sexta, 14 de maio de 2021
RUN4AMAZONIA

Passos e desafios pessoais em benefícios para a Amazônia

22 FEV 2021 - 12h10Por REDAÇÃO

As notícias sobre a devastação da Floresta Amazônica estão cada vez mais frequentes e em evidência global. No ano passado, a região registrou recordes de focos de incêndio e de área desmatada. Segundo o INPE, cerca de 11,1 mil km² da Amazônia legal foram destruídos, entre os meses de agosto de 2019 e julho de 2020. Isto representa quase 10% a mais que o mesmo período do ano anterior.

Aliado ao propósito de atrair a atenção para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a agenda 2030 do pacto global, o Run4Amazonia nasceu como uma oportunidade de conectar pessoas, marcas e tecnologia, a uma causa importante: o apoio a proteção da vida na região amazônica.

Com o objetivo de colocar milhares de pessoas em várias partes do mundo para caminhar, correr ou pedalar em prol da Amazônia, no seu dia Internacional comemorado em 5 de setembro, o projeto propõe diferentes metas que podem ser cumpridas pelos participantes sozinhos ou acompanhados de amigos e até de pets.

Para participar, o interessado escolhe um dos desafios no site www.run4amazonia.com.br. Quanto maior a meta pessoal, mais prêmios o participante recebe entre; certificados, medalhas e camisetas e até itens artesanais como a Pulseira Nós e o Óleo de Andiroba. A ideia dos sócios, Roberto Conte Jr, do mercado esportivo, Cesar Kawabata, de tecnologia da informação, e Ricardo Espirito Santo, do segmento securitário, é ajudar a fomentar o empreendedorismo regional, envolvendo comunidades ribeirinhas e aldeias indígenas. "Assim todos se conectam com a Amazônia logo que recebem os prêmios de participação", explica Roberto.

Parte do valor das inscrições no projeto também será revertido a entidades como a SOS Amazônia (no Rio Branco - Acre) e o Instituto de Desenvolvimento da Amazônia (Manaus - Amazonas) que atuam há mais de 15 anos na conservação da biodiversidade, uso de matéria prima com manejo responsável, capacitação das comunidades e detecção e combate aos focos de queimadas.

No futuro, os empresários têm planos de constituir um ranking com vários países do mundo mais engajados com essa competição. "Conciliamos estilo de vida saudável, sustentabilidade, altruísmo e tecnologia em um só negócio que terá em breve um aplicativo. Esse é mais do que um projeto esportivo, estamos falando do desenvolvimento da humanidade. A qualidade do oxigênio necessário para praticar exercício e para o dia a dia também é nossa responsabilidade. O R4M é um convite para estimular mudanças no planeta e acreditamos que muitas pessoas vão adorar fazer parte desse desafio pela vida", contou Roberto.

COMO PARTICIPAR
Run4Amazonia busca estimular participantes de diferentes idades, mesmo que não tenham o hábito de se exercitar. "Queremos atrair perfis distintos, desde corredores de longas distâncias até aqueles que não correm ou caminham. A prática de exercícios ao ar livre é o melhor meio de enfrentar esse momento em que estamos mais isolados e emocionalmente comovidos com os desdobramentos da pandemia. Assim como a floresta, o nosso corpo também é um ecossistema e precisa ser cuidado", explica Conte.

As inscrições para participar do projeto já estão disponíveis. O interessado acessa o site www.run4amazonia.com.br e faz o seu cadastro, escolhendo entre um dos desafios de 3k, 5k, 10k e 21k. Em seguida, é preciso baixar um dos apps de corrida gratuitos já existentes no mercado, são eles: Nike+ Running, Runkeeper, Strava, Runtastic e Sports Tracker.

O primeiro desafio tem data para acontecer, será em 5 de setembro, no Dia Internacional da Amazônia. Neste encontro, os inscritos poderão percorrer a meta escolhida correndo, caminhando, acompanhados ou não.

Depois deste marco, cada corredor escolhe o dia e hora que mais se adequam a sua agenda para a realização dos demais percursos. A cada novo desafio que realiza, o participante é premiado com uma medalha. Unidas, as medalhas formam uma mandala que remete aos termos de proteção da Amazônia.

Parte integrante dos prêmios, as pulseiras "Nós", produzidas na Comunidade Ribeirinha Pedra Branca, da Ilha de Cotijuba no Pará, também formam um colar simbolizando o "elo" que o projeto busca estabelecer entre os participantes que, assim como o Run4Amazonia, defendem esse patrimônio universal.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O olhar mais cego que existe é quem olha para a preservação ambiental e não enxerga os indígenas como guardiões da floresta

Marcos Palmeira, ator e ambientalista

Vídeos

Morro do Azeite Ecolodge, Miranda MS

Mais Vídeos

Eco Debate

JOÃO GUILHERME SABINO OMETTO

Política ambiental é decisiva para o País

ARMANDO ARRUDA LACERDA

A vaca foi pro brejo?

JEANINE PIRES

5 novas ideias do que pode mudar no turismo