sexta, 19 de agosto de 2022
HOTELARIA

Santos tem hotéis certificados como "neutro de carbono"

27 JUN 2022 - 12h15Por REDAÇÃO

A indústria do turismo, que movimenta mais de 50 subsetores econômicos, entre os quais estão a hotelaria, aviação e locação de veículos, além de empresas de receptivo, agências e operadores de viagens, tem importantes diretrizes da Organização das Nações Unidas (ONU) para seguir - e a ação climática para o enfrentamento do aquecimento global é uma delas. 
 
Neste sentido, a Organização Mundial do Turismo (OMT), agência da ONU que se preocupa com a promoção e o desenvolvimento do turismo de forma sustentável, apresenta três principais desafios para o alcance do turismo de baixo carbono: reforçar a medição e divulgação das emissões de carbono no turismo; acelerar a descarbonização das operações de turismo e envolver o setor do turismo na neutralização das emissões de carbono.
 
“Com base nessas prerrogativas, ao medir, divulgar e compensar suas emissões de carbono, o Ibis Valongo coloca este compromisso em prática”, afirma o investidor hoteleiro Flávio Patrício.

Compromissos com o planeta

O empreendimento está certificado pelo Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN) como “Hotel Neutro de Carbono”. A certificação é uma iniciativa voluntária de seus investidores para neutralizar as 50,3 toneladas de emissões de gases do efeito estufa provenientes do consumo de combustível fóssil, especialmente gás natural, e de energia elétrica utilizados na operação hoteleira entre novembro de 2020 e novembro de 2021.

Pela neutralização, até setembro deste ano, 314 árvores nativas da Mata Atlântica serão plantadas em área de restauração florestal no Estado de São Paulo, até setembro deste ano.

Hoteis farão plantio de árvores nativas da Mata Atlântica


Já o Novotel Santos Gonzaga, que também está certificado pelo IBDN, ficará responsável pelo plantio de 355 árvores nativas da Mata Atlântica, no mesmo período e também em área de restauração florestal em São Paulo, o que equivale a neutralização de quase 59 toneladas de emissões.
 
“Estamos compensando nossas emissões de carbono para retribuir ao mar o bem que ele nos faz”, diz Sandra Di Croce Patrício.

O Novotel Santos Gonzaga também assumiu esse compromisso, de forma voluntária, de compensar as emissões de carbono geradas por sua operação. Juntos, eles somam 699 árvores de Mata Atlântica preservada a serem plantadas até setembro deste ano, como resposta à neutralização de cerca de 100 toneladas de emissões de gases do efeito estufa.
 
Certificado pelo Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN), o projeto de neutralização de ambos os hotéis segue as melhores práticas e protocolos adotados internacionalmente para o cálculo de carbono, incluindo medição e acompanhamento de diferentes iniciativas.
 
Para Rogério Iório, fundador do IBDN, consultor e educador ambiental, a questão climática não é mais algo para o futuro, é para agora. “Os projetos de Neutralização de Carbono do IBDN têm como objetivo colaborar com as empresas interessadas em diminuir seus impactos no planeta e ainda viabilizar a recuperação de áreas degradadas em parques e reservas, através do plantio de árvores nativas”, diz.

Os hotéis Ibis Santos Valongo e no Novotel Santos Gonzaga são administrados pela Atrio Hotel Management. Posicionada como a terceira maior operadora hoteleira do Brasil, a Atrio é responsável pela administração de 70 hotéis em 13 estados e 48 cidades brasileiras. Juntos, eles somam um parque hoteleiro de mais de 10 mil apartamentos e são responsáveis pela geração de mais de 1.900 empregos diretos, além de outros 9.500 indiretos.

Mais informações no site

Leia Também

Relatos de viagem

Conte suas aventuras aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Com a crise climática, o Brasil está em uma encruzilhada e a hora de agir é agora

Al Gore, ex-vice-presidente dos EUA e ativista ambiental

Vídeos

Tocando em Frente, Almir Sater

Mais Vídeos

Eco Debate

SYLVIO MODE

Cidades inteligentes: da década de 90 para o amanhã

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Se correr o bicho pega, se ficar, ele come

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Porto São Miguel