segunda, 05 de dezembro de 2022
PESQUISA

América Latina recicla apenas 3% do lixo eletrônico

16 NOV 2022 - 15h10Por Silvio de Andrade

Apenas 3% do lixo eletrônico produzido na América Latina é descartado corretamente e o restante, 97%, não é monitorado, embora possa conter materiais de alto valor, como ouro e metais, que poderiam ser recuperados, segundo pesquisa da Organização das Nações Unidas (ONU). O estudo aponta desperdício de US$ 1,7 bilhão ao ano, além dos danos ao meio ambiente. O Brasil é o quinto maior produtor mundial de lixo eletrônico e deve descartar mais de 2,5 milhões de toneladas este ano.
 
Ampliar a utilização desse resíduo e promover impactos positivos ao meio ambiente é a proposta da parceria entre a empresa GM&C, especializada em logística reversa e reciclagem de equipamentos eletroeletrônicos, e o Movimento Circular. A união de esforços das duas organizações vai proporcionar novas ideias e projetos com potencial grande de engajamento e multiplicação dos conceitos da economia circular.
 
Segundo o coordenador da GM&C, Henrique Mendes, através da parceria, a empresa se propõe a difundir conteúdo sobre economia circular nos seus canais de comunicação, abrir espaços para abordar o conteúdo em eventos que participa ou promove, realizar palestras, workshops e cursos para os stakeholders. A integração vai permitir ainda ampliar o alcance do Movimento Circular, engajando novos potenciais parceiros.
 
A adesão da GM&C ao Movimento Circular foi oficializada no dia 3 do mês passado e representa o compromisso em promover a mudança da percepção das pessoas em relação ao chamado lixo eletrônico. “Em nosso modo de enxergar, eletrônicos usados não são lixo, pelo contrário, são recursos em potencial que precisam ser recuperados. A razão da GM&C existir é justamente acabar com o conceito de lixo eletrônico, recuperando ao máximo os recursos presentes nesses resíduos”, afirma Mendes.
 
Sem desperdícios
 
O Movimento Circular é uma iniciativa multissetorial que reúne pessoas e organizações empenhadas na transição da economia linear para a economia circular, através da educação e da cultura. A proposta é divulgar o conhecimento sobre a economia circular, incentivando o desenvolvimento sustentável de novos processos, produtos e atitudes para um mundo sem desperdícios.
 
Mais do que alternativa, a economia circular é o único caminho sustentável para as empresas, as pessoas e o planeta. O professor e pesquisador em economia circular Daniel Guzzo, embaixador educacional do Movimento Circular, explica que o desafio é criar produtos e ideias sustentáveis que tenham o poder de engajar a maior parte das pessoas com a rapidez necessária.
 
“Chegamos a um ponto em que temos que escalar os conceitos que estamos desenvolvendo para fazer toda a jornada de inovação chegar até as grandes empresas e sair do lugar de nicho. Temos que alcançar a maioria das pessoas ou não haverá tempo suficiente para a mudança”, diz Guzzo.
 
Recursos finitos
 
Em um mundo de recursos finitos e cada vez mais escassos, a GM&C é especializada em logística reversa e reciclagem de equipamentos eletroeletrônicos. A empresa investe em pesquisa, inovação e tecnologia para seguir liderando o setor da reciclagem de eletroeletrônicos no Brasil.
 
Em 2021, a GM&C reciclou 4,3 mil toneladas de eletrônicos e espera chegar à marca de 7 mil toneladas neste ano. Só no mês passado, a empresa reciclou mais de 760 toneladas. Com os novos investimentos em máquinas feitos neste ano, a companhia atingiu a capacidade de processar 30 mil toneladas de resíduos eletrônicos ao ano.
 
A recuperação de diversos tipos de materiais é obtida na separação automática dos resíduos dos eletrônicos, como plástico, ferro, alumínio, cobre, vidro e outros metais não ferrosos, entre eles ouro e prata, em menores proporções. A matéria-prima gerada nos processos é encaminhada para parceiros especializados, que transformam os resíduos em novos produtos, cumprindo com o ciclo da economia circular.
 
O plástico, por exemplo, sai da fábrica da GM&C em qualidade ideal para ser transformado em matéria-prima novamente e pode ser usado para produzir qualquer outra peça ou produto. Já o ferro é transformado em aço novamente. “Importante destacar que o aço é um material infinitamente reciclável e cada tonelada de sucata reciclada evita a emissão de 1,5 toneladas de gás carbônico no ambiente. Este aço pode ser então usado na construção civil”, comenta o coordenador da GM&C.
 

Leia Também

Relatos de viagem

Conte suas aventuras aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Nos dias de hoje, o pantaneiro é um ser que hesita entre o apego às tradições do passado e o apelo às inovações do mundo presente

Albana Xavier Nogueira, professora e escritora

Vídeos

Conheça a Reserva da Biosfera do Pantanal

Mais Vídeos

Eco Debate

MÔNICA SCHIMENES

COP 27: mais do que promessas, precisamos de ações

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pao, pão e pon sotaques do rio acima e rio abaixo

MARK DIKSON

COP27 reconhece o valor do trabalho híbrido para o futuro do planeta