quarta, 21 de fevereiro de 2024
EM MADRI

Brasil reafirma compromisso de desenvolver o turismo sustentável

23 JAN 2024 - 19h08Por MTUR

O Brasil esteve presente na XXVII Conferência Ibero-americana de Ministros e Empresários do Turismo (CIMET), que aconteceu no dia 23 de janeiro em Madri, na Espanha. Com o tema “Sustentabilidade na interiorização da empresa turística espanhola da Ibero-América”, o evento abriu as atividades da 44ª edição da Feira Internacional de Turismo (Fitur), a principal feira do mercado ibero-americano, organizada pela IFEMA (Instituição de Feiras de Madri).

A CIMET reuniu ministros e autoridades de turismo do Brasil, México, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Cuba, Nicarágua e Guatemala. O espaço foi uma oportunidade de os países apresentarem incentivos e planos de desenvolvimento para suas respectivas áreas turísticas, com o objetivo de atrair investimentos dos empresários espanhóis para a América Latina.

Para a Fitur, o Brasil levou uma série de atrativos nacionais para apresentar aos possíveis novos investidores espanhóis. No “Informe/Guia”, o MTur destaca os avanços para melhorar o ambiente de negócios no país e o sistema tributário brasileiro, além do desenvolvimento de ações para promoção do turismo, com o objetivo de garantir novas oportunidades para investidores nacionais e estrangeiros.

Representando o ministro Celso Sabino, a Secretária Executiva do MTur, Ana Carla Lopes, enfatizou que o Ministério do Turismo trabalha para incentivar a atividade turística alinhando sustentabilidade, necessidades das comunidades locais e as metas estabelecidas pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). 

Valorizar a cultura

“Um destino turístico para ser sustentável, precisa desenvolver a atividade turística de forma a atender não só às necessidades dos turistas, mas, principalmente, respeitar e atender às necessidades socioeconômicas das comunidades locais. Ao mesmo tempo, deve ser um instrumento de valorização cultural e de conservação ambiental”, defendeu.

Ao finalizar o discurso, a secretária do MTur lembrou que, ao ocupar a presidência do G20 -cuja Cúpula de Líderes acontecerá em novembro no Rio de Janeiro e sediar a COP 30 -, que será realizada no ano que vem em Belém (PA), o Brasil assume o compromisso de desenvolver a atividade turística atento não só às questões ambientais, inclusive com ações de apoio à regeneração do meio ambiente, como também as de cunho econômico e social. 

“O turismo deve ser uma atividade que contribua para eficiência econômica das comunidades receptoras, com o apoio à economia local, observando a justiça e a equidade social, respeito à cultura local e a prudência ecológica”, finalizou.

A Espanha ocupa o sexto lugar no ranking dos países que mais enviam turistas ao Brasil. Em 2023, foram mais de 114 mil visitantes espanhóis, e a previsão para este ano, segundo estimativas do Global Data, é de 150.750 turistas da Espanha em terras brasileiras.

‘South América’

A Feira Internacional de Turismo é o 1º encontro global de turismo do ano e a principal feira do mercado ibero-americano, organizada pela IFEMA (Instituição de Feiras de Madri). Reúne 8,5 mil expositores, 136 mil profissionais e tem público estimado de 86 mil visitantes, com um impacto econômico de 330 milhões de euros.

O Brasil reunirá na FITUR deste ano vários dos principais representantes do turismo nacional - empresas, destinos, Embratur e prestadores de serviços. O evento é uma das maiores feiras de Turismo do mundo, e acontece de 24 a 28 de janeiro. O estande brasileiro conta com 308m², 32 coexpositores e vai promover a gastronomia nacional, além de expor a caipirinha e cafés especiais.

Outra novidade será o lançamento da marca “Visit South America” que reúne Brasil, Chile, Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai, com o objetivo de fortalecer, no cenário internacional, a região como destino turístico. Serão trabalhadas cinco rotas: Caminho dos Jesuitas (Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai); Rota da Patagônia (Argentina e Chile); Rota da Puna (Argentina, Bolívia e Chile); Rota do Vinho e dos Andes (Argentina, Chile e Uruguai); e Rota da Selva (Brasil, Argentina e Paraguai).

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O fogo tem devastado as unidades de conservação do Pantanal, porém as Ongs culpam os vizinhos pantaneiros. E ai MP?

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

Esportes radicais: calendário de 2024

Mais Vídeos

Eco Debate

ZECA CAMARGO

Dentro da Terra, dentro de mim

Silvio de Andrade

Desembaraçando pantaneiros dos antropizadores 

AFONSO CELSO VANONI DE CASTRO

"Ameaças são naturais, desastres não"