segunda, 05 de dezembro de 2022
EM ALTA

Temporada em Bonito supera o melhor ano do turismo

09 NOV 2022 - 16h23Por SILVIO DE ANDRADE

Um dos primeiros destinos a retomar as atividades com selo de segurança pós-pandemia do coronavírus, em agosto de 2020, Bonito se superou e 2022 foi o ano dos recordes de visitação. O boletim de outubro do Observatório do Turismo e Eventos, coordenado pelo Bonito Convention e Visitors Bureau, confirma o sucesso: em dez meses, a cidade recebeu 226.161 turistas, ultrapassando o movimento de 2016 (212.817), considerado até então o melhor ano.

Além da organização do turismo local, que prima pela qualidade dos serviços, controle de visitação e plano de promoção e comercialização atrelado ao mercado, o crescimento da atividade em Bonito está diretamente relacionado aos investimentos do Governo do Estado e da prefeitura na melhoria da infraestrutura urbana e logística. A reabertura do aeroporto estadual, após reforma e novos equipamentos de operação, foi determinante na retomada.

Na divulgação do destino a secretaria municipal de Turismo, Indústria e Comércio conta com o apoio da Fundação de Turismo de MS (Fundtur) e tem investido nas redes sociais (Facebook, Instagram, YouTube e TikTok), em novo website institucional e na produção de webserie em inglês, visando o público internacional. Também tem dado constante apoio a presstrip e Famtour e participado de eventos nacionais e internacionais para promoção de Bonito.

Rodovia do Turismo, acesso aos balneários (atrativo mais visitado em 2022), terá 9,8 km asfaltado. Foto: Edemir Rodrigues

Melhoria dos acessos

“É resultado de um trabalho realizado em parceria com todo o trade turístico e com o Governo do Estado. As obras de infraestrutura, como a reforma do nosso aeroporto, pavimentação de estradas de acesso, como a Rodovia do Turismo, e a realização de eventos (Brasil Ride, Festival de Pesca Esportiva e Festival de Inverno), consolidaram o ano de 2022 com este resultado extremamente positivo para nossa cidade”, afirma a secretária de Turismo Juliane Salvadori.

Os números refletem os investimentos públicos, segundo o prefeito Josmail Rodrigues. Administrado pelo Estado desde 2018, o aeroporto recebeu injeção de R$ 6,5 milhões e hoje opera com sete voos semanais. Em oito anos, os recursos destinados pelo Estado ao município superam os R$ 300 milhões, destacando-se as obras em execução de pavimentação da Estrada do 21 (acesso ao distrito de Águas do Miranda e a Aquidauana) e da Rodovia do Turismo (balneários).

“Nós temos o Governo do Estado como grande parceiro de Bonito. O governador Reinaldo Azambuja vai deixar um legado para a nossa cidade. Hoje temos um quartel do Corpo de Bombeiros, estamos reformando o Hospital Darci João Bigaton e pavimentando vários bairros”, destaca o prefeito. “O governo recapeou rodovias de acesso a Bonito, asfaltou a MS-382 até a entrada da Gruta do Lago Azul e melhorou ainda as estradas rurais.”

Melhoria dos acessos aéreo e rodoviário foi fundamental para o aumento do fluxo de turistas a Bonito.

Fluxo em outubro

Em outubro, Bonito recebeu 26.864 turistas, inferior ao mesmo período de 2021, mas em dez meses superou em número de visitações (682.504) todo o ano passado. Do total de visitantes, 8,5% (2.290) chegaram ao destino de avião – operam na região a Azul e a Gol, esta com voo direto com Congonhas. De janeiro a outubro, 22.188 pessoas desembarcaram no aeroporto, que foi certificação recentemente para receber grandes aeronaves e operação noturna.

O total de visitantes em 2022 deve chegar ou superar 270 mil pessoas, com a expectativa de alcançar 50 mil em novembro e dezembro e estimativa de 840 mil visitações no ano. “A rede hoteleira está praticamente lotada para o período”, comemora o prefeito Josmail Rodrigues. Em outubro, a ocupação hoteleira foi de 65%. Nesse mês, balneários (24.458), flutuação (16.609), Gruta do Lago Azul (9.402) e cachoeiras (8.437) foram os passeios mais visitados.
 

Leia Também

Relatos de viagem

Conte suas aventuras aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Nos dias de hoje, o pantaneiro é um ser que hesita entre o apego às tradições do passado e o apelo às inovações do mundo presente

Albana Xavier Nogueira, professora e escritora

Vídeos

Conheça a Reserva da Biosfera do Pantanal

Mais Vídeos

Eco Debate

MÔNICA SCHIMENES

COP 27: mais do que promessas, precisamos de ações

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pao, pão e pon sotaques do rio acima e rio abaixo

MARK DIKSON

COP27 reconhece o valor do trabalho híbrido para o futuro do planeta