sábado, 24 de fevereiro de 2024
BONITO

Turismo em alta, com toque de recolher

23 NOV 2020 - 06h10Por Sílvio de Andrade

Com o apoio do trade turístico, acordo entre o Ministério Público Estadual (MPE) e a Prefeitura de Bonito referendado pela juíza Adriana Lampert, da 1ª Vara Civil, ampliou as medidas de biossegurança para prevenção e enfrentamento do coronavírus no município. Foi estabelecido o toque de recolher na cidade, da meia-noite às 5h da manhã, até o dia 18 de dezembro, e a proibição de consumo de bebidas alcóolicas e narguilé em vias públicas.

As medidas são resultado de uma ação pública do promotor Alexandre Estuqui Junior, com o propósito de impedir aglomerações de pessoas no perímetro central de Bonito, ocorridas principalmente nos períodos de feriados prolongados e aumentando os riscos de contaminação pela pandemia. A decisão judicial não interfere nos serviços do turismo, os quais cumprem todas as medidas rigorosas de biossegurança adotadas na retomada da atividade.

Lockdown: fake news

A iniciativa do MP de cobrar da prefeitura ações de fiscalização para coibir as aglomerações de pessoas em períodos de grande concentração de turistas na cidade gerou a propagação de notícias falsas, por meio das redes sociais. Divulgou-se, por exemplo, que Bonito decretaria o “lockdown”, a pedido do Ministério Público, cuja informação causou impactos na cadeia do turismo. O promotor Alexandre Estuqui, no entanto, desmentiu a medida extrema.

“Não é nosso propósito fechar a cidade ou os atrativos turísticos e as atividades comerciais, que vêm cumprindo com todos os protocolos de biossegurança.  Não temos nenhuma denúncia de descumprimento por esses segmentos”, afirmou o promotor. “A promotoria requereu à prefeitura uma maior fiscalização para coibir as aglomerações de pessoas nas vias públicas, visando a adoção de medidas de segurança também nesses espaços”, completou.

Apoio às restrições

A ação do MP teve, de imediato, o apoio e o respaldo do trade turístico do maior atrativo de ecoturismo do Brasil. O IDB (Instituto de Desenvolvimento de Bonito), que agrega diversos setores da atividade, se pronunciou a favor da instauração do toque de recolher e cobrou das autoridades a retomada das barreiras sanitárias e vigilância, fiscalização e cumprimento das medidas de prevenção em relação ao uso de máscaras e outros equipamentos de segurança.

A decisão deferida pela juíza Adriana Lampert, nesta quinta-feira, na presença de representantes da prefeitura, do turismo e outros setores, como o de saúde pública, especifica que o MP convocará as forças de segurança para cumprimento das medidas. Ficou ainda acordado que os eventos já autorizados pela prefeitura serão mantidos, haverá reforço nas campanhas de prevenção e está proibida a queima de fogos na virada do ano, na Praça da Liberdade.

Medidas de segurança

Em nota, o IDB relatou as providências tomadas para a retomada do turismo, em julho, com a elaboração de sete protocolos de biossegurança pelas áreas de hotelaria, atrativos, bares e restaurantes, transporte, comércio, agências de viagem e guias de turismo, com apoio do Sebrae, Sesi e Senai. Também foi implantado o selo Bonito Seguro e reduzido em 50% a ocupação hoteleira, entre outras ações visando garantir a saúde e a integridade dos visitantes.

“Nenhum outro destino nacional e internacional se mobilizou de forma tão ampla e incisiva quanto Bonito no combate à covid 19”, diz a nota, assinada pelo presidente da entidade, empresário Guilherme Poli. “O IDB compartilha com o promotor as preocupações a respeito das aglomerações nos feriados de 7 de setembro e 12 de outubro, e, mais do que isso, tem-se empenhado junto às autoridades públicas para que impeça as aglomerações em vias públicas”, pontua.

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Fogo não é mais normal nem cultural em MS. Esta é a primeira ruptura. Vamos trabalhar muito forte neste ano no manejo integrado e prevenção do fogo

Jaime Verruck, secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação

Vídeos

Esportes radicais: calendário de 2024

Mais Vídeos

Eco Debate

ZECA CAMARGO

Dentro da Terra, dentro de mim

Silvio de Andrade

Desembaraçando pantaneiros dos antropizadores 

AFONSO CELSO VANONI DE CASTRO

"Ameaças são naturais, desastres não"