sexta, 19 de julho de 2024
CORUMBÁ

VALE DO SOL, UM RECANTO DE LAZER E O MELHOR DA GASTRONOMIA PANTANEIRA

19 JUN 2024 - 15h04Por SILVIO DE ANDRADE

Quem chega a Corumbá (413 km de Campo Grande) não tem muitas opções de turistar a bela cidade por falta de serviços com todos os atrativos que ela oferece, além da pesca. Mas tem um lugar especial que o visitante deve conhecer e desfrutar da hospitalidade corumbaense, dos encantos que contornam a morraria do Urucum e a saborosa comida pantaneira servida no fogão de lenha. É o Recanto Vale do Sol, turismo rural distante 16 km do centro urbano pela BR-262.

Carlos e Lidia com os filhos: gestão em família

Operando em day use, mas com estrutura para hospedagem em chalés, o espaço proporciona lazer em família ou grupos de amigos em um ambiente tipicamente rural, onde o desfrute inclui experiências incríveis, como tomar leite no curral ao amanhecer, acompanhar o manejo do gado, ouvir o canto da seriema e passear a cavalo. Quem teve o privilégio de conhecer não esquece o dia prazeroso que passou com direito a piscina com água corrente.

Feijoada, o começo

O nome – Vale do Sol – faz jus a esse lugar encantador, onde o sol nasce em meio ao largo da morraria preservado da Fazenda Nhumporã, uma propriedade de 500 hectares onde a família Barros Leite produz pecuária de corte e ovinos. Carlos de Barros Leite, 75, advogado e fazendeiro, e Lidia Aguilar Leite, 70, turismóloga e chef, formam o casal descendente de pantaneiros pioneiros do Livramento (MT) e do Porto Rolon (Taquari) que criou esse paraíso com os filhos Luciano (zootecnista), Junior (veterinário) e Renata (fisioterapeuta).

Delícias do Pantanal: pratos típicos especialmente preparados por Lidia Leite em fogão de lenha

“Começamos promovendo almoço com feijoada e tivemos a ideia do recanto como uma opção de lazer, abrir um negócio onde pudéssemos divulgar a nossa gastronomia e a nossa cultura”, conta Lidia Leite. “Continuamos com a feijoada tradicional, em junho realizamos a 29ª edição do nosso encontro, e aproveitamos os recursos naturais para impulsionar o atrativo, que está em operação há 28 anos. Quem vem aqui não tem vontade de ir embora.”

De fato, passar o dia no refúgio ecológico tem um algo mais para relaxar, curtir a natureza e vivenciar uma vida de campo em família e amigos. O empreendimento conta com uma grande piscina em formato de uma chipa (uma das iguarias da fronteira que compõe a mesa do sul-mato-grossense), com água natural das reservas minerais do Urucum. A estrutura inclui redário, restaurante, área de camping, churrasqueiras, banheiros e uma trilha de 800m.

Em meio à vegetação nativa, piscina em formato de uma ferramenta ou de chipa recebe água corrente da morraria

Comida regional

O visitante tem a opção de passar o dia ou apenas saborear o almoço pantaneiro, servido na canoa de madeira e panelas de ferro. O cardápio: macarrão de comitiva, carne seca na moranga, feijão gordo, vaca atolada e a deliciosa paçoca de carne seca com banana da terra (matula do peão de comitiva) socada no pilão. A sobremesa na carreta de boi também surpreende: doces de leite, goiaba e furrundum, carambola, melancia e moranga caramelada.  

Lidia Leite, que já mostrou seus dotes culinários no Programa Terra da Gente ao preparar o arroz com frango e pequi, comanda a cozinha com muito requinte e cuida do ambiente decorado com temas pantaneiros. “A Lidia é uma das matriarcas da culinária pantaneira”, declarou o renomado chef Paulo Machado, ao preparar com a dona do recanto a paçoca no pilão com erva-mate, receita escolhida para compor a Rota Gastronômica Pantaneira de 2022. 

Lidia Leite e o chef Paulo Machado preparando a paçoca de carne seca no pilão: receita com toque de erva-mate

Águas milagrosas

Uma das atrações do passeio, fazendo parte da trilha, são as ruínas de um antigo hospital militar do século XIX, que tratava de doentes com beribéri (causado por má alimentação ou alcoolismo), localizadas ao lado do Vale do Sol. O local era considerado um oásis de Corumbá assolada por pandemias no início do século XX. As águas “de propriedades salutares” que desciam do Morro Santa Cruz e propiciavam banhos em tanques eram consideradas milagrosas.

Serviços
Capacidade de pessoas: 300
Abre nos fins de semana e feriados
Valor do day use por pessoa: R$ 25,00 (criança, R$ 15,00)
Diária dos chales (16 pessoas) com ar condicionado: R$ 340,00
Almoço pantaneiro por pessoa: R$ 55,00
Locação para grupos e eventos (casamentos, aniversários, etc)
Contatos: 67 99995-5035/99904-8325
Acesse aqui

 

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio na mídia: "Bugio expressa ternura ao ver a irmã com o sobrinho no Pantanal..." É muita masturbação.

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

MARCO MORAES

Não confunda sustentabilidade com ideologia

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Fogo Classe P de Pantanal

HEITOR RODRIGUES FREIRE

Um Caminho