sexta, 24 de maio de 2024
PESQUE E SOLTE

SAIBA COMO PRATICAR A PESCA ESPORTIVA SUSTENTÁVEL NO PANTANAL

18 MAI 2023 - 06h05Por SILVIO DE ANDRADE

Preservar os cardumes para continuar pescando em seus locais favoritos é o lema da grande maioria dos pescadores esportivos que vêm ao Pantanal de Corumbá, maior destino para a prática desse esporte em águas doces. Mas, para devolver o peixe fisgado é importante ter alguns cuidados básicos na sua manipulação e uso de equipamentos.

Os guias de pesca dos hotéis e barcos-hotéis associados da Associação Corumbaense das Empresas Regionais de Turismo (ACERT), que operam no Pantanal, são experientes e capacitados para auxiliar o pescador nos procedimentos corretos para devolver o peixe ao rio. Contudo, não é demais lembrar as regras fundamentais para praticar uma pesca sustentável.

Pesque e solte, como o próprio nome diz, é o ato de pescar o peixe, admirá-lo, fotografá-lo e devolvê-lo à água em perfeitas condições de sobrevivência. A atitude de devolve-lo com vida à água, independentemente de estar dentro ou não das medidas estabelecidas pela legislação, é uma das formas da manutenção da pesca esportiva, como garantia de lazer, trabalho e renda.

 

Anzóis sem farpa

Soltar o peixe o mais rápido possível é uma das dicas dos especialistas. Lembre-se sempre que, mesmo aparentando nenhum ferimento quando solto, o peixe poderá não sobreviver caso não seja manipulado com o devido cuidado e carinho. O ideal é oxigena-lo antes de retira-lo da água para fazer a foto. O peixe lutou bravamente até recolhe-lo, deixe-o descansar para a garantia de sobrevivência.

Utilize anzóis sem farpa ou amasse a farpa com um alicate; dessa forma, a sua pescaria será muito mais vibrante e você evitará ferimentos maiores nos peixes. Anzóis sem farpas tornam a fisgada mais eficiente e basta manter a linha sempre esticada para trazer o peixe. Jamais puxe a linha quando o anzol estiver preso na garganta do peixe. Corte a linha o mais perto possível do anzol e rapidamente devolva-o à água.

Use sempre uma linha de capacidade um pouco maior que a exigida para cada espécie de peixe. Isso fará com que a luta dure menos tempo e evitará que o peixe fique exausto. Uma fisgada mal executada, pode rasgar a boca do peixe, trazendo consequências graves na sua regeneração ao redor da mandíbula principalmente nas espécies com a boca mole e dificultando a sua alimentação. Os equipamentos são comercializados na Cia Náutica, empresa associada à ACERT.

Seja delicado

Passaguas ajudam, desde que os nós da linha não machuquem o corpo do peixe. Dê preferência a passaguas sem estes nós, mesmo sendo um acessório apropriado, o peixe pode perder o muco tentando escapar da rede e ficar vulnerável a doenças. Abraçar o peixe, usar luvas e panos, mesmo que umedecidos, também retiram o muco do peixe, deixando-o exposto, causando maculas e diminuindo as chances de sobrevivência.

No manuseio, a delicadeza é fundamental. Jamais coloque os dedos ou as unhas nas guelras do peixe; jamais aperte os peixes pequenos – quando não possuem dentes eles podem ser erguidos e manuseados facilmente segurando o seu queixo inferior. Tente, sempre, segurar ou manusear o peixe com as mãos molhadas e na horizontal. Mãos secas ou manuseio agressivo geralmente removem o muco que cobre o peixe. 

Corumbá tem a maior estrutura fluvial para a prática da pesca esportiva com segurança, comodidade e muita emoção. Foto: Saul Schramm

O uso de alicates de contenção ajuda na manipulação da maioria das espécies de peixes esportivos e com dentição óssea afiada, imobilizando o peixe de forma segura e permitindo a retirada do anzol com maior rapidez. Use-o para a imobilização e contenção do peixe, evite segurar o peixe na vertical por muito tempo para não comprimir seus órgãos. O mal uso desse equipamento também pode prejudicar o peixe.

Serviço

Corumbá (430 km de Campo Grande, pela BR-262) tem a melhor estrutura para a pesca esportiva embarcada no Pantanal. A rede de barcos-hotéis e hotéis é formada por operadores associados à ACERT (Associação Corumbaense das Empresas Regionais de Turismo) e garante total segurança e comodidade. Os pacotes para grupos, famílias ou confraternizações empresariais são programados diretamente com as empresas, sem custos adicionais.

A temporada de pesca esportiva está em alta com excelente piscosidade do Rio Paraguai com a subida das águas após três anos de seca. O Pantanal deve ter uma cheia normal, que renova a vida selvagem e transforma o bioma em um ambiente único. Corumbá pratica o pesque e solte, adotada pelos associados da ACERT, e os roteiros são completos, incluindo bote de alumínio, isca, guia de pesca, combustível, alimentação, hospedagem, bebidas. 

Mais informações:
Acertms
Facebook
Instagram

Veja ainda:
Licença de Pesca
Cartilha do pescador: 
Cartilha do Pescador

(Assessoria de Imprensa da ACERT)

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O meio ambientalismo nunca preocupou-se com o meio ambiente. Suas ações são histéricas ou fanáticas em defender interesses inconfessos

Armando Arruda Lacerda, pantaneiro

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

PAULO DE GODOY

Os desafios da sustentabilidade da jornada de dados para IA

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pantaneiros informam: respeitar não é idolatrar animais

FREDERICO BUSSINGER

Água, chuvas, enchentes: Lições aprendidas e a aprender