quinta, 15 de abril de 2021
NOVIDADE

O local mais silencioso do mundo deixa você maluco

28 JUN 2017 - 22h22Por Redação

Os primeiros segundos são de incredulidade. Parece que você entrou em um estúdio de gravação ou em um laboratório com paredes à prova de som. Mas, antes que se passe um minuto, chegam uma agitação e um quase mal-estar. A sala mais silenciosa do mundo, reconhecida até pelo Guinness World Records, fica em Seattle. Mais especificamente em Redmond, na sede da Microsoft.

O espaço gera uma estranha inquietação que termina em tontura. Antes que isso ocorra, alguém permite a entrada de luz para que o local se ilumine, pouco a pouco. Após os primeiros instantes, toma-se consciência das batidas do coração, e a respiração soa mais forte. De repente, escuta-se fluidos. O que foi a refeição em uma das cantinas do campus toma vida nova em forma de fluxos que regurgitam no interior. A cada segundo é possível perceber mais e mais estímulos gerados dentro de nosso corpo. Ao se fechar os olhos ou abrir os braços, nota-se uma sensação parecida com o toque da cortiça. Entrar em uma sala assim, sem luz (ainda que com alguns LED no teto, que se apagam durante os testes para evitar perturbações), leva uma pessoa a perder o equilíbrio em poucos minutos. A experiência dura apenas cinco minutos, e é feita de maneira segura e controlada.

Em agosto do ano passado, uma comissão de especialistas e um notário do Guinness World Records concluíram que, oficialmente, este lugar é o espaço mais silencioso do mundo. Mais do que qualquer estúdio de gravação.

O limite do ouvido humano é de 0 decibéis. O recorde anterior era -9. A Microsoft conseguiu o título com -13, apesar de, durante a nossa visita, termos chegado a -20 decibéis. Gopal Gopal, o engenheiro de som indiano responsável pela sala, explica que o som de dois átomos que se tocam é de -23 decibéis. Uma referência difícil de assumir apenas com a imaginação. Ele foi o responsável por projetar, lançar e manter esta câmara tão peculiar.

Mas por que bem aqui? Por que a Microsoft criou esta sala? As possibilidades de futuro são muitas, mas, por enquanto, o local está sendo usado intensivamente em três produtos. Querem melhorar e refinar o assistente de voz Cortana (equivalente a Siri, da Apple). Também usam o espaço para o Skype, seu serviço de chamadas e videoconferência, e para seu tradutor de idiomas em tempo real. Graças a esta sala, podem registrar o som da voz com alta pureza, com uma enorme quantidade de tons, e assim reconhecer bem diferentes matizes, tonalidades, distorções e timbres. Também se pode obter o efeito contrário, saber quais canais são os limpos e quais são os sujos – aqueles que carregam ruídos. “Com isso conseguimos fazer com que, se alguém faz um telefonema do Skype em um bar, com barulho e rodeado de copos batendo e música de fundo, seja possível ouvir a voz mais nitidamente”, explica Gopal.

A sala tem paredes isolantes de 12 polegadas (30,48 centímetros) de profundidade e um fosso de 24 polegadas (60,96 centímetros) que separa o local das demais salas. Não há luzes. A iluminação só entra ao se abrir a porta aos poucos.

Este é um dos grandes segredos do edifício 87 da Microsoft. Historicamente, o 99 era o mítico – dedicado à experimentação com pesquisadores liberados para fazer estudos acadêmicos que talvez algum dia dessem origem a um produto. Foi com essa lógica, por exemplo, que nasceu o Kinect, o sensor de movimento da console Xbox e que também tem utilização médica graças a modificações para computador. O edifício 87 agora compete pelo trono da atenção. Abriga aqueles setores dedicados ao hardware, os aparelhos com os quais, segundo Steve Ballmer, o CEO anterior, a Microsoft acaba de reconhecer que chegou tarde à nova onda.

Seu sucessor Satya Nadella, fez duas apostas claras: a nuvem e novos equipamentos. O Hololens, óculos de realidade aumentada, foi o primeiro aviso. A nova gama do Surface é a prova de que a empresa quer competir com a Apple fazendo produtos inovadores, mas também se beneficiar do ecossistema ao redor do Windows, que continua sendo o sistema operacional líder em participação no mercado. A Microsoft faz o aparelho “molde”, o padrão sobre o qual convidam o resto dos fabricantes a fazer modificações para se adaptar ao bolso e ao gosto do consumidor.

A poucos metros desta peculiar sala está The Garage, um espaço dedicado a experimentar e, quase, brincar – sem pensar em orçamentos ou lançamentos no mercado. Os funcionários da Microsoft são convidados a testar sua ideias e a competir em hackathons (maratonas informáticas) onde se combina a programação com a criação de protótipos físicos. Ali é onde precisamente se aproveita as pesquisas feitas na sala silenciosa, testando-se a integração de avanços em fones de ouvidos, aplicativos para pessoas com problemas auditivos, o impacto do som ambiente no Hololens...

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Bonito Seguro - Pronto para te receber!

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa