sexta, 14 de maio de 2021
BICHOS

Projeto promove vivência na natureza a alunos e professores

02 ABR 2019 - 19h33Por REDAÇÃO

Fortalecer e estimular a conexão com a natureza e fazer disso uma prática no cotidiano de escolas de Mato Grosso. Esse é um dos objetivos do Projeto Bichos do Pantanal, que atua nos municípios de Cáceres e Porto Estrela e região com a meta de pesquisar e proteger espécies da fauna do Pantanal em Mato Grosso.

Para isso, o projeto desenvolve um programa de educação ambiental que objetiva levar conhecimento e vivência com a natureza a alunos e professores das redes estadual e municipal de ensino e também da rede de escolas privadas.

Mais de três mil estudantes e cerca de 40 professores de escolas públicas já foram beneficiados com ações promovidas na segunda fase do projeto, iniciada em outubro de 2018, oferecendo ferramentas como binóculos e lunetas para utilização pelos estudantes em trilhas e praças públicas, o que proporciona um conhecimento da fauna mais aprofundado e uma verdadeira conexão com a natureza, com o lema “Conhecer para preservar”.

Desconectados

Mentor do projeto, o pesquisador Douglas Trent explica que o programa “Conexão com a Natureza” surgiu a partir da constatação de mais de 750 estudos publicados por universidades de todo o mundo que mostram que estamos desconectados da natureza.

“Mais de 50% da população mundial não mora mais no campo e, no Brasil, esse número é ainda maior, ultrapassa os 80%. Está comprovado pela ciência que a depressão, a violência e até mesmo o déficit de atenção, por exemplo, vêm dessa falta de conexão com a natureza”, afirma Trent, que atua na área há mais de 20 anos.

Os mesmos estudos, no entanto, revelam que é possível se reconectar com a natureza e, com isso, ter uma vida mais leve e saudável. Por isso, cada vez mais escolas do mundo estão adotando a educação ambiental como um princípio pedagógico. Os benefícios, segundo o pesquisador, são imensuráveis e se ampliam para outras áreas do conhecimento, como as ciências exatas e sociais.

Nova postura

O coordenador do programa, professor Mahal Massavi conta que, além de incentivar a preservação do meio ambiente e o contato com a natureza, o intuito é despertar a empatia e aproximação da comunidade para com o ambiente natural.

“Fazemos isso por meio da vivência em incursões a campo, palestras em sala de aula e vivências. Então a ideia é trazer as crianças para esse contato para que possam vivenciar isso na prática e, aí sim, estimular nelas uma nova postura, que é a da empatia e a importância da preservação ambiental”, explica Massavi, que é mestre em ecologia e conservação.

A professora da rede pública de educação Maria Aparecida Miranda participou do curso que abordou a conexão com a natureza como princípio pedagógico, realizado em Porto Estrela, a 113 km de Cáceres, e afirma que a vivência fará a diferença no dia a dia com os alunos.

“Para nós é maravilhoso saber que temos um programa que vai nos incentivar, nos estimular, para que possamos desenvolver ações junto às crianças do nosso município. Nossos alunos são multiplicadores de conquistas e da melhoria da qualidade da educação ambiental que queremos para o nosso futuro”, afirma.

Inventário

Bichos do Pantanal está em sua segunda edição e conta com o patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Gerido pelo Instituto Sustentar de Responsabilidade Socioambiental, o projeto conquistou prêmios e diversos resultados positivos entre 2013 e 2015, especialmente com as ações de educação ambiental, que envolveram 44 mil crianças e jovens do Alto Pantanal. Ao todo, 350 mil pessoas foram mobilizadas com as atividades.

A área de atuação do Bichos do Pantanal abrange o município de Cáceres, o Rio Paraguai, a Estação Ecológica Taiamã até Pacu Gordo, e também o município de Porto Estrela, região do entorno da Estação Ecológica da Serra das Araras.

www.bichosdopantanal.org

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O olhar mais cego que existe é quem olha para a preservação ambiental e não enxerga os indígenas como guardiões da floresta

Marcos Palmeira, ator e ambientalista

Vídeos

Morro do Azeite Ecolodge, Miranda MS

Mais Vídeos

Eco Debate

JOÃO GUILHERME SABINO OMETTO

Política ambiental é decisiva para o País

ARMANDO ARRUDA LACERDA

A vaca foi pro brejo?

JEANINE PIRES

5 novas ideias do que pode mudar no turismo