sexta, 21 de junho de 2024
ETNOTURISMO

Sebrae/MS promove curso para condutores indígenas de Miranda

22 MAI 2024 - 11h32Por REDAÇÃO

Em uma iniciativa inédita para a capacitação profissional destinada aos povos originários, aconteceu, entre os dias 16 e 19 de maio, na Aldeia Babaçu, em Miranda, o curso de Competências Mínimas de Condutor de Ecoturismo e Turismo de Aventura (CMC), com o objetivo de fortalecer o turismo de base comunitária nas aldeias indígenas da região.

Realizado pelo Sebrae/ MS por meio do programa Cidade Empreendedora em parceria com a Prefeitura Municipal, o curso formou 24 condutores de turismo indígenas, em maioria da etnia Terena. Ao receberem a certificação de condutores de turismo, eles poderão atuar tanto em suas comunidades, como serem contratados por empresas de turismo, além de estarem aptos a empreender como microempreendedores individuais.

“Este curso será um divisor de águas para as comunidades Babaçu e Cachoeirinha, porque já iniciamos o turismo de base comunitária com um projeto piloto. Com a qualificação e este certificado, reconhecido nacionalmente, nossos condutores poderão trabalhar nos atrativos turísticos, o que aumenta as oportunidades de emprego, ou se tornarem empreendedores”, destacou o secretário de Turismo e Cultura de Miranda, Fernando Henrique Albuquerque.

“Esta é a primeira capacitação deste tipo na região e é direcionado a todas as comunidades indígenas da região, não se limitando apenas à aldeia Babaçu. Outras comunidades também estão envolvidas, e todos saíram capacitados para atender aos turistas e desenvolver o etnoturismo que estamos fomentando no município”, explicou a analista técnica do Sebrae/MS, Thaynara Durso.

Projeto piloto

O programa Cidade Empreendedora traz um conjunto de ferramentas que apoia a transformação econômica do município, fortalecendo o comércio local e capacitando empreendedores. Desde 2023, quando a prefeitura de Miranda, aderiu à iniciativa oferecida pelo Sebrae/MS, os indígenas têm participado de capacitações voltadas ao empreendedorismo o que despertou às comunidades para novas oportunidades de negócio, principalmente na área do etnoturismo.

Um dos resultados deste trabalho foi a consolidação de um produto turístico na Aldeia Babaçu, que oferece ao público uma rica experiência cultural, com a apresentação de danças típicas e do artesanato local. Além de gerar renda com o oferecimento da visita, os indígenas também enxergaram a ação como potencial para a economia criativa, pois disponibilizam as peças artesanais feitas na comunidade para a venda.

O produto foi exposto, pela primeira vez, para o público externo como um projeto piloto no dia 6 de abril e, desde então, a comunidade continua sendo acompanhada para a profissionalização do grupo e o curso de condutores vem corroborar com essa iniciativa.

Considerado a porta de entrada para o sul do Pantanal, o município de Miranda destaca-se por sua biodiversidade e riqueza cultural, e por meio da capacitação e formalização, o etnoturismo poderá ser desenvolvido e explorado de forma organizada e sustentável.

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio a manchete: 'deputados de MS propõem audiência para solucionar queimadas'. Pantanal está salvo, graças a Deus!

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Lei do Pantanal: tirou o boi, fogaréu entrou!

MARIANA PONTES

Cerrado e Caatinga são patrimônios do Brasil e precisam ser protegidos

EDUARDO CRUZETTA

Um dia pelo Meio Ambiente, 300 anos pela pecuária conservando o Pantanal