segunda, 19 de abril de 2021
DIÁRIO DE BORDO II

Primeiro dia na Ruta 40: rípio, pneu furado e muitas belezas

29 NOV 2019 - 08h20Por SÍLVIO DE ANDRADE

Dorianey Peres, um dos quatro motociclistas que caíram na estrada para realizar o Desafio Ruta 40, relata as extremas dificuldades e o cansaço para atravessar a mítica estrada argentina, do Norte ao Sul, rodando 5.224 km.

O grupo venceu o primeiro dia do desafio e nesta sexta-feira (29) saíram de Susques em direção a Cachí, São mais 280 km, enfrentando muito rípio pelo caminho. Dori, 50 anos, de Campo Grande (MS), realiza a aventura ao lado de Dilter Rigolon, 64, também a capital sul-mato-grossense; Raul Dalmarco Filho, 55, de Blumenau (SC), e Luiz Gil Veiga Pereira, 58, de Curitiba (PR).

Eles pretendem chegar em Cabo Vírgenes, no extremo sul argentino, encerrando o desafio no dia 18 de dezembro. Vamos a mais um relato de Dori para LUGARES:

Iniciamos o trajeto do dia 28 com a meta de chegar a Susques. Saímos de La Quiaca às 7h30 com o frio de 8°. Esse é o trecho que não conseguimos muita informação das condições da Ruta 40. Sabíamos apenas que seria de grandes dificuldades, nesse ponto todos eram unânimes. Logo de saída já nos deparamos com o tão temido rípio... Começara nossa saga do dia.

Dori fotografa os amigos da longa aventura

A Ruta 40 apresentava sua diversidade mais bruta nesse dia. Trecho rústico, quase sem sinalização, muita poeira, rípio escorregadio, o calor mostrava que o dia seria longo... Mas, também, ficava evidente suas belezas ainda natural onde o homem não havia modificado.


Chegando em Santa Catalina encontramos um grande grupo de motociclista argentinos, talvez uns 12, com três carros de apoio, pois iam fazer apenas parte da Ruta 40, uns 15%, e nos perguntaram: "Farão toda Ruta 40? Sem carro de apoio"? Víamos em seus semblantes tanta surpresa! O local é apenas um pequeno povoado, assim como todos os demais que passamos nesse dia.
Seguimos, pois teríamos a meta de rodar 330km, em 8h. Mas, a Ruta 40 tem suas surpresas, e mostrava que é necessário acima de tudo respeito aos que se atrevem a atravessar esses recantos rústicos de sua longa jornada.

Pneu furado no trecho mais crítico: cautela!

Tivemos um incidente quando uma das motos se perdeu em uma das suas fechadas, estreitas e repentinas curvas, caindo no barranco. Graças a Deus, sem maiores problemas... Acordamos, então! o sonho da viagem precisava ser acordado, atento e respeitoso, assim exige a senhora Ruta 40.

Alguns quilômetros à frente, minha moto apresenta informação de alerta no painel... tínhamos um pneu furado. No meio do nada... Um pneu furado. Bem, usamos do que tínhamos. Fizemos um reparo emergencial, o que nos levou quase uma hora, e seguimos, com mais cuidado e lento, pois o pneu apresenta riscos.  Seguimos!

Parada para contemplar os paredões e respirar...

O resto foi só espetáculo da natureza. Atravessamos por um leito de um rio, que nessa época está seco, por 11 km. Imagem impressionante dos paredões que nos acompanhavam no leito com pedras soltas, areia, etc. Mesmo com pequenos reparos feito com máquinas que percebemos, para que fosse possível o tráfego por esse trecho da Ruta 40.

Escreva a legenda aqui

Por várias vezes atravessamos riachos. Grandes cadeias de montanhas com suas paredes multicoloridas... e o rípio escorregadio. rsrs.

Chegamos em Susques às 17h30. Dez horas de viagem... exaustos, muito cansados, com poucas forças devido ao grande esforço do dia...

E em nossa mente, pensávamos olhando para as nossas vestes empoeiradas: "conseguimos!". O sorriso de canto, o olhar cansado, a lembrança de casa... tudo isso nos dizia: é apenas o começo!

Forte abraço.
Vamos seguindo com Deus!

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Programa Pesca & Amizade, com Marun

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa