quinta, 17 de janeiro de 2019
MATA ATLÂNTICA

Estudo identifica novas áreas de vegetação natural

08 JAN 2019 - 09h34Por REDAÇÃO

A Mata Atlântica é o bioma mais devastado no Brasil, devido à urbanização, à industrialização e à expansão agrícola. De acordo com os levantamentos do  SOS Mata Atlântica junto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apenas 16% da vegetação nativa não havia sido destruída, abrigando cerca de 23 mil espécies.

Entretanto, um estudo recente da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS) identificou novos trechos do bioma, ampliando essa porcentagem. Com base em imagens de alta resolução do satélite RapidEye e com a adoção de novas técnicas de detecção de fragmentos florestais, os pesquisadores descobriram que a Mata Atlântica brasileira possui 28% de cobertura vegetal nativa, que é aproximadamente o dobro das estimativas anteriores.

O estudo, publicado no periódico científico Perspectives in Ecology and Conservation, que conta com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, revela que o bioma se estende por 32 milhões de hectares ao longo da costa do país, passando por 17 estados. A floresta abriga 125 milhões de brasileiros e as atividades realizadas no local são responsáveis por 70% do PIB do País.

Área protegida da Mata Atlântica. Foto: Haroldo Palo Jr.

Cumprir a lei

O doutor em Ecologia Jean Paul Metzger, participante do estudo, afirma que a Mata Atlântica traz muitos benefícios ao país, por assegurar a provisão de água, amenizar os efeitos das mudanças climáticas e melhorar a qualidade do ar. Membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, ele ressalta que, apesar de a área de vegetação nativa ser maior do que se imaginava, o cenário ainda é preocupante.

“A porção de floresta identificada está muito degradada e precisa de estratégias de conservação urgentes. O estudo serviu para mapear essas frestas que não eram mapeadas anteriormente, o que é importante para estabelecer estratégias de conservação e restauração de forma mais efetiva.”

A lei de proteção da vegetação nativa, também conhecida como o novo Código Florestal Brasileiro, estabelece que cada propriedade dentro da área da Mata Atlântica tenha pelo menos 20% de cobertura vegetal. Se a determinação fosse cumprida corretamente, os 32 milhões de hectares de vegetação nativa existentes atualmente passariam a ser de 37 milhões.

“Se isso acontecer, em dentro de 10 anos a taxa de cobertura vegetal nativa pode subir para 35%, tornando a Mata Atlântica um exemplo mundial de restauração ecológica”, afirma Metzger.

Além de melhorar a qualidade de vida da população e dos animais, a restauração da floresta para a adequação ao Código Florestal deve gerar novas oportunidades de renda a partir do trabalho de reparação.

Leia Também

Relatos de viagem

Depois de Bariloche, motociclistas cruzam as geleiras rumo à Ushuaia

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A influência da humanidade no Planeta Terra nos últimos séculos tornou-se tão significativa a ponto de constituir-se numa nova época geológica

Paul Cruzter, Prêmio Nobel de Química

Vídeos

Costa Rica, com muita adrenalina

Mais Vídeos

Eco Debate

ALEX BAGER

Unidades de conservação NÃO precisam de ferrovias

EDNA SCREMIN DIAS

O Estado deve pacificar os conflitos pelo uso do solo em Bonito

ELAINE RIBEIRO

Férias longe do seu smartphone