Reconhecimento

O reconhecimento da Unesco coloca o Cais do Valongo no mesmo patamar de Hiroshima, no Japão, e do Campo de Concentração de Auschwitz, na Polônia, classificados como locais de memória e sofrimento da humanidade, ambos da II Guerra Mundial. Os países membros da UNESCO também reconheceram o valor universal e excepcional do Cais do Valongo como exemplo da violência contra a humanidade representada pela escravidão. Ao mesmo tempo, o local é símbolo de resistência, liberdade e afirmação dos negros do Brasil e do mundo.

História

 A partir de 1774, o desembarque de escravos no Rio foi concentrado na Praia do Valongo, com mercado de escravos, casas de comércio, um cemitério e um lazareto. Com a chegada da família real portuguesa ao Brasil, em 1808, o tráfico havia se intensificado e as ruínas atuais resultam das obras realizadas a partir de 1811. O tráfico foi desativado por pressão da Inglaterra em 1831. A “lei para Inglês ver” não teria sido cumprida e o tráfico continuou até 1850. Já a escravidão só foi abolida 30 anos depois.

Em 1843, o Cais do Valongo foi aterrado para receber a Princesa Teresa Cristina, esposa do Imperador Dom Pedro II. O Cais da Imperatriz também havia sido aterrado, em 1911. Durante as obras do Porto Maravilha, 100 anos depois, nas escavações realizadas no local, em 2011, foram encontrados milhares de objetos e outras peças usadas em rituais religiosos.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Bonito Seguro - Pronto para te receber!

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa