sábado, 28 de março de 2020
DESTINO MS

O que curtir em Corumbá (além da pesca)

25 JUL 2017 - 10h22Por Jade Knorre/Skyscanner

Há mais coisas a se fazer em Corumbá do que se imagina. Localizada no limite oeste do país, na fronteira com a Bolívia, Corumbá é a maior cidade pantaneira, com cerca de 110 mil habitantes. É procurada turisticamente em função da pesca esportiva, dos cruzeiros fluviais especializados e do ecoturismo pelo Pantanal, além de ser conhecida por seu festejo junino, o Arraial do Banho de São João.

Aventure-se em um safári pela Estrada Parque Pantanal

A Estrada Parque Pantanal, com 120 km, foi a primeira estrada a ligar Corumbá a outras cidades brasileiras, como Campo Grande. O diferencial da Estrada Parque são as mais de setenta pontes que auxiliam no escoamento dos rios na época de cheia do Pantanal.

A melhor época para fazer o safári é justamente quando os rios estão cheios, entre junho e agosto, e os animais precisam buscar abrigo em locais que não estejam inundados, seja em árvores, seja em pequenas extensões de terra. O cenário é um verdadeiro zoológico sem grades – você pode ver de pertinho araras, tuiuiús, jacarés, capivaras, lagartos, sucuris, e, se der sorte, onças.

Ao longo do trajeto há pousadas, pesqueiros e restaurantes que recebem viajantes interessados em vivenciar mais a fundo o Pantanal. Esse é o caso da Pousada São João Ecotur e do Jungle Lodge, que oferecem diferentes passeios, desde cavalgada pelo Pantanal alagado (experiência incrível), passando por pesca de piranhas, até banho no rio Paraguai.

Faça um passeio de barco pelo Pantanal

Para fazer o passeio de barco pelo Pantanal, prefira a época de cheia, entre junho e agosto. Algumas empresas como a Kalipso e o Barco Chalana do JDS Turismo oferecem passeios de 3 horas aproximadamente, em barcos médios, e que incluem no pacote almoço e guia. Se você quiser passeio em barcos menores, é só conversar com as agências.

Nesse sentido, a nossa super indicação vai para a empresa Zé Leôncio Viagens & Turismo. Peça para fazer o passeio com a Luceli, esposa do Zé, e aproveite que ela tem um barquinho menor que consegue entrar em qualquer área alagada. Em função dos guias terem o olho treinado, eles conseguem encontrar e mostrar muitos animais escondidos na vegetação. A duração do passeio é negociável.

Passeie pelo Porto Geral

Esse é o ponto perfeito para apreciar o rio Paraguai! É daqui que saem os passeios pelo Pantanal. Aproveite para conhecer também o casario colonial que cerca o Porto Geral –lindo lugar para tirar fotos – e que é casa de um dos museus mais bacanas da cidade: o Muhpan.

Visite o Muhpan (Museu história do Pantanal)

Com um rico acervo sobre a região pantaneira, o Muhpan resgata desde a história das primeiras ocupações humanas na região até a chegada dos imigrantes no século 20. O museu fica num prédio datado de 1876 e preserva materiais riquíssimos, apresentando-os de forma inusitada e criativa à população. O museu funciona de terça à sábado das 13h às 17h30.

Fronteira com a Bolívia: compras e entrada para o Altiplano por rodovia ou aérea gastando pouco

Conheça a Estação Natureza do Pantanal

Uma exposição impressionante sobre a fauna e a flora brasileira, localizada em um casarão antigo e preservado, com painéis lúdicos e interativos sobre a formação geológica dos biomas brasileiros e da composição de diferentes ecossistemas. O museu funciona de segunda à sexta, das 9h às 11h20 e das 14h às 17h20.

Explore o Forte Junqueira

O Forte Junqueira foi construído logo após a Guerra do Paraguai para assegurar a paz na fronteira com o Brasil. Vale visitar o Forte para apreciar a paisagem pantaneira e o rio Paraguai.

Visite a Art Izu Casa de Escultura

Nada mais nada menos do que a casa da artista Izulina Xavier! Aberta ao público, a casa se tornou um espaço de visitação, onde é possível apreciar todos os tipos de obras da artista, feitos nos mais diversos materiais. É impressionante a aptidão de dona Izulina para trabalhos manuais e a sensibilidade de sua obra, tanto artística quanto escrita.

Veja Corumbá de cima e o Cristo Rei do Pantanal

Você não está no Rio de Janeiro, mas pode conhecer o Cristo no alto do Morro do Cruzeiro, em Corumbá! A diferença é que esse é o Cristo Rei do Pantanal, que tem 12 metros e é uma obra da dona Izulina Xavier, talentosíssima artista plástica corumbaense. Além de fazer uma selfie com o Cristo, aprecie a vista de cima do morro! Aberto diariamente das 7h às 20h.

Surpreenda-se com a Casa de Memória Dr. Gabi

Dr. Gabi foi uma personalidade corumbaense que atuou nas mais diversas áreas, da advocacia ao jornalismo, passando pela pecuária, política e literatura. Apaixonado por artes e letras, Dr. Gabi investiu muito em Corumbá, especialmente na área da educação. Sua casa ficou fechada por muitos anos e há pouco tempo foi reaberta, organizada e aos poucos vem sendo restaurada. Observe a arquitetura da casa, os detalhes dos ladrilhos no piso e o mobiliário da casa – é encantador!

Contemplação: histórico Porto Geral, o Rio Paraguai, Casario do Porto. Pantanal

Dê uma voltinha na Bolívia

A apenas 12 km de Corumbá fica Puerto Quijarro, a primeira cidade boliviana cruzando a fronteira Bolívia-Brasil. Lá você pode encontrar tradicionais freeshops de fronteira e lojinhas com artigos “made in China” (alguns de ótima qualidade, por sinal), roupas e souvenires coloridos bolivianos.

Esvazie os bolsos na Feira da Rua Ladário

A feira acontece aos domingos pela manhã, e reúne as mais variadas mercadorias. Por Corumbá fazer fronteira com a Bolívia, você encontra muitos produtos vindos de lá, como batatas, feijão, e outros alimentos. Os preços são bem amigáveis. Aproveite para comprar o queijo da região conhecido como “queijo Nicola” e os tradicionais bolinhos de arroz com erva doce.

Onde comer em Corumbá

Falando em comida, além do queijo Nicola e do bolinho de arroz, experimente o arroz carreteiro, o churrasco pantaneiro, o caribéu, a carne seca com mandioca, a saltenha, o caldo de piranha, peixes dos mais diversos tipos, a sopa paraguaia... Achou demais? Pois vá a um restaurante e veja o quão bem servidos esses pratos são! Prepare-se para algumas dicas de restaurantes de dar água na boca!

Restaurante Humaitá é uma opção econômica e saborosa para o almoço, oferece pratos à la carte, prato feito e lanches. Para espeto corrido, vá na famosa Churrascaria Laço de Ouro, no centro da cidade, que oferece buffet livre acompanhado de rodízio de churrasco! Peça pelos cortes de carne especiais do Pantanal.

Para curtir um happy hour, a Marina do Gelson é o lugar mais indicado. A música ao vivo, os petiscos e a cerveja geladinha, complementam com maestria a vista do pôr do sol no rio Paraguai. Para o jantar, considere o Bistrô Avalom, um lugar charmoso, com pratos diversos, autorais e bem saborosos. Não perca também o Restaurante e Churrascaria Rodeio, com opção de rodízio ao meio dia e à la carte à noite. Os pratos servem tranquilamente 3 pessoas e são muito gostosos.

Onde ficar em Corumbá

Entre os melhores hotéis da cidade figuram o Hotel Nacional e o Santa Mônica Palace Hotel, com decoração clean, bom café da manhã, quartos confortáveis e piscinas ao ar livre, e o Hotel Gold Fish, um pouquinho afastado do centro da cidade, mas com uma estrutura diferenciada, com vista para o Pantanal e um restaurante delicioso.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Pesque, solte e volte sempre!

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Tordinhos do entardecer

XICO GRAZIANO

Ecologistas precisam evoluir sobre turismo natural

FRANCISCO OLIVEIRA

Trabalho informal nos lixões: um risco à vida dos catadores