sexta, 19 de agosto de 2022
RIO VERDE

Empresários aprendem técnicas gastronômicas para atrair turistas

19 JUL 2022 - 16h36Por REDAÇÃO

Donos de bares, restaurantes, hotéis e pousadas em Rio Verde de MT estão capacitando-se para oferecer no trade turístico da região Norte de Mato Grosso do Sul os sabores e temperos que o bioma reserva e são exclusivos. O Curso Gastronômico: pratos típicos pantaneiros está ocorrendo no município no âmbito dos programas Pró Pantanal e Cidade Empreendedora, por meio de parceria entre o Sebrae/MS e a Prefeitura local, com apoio do Senac.

Durante cinco dias, os empresários de diferentes negócios que atendem turistas que visitam o município estão aprendendo com aulas práticas como preparar e finalizar pratos tipicamente do Pantanal sul-mato-grossense. Além da produção desses alimentos, os empreendedores vão descobrir curiosidades e detalhes de uma lista de delícias que a culinária local oferece.

Nesse curso haverá o preparo de macarrão de comitiva, chipa, arroz carreteiro com ovo frito, pintado à urucum, nhoque de mandioquinha, paçoca pantaneira, pacu assado à moda pantaneira, caribéu pantaneiro, mojica de pintado, bori-bori de frango, arroz boliviano, cachorrada com queijo caipira fresco e saltenha. É um cardápio para encher os olhos e a barriga, além de representar uma estratégia para cativar os turistas e incrementar os negócios.

Identidade local

Jane Paiva, analista técnica do Sebrae/MS, explica que o curso vai ajudar na construção de um trabalho que vem sendo desenvolvimento para fortalecer o turismo na região norte do Estado. “O Curso Gastronômico Pantaneiro faz parte de várias ações realizadas no município de Rio Verde MT, através do Pró Pantanal e do Programa Cidade Empreendedora. Essa capacitação irá fortalecer a identidade local por meio da arte da culinária pantaneira de Mato Grosso do Sul e vai fomentar atividades econômicas no eixo do turismo”, detalha.

 

Junto com o curso ainda foram montados três workshops que vão detalhar a preparação e planejamento de pratos típicos pantaneiros, com a realização de um cardápio completo e ainda a harmonização de pratos com bebidas. Cada uma dessas capacitações tem 4 horas de aulas, enquanto o Curso Gastronômico Pantaneiro envolve treinamento por 20 horas. Todos eles estão acontecendo na Cozinha Industrial de Rio Verde de MT, que fica na avenida Barão do Rio Branco, 51, no Jardim José Antônio.

Turismo na região Norte

Empresários de Corguinho, Coxim e Rio Verde de Mato Grosso estão participando de consultoria gratuita sobre “Formatação de Produtos Turísticos” desde final de abril. Nesta ação, o programa Pró Pantanal contempla os atrativos turísticos localizados na região Norte do Estado, visando a capacitação e inserção de inovação nesse setor.

Os participantes estão se especializando para ofertar uma experiência diferenciada para turistas. A consultoria tem duração de cinco meses, com o diagnóstico para ações de curto, médio e longo prazo; formatação de produtos turísticos, uso da inovação na empresa e a divulgação em ambiente digital.

Pró Pantanal

O Pró Pantanal – Programa de Apoio à Recuperação Econômica do Bioma Pantanal é uma iniciativa do Sebrae para fomentar atividades econômicas nos eixos do turismo, da economia criativa e do agronegócio existentes no Pantanal. O programa ainda tem apoio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (FAEMS), Instituto do Meio Ambiente de MS (Imasul) e Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

Para obter mais informações sobre o programa Pró Pantanal e suas ações, fale com o Sebrae, pelo pelo número 0800 570 0800. Visite o site oficial do programa clicando aqui

Leia Também

Relatos de viagem

Conte suas aventuras aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Com a crise climática, o Brasil está em uma encruzilhada e a hora de agir é agora

Al Gore, ex-vice-presidente dos EUA e ativista ambiental

Vídeos

Tocando em Frente, Almir Sater

Mais Vídeos

Eco Debate

SYLVIO MODE

Cidades inteligentes: da década de 90 para o amanhã

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Se correr o bicho pega, se ficar, ele come

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Porto São Miguel