sexta, 24 de maio de 2024
DESCASO

Pedido de socorro para os rios e um poema às suas margens

09 JUL 2017 - 08h45Por Ecoa

Em meio a discussões acerca da degradação dos rios, pescadores são os principais alvos de julgamento pela extinção de espécies e outros impactos negativos, quando as leis da pesca e do Pantanal não traduzem os reais agentes que afetam diretamente os estoques pesqueiros.

Há muito, pescadores da Colônia Z-18, de Aquidauana e Anastácio (MS) promovem a limpeza e o cuidado para com os rios pertencentes à Bacia do Alto Rio Paraguai, entendendo que leis como, por exemplo, a proibição da pesca de algumas espécies, não garante a preservação das mesmas.

Um ato de mutirão tomou as margens do rio Aquidauana e Taquarussu para a retirada do lixo acumulado. Foram coletados quase 2000 quilos de lixo em ação promovida pela Colônia de Pescadores Z-18. Entre os itens removidos estavam restos de eletrodomésticos, plásticos e aparelhos eletrônicos.

Este é o sexto ano que o projeto “Rio Limpo” é organizado pelos pescadores no mês de junho, para fazer alusão ao Dia do Pescador, comemorado no dia 29.

Relato da pescadora do rio Aquidauana e secretária da Colônia Z-18, D. Lucia Helena de Souza, mostra o descaso da sociedade quanto aos rios, do qual dependem centenas de famílias que têm a pesca como principal, ou única, renda para sobreviver:

Ano passado os pescadores retiraram 2840kg de lixo em poucas horas, este ano os pescadores profissionais retiram 1800kg em três horas. Ainda falta conscientização da população que lugar de lixo é na lixeira e não no rio”.

Pescadores se reúnem todos os anos para limpar o Aquidauana

E afinal, o que têm para dizer os pescadores hoje, dia em que deveriam comemorar a profissão? Apenas um pedido de socorro na poética forma de dizer o que os cinco sentidos são capazes de captar.

Socorro SOS Aquidauana
Vejam as águas do rio
Vejam a correnteza
São as lágrimas do abandono
E desprezo da natureza.

Águas que correm
Que outrora trouxe orgulho
Pela forma e beleza
Mas hoje os peixes morrem
E deixa saudade e tristeza

Desprezo de um povo
Que não tem piedade
Descaso das autoridades
Não estão preocupados
Com o patrimônio
A riqueza da nossa cidade.

Autor: Reinaldo Paes Martins – Um poema realizado nas margens do rio Aquidauana frente a tanto lixo e descaso da sociedade para com os rios e as famílias que dele dependem.

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O meio ambientalismo nunca preocupou-se com o meio ambiente. Suas ações são histéricas ou fanáticas em defender interesses inconfessos

Armando Arruda Lacerda, pantaneiro

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

PAULO DE GODOY

Os desafios da sustentabilidade da jornada de dados para IA

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pantaneiros informam: respeitar não é idolatrar animais

FREDERICO BUSSINGER

Água, chuvas, enchentes: Lições aprendidas e a aprender