segunda, 25 de outubro de 2021
ARTE E MEIO AMBIENTE

NASCENTE AZUL PROJETA PRIMEIRO MUSEU SUBAQUÁTICO DE ÁGUA DOCE

02 OUT 2021 - 06h16Por SÍLVIO DE ANDRADE/REDAÇÃO

Já imaginou mergulhar lado a lado de peixes nativos da bacia pantaneira, em água cristalinas e calcáreas do Rio Bonito, contemplando obras de arte de artistas locais? Projeto inédito está sendo implantado na Nascente Azul, um dos principais atrativos turísticos de Bonito: um museu subaquático onde o visitante terá um cenário único, em contato direto com a natureza.

A ideia não é nova – coleção artística debaixo d’água já existe em Cancun, Chipre e Cannes -, mas é o primeiro museu de água doce do mundo, previsto para ser aberto ao público no fim de outubro. Um espaço em que os artistas pudessem se expressar através de suas obras de arte, valorizando assim a produção local e inovando como mais um elemento de contemplação na prática do mergulho.

Na primeira exposição, segundo a empresa, as estátuas submersas vão tratar de temas como a sustentabilidade e a preservação ambiental. “Aliás, desde a criação do complexo de ecoturismo, há mais de 10 anos, a Nascente Azul tem em seu DNA a sustentabilidade e o respeito ao meio ambiente”, aponta Carlos Eduardo Rodrigues, proprietário do empreendimento.

 

O compromisso do atrativo com os recursos naturais da Serra da Bodoquena, em especial as nascentes de seus rios, foi primordial para a recuperação da área então degradada em 2008, quando nasceu a Nascente Azul. O processo de recuperação das matas ciliares resultou no plantio de 10 mil mudas de árvores nativas. Outra medida foi a ampliação das áreas de reserva legal dentro da propriedade.

“A proposta do museu nasceu da revolta do que está acontecendo com o nosso meio ambiente, as queimadas, as interferências humanas em nossos rios. Por meio das artes, buscamos a interação do meio com o ser humano, mostrando que é possível harmonizar essa relação e despertar um novo olhar nas pessoas para essa sinergia, além de ser um canal do artista para se expressar”, disse o empresário.

Estátuas ganham forma

Instalado em um lago com cerca de 4 mil metros quadrados e 4 metros de profundidade, o museu integra as obras à natureza existente no ambiente, onde já aconteceu a atividade de mergulho com cilindro, servido de abrigo para as espécies aquáticas.

São águas correntes vindas direto da nascente e abriga uma rica biodiversidade aquática, com peixes de diferentes espécies, como a piraputanga – espécie símbolo de Bonito, abundante em seus mananciais -, o pacu, o lambari, o dourado e o piau.

 

 

 

 

 

“Por sua vez, o ecossistema local e a própria água, que possui uma alta concentração de calcário, vão aos poucos transformar essas peças. As estátuas serão lapidadas de forma única, deixando-as ainda mais interessantes e exclusivas e incorporadas à natureza, trabalhadas em conjunto pelo ser humano e pelo meio ambiente”, explica Rodrigues.


 

Para conhecer o museu subaquático, não precisa ter experiência em mergulho com cilindro, uma das experiências oferecidas pelo atrativo. A empresa observa que, por ser realizado em um ambiente controlado, a atividade não exige curso ou certificado prévio, sendo indicado para iniciativas, inclusive crianças a partir de 10 anos de idade. Os grupos, compostos por até quatro pessoas, são acompanhados por um instrutor credenciado.

“É o único mergulho do Brasil certificado com o ISO 21101 emitido pela ABNT, que trata do sistema de gestão da segurança no turismo de aventura”, informa o proprietário.

Belas e fortes emoções

A Nascente Azul conta com estrutura completa de lazer e ecoturismo: flutuação em águas cristalinas, trilhas para contemplação da mata, passando pelas cachoeiras de tufas calcáreas;  balneário com praia, quiosques e circuito de aventura sobre o lago, pêndulo humano, tirolesa, bar e restaurante, além de vários pontos instagramáveis, que vão fazer sucesso nas suas redes sociais.

Mergunho com cilintro é uma das atividades já oferecidas pelo destino, mesmo para principiantes e crianças

A tirolesa reserva uma das maiores emoções. É a maior de Mato Grosso do Sul, com um percurso de 450 metros de distância, permitindo ao praticante a sensação de voar sobre as cachoeiras e as árvores que compõe este paradisíaco cenário natural. A uma velocidade máxima de 60 km/h na descida. O atrativo oferece ainda tirolesa kids, cascata, piscina ecológica e aqualokko, circuíto multi-aventura com oito pontes suspensas.

Como chegar

O acesso a Nascente Azul é feito pela estrada MS-178 (que demanda a Bodoquena), distante 29 quilômetros de Bonito, ou pela BR-262 e MS-319 e MS-178, a partir de Miranda. Telefones: (67) 3255-2297 / (67) 3255-1496 (WhatsApp). Mais informações em: nascenteazul.com.br

Leia Também

Relatos de viagem

Rota das emoções: lugares de ver Deus...

Mais Relatos de Viagem

Megafone

REVITALIZAÇÃO DA LINHA INTERNACIONAL FOMENTA TURISMO DE COMPRAS

SÍLVIO DE ANDRADE

Vídeos

Bonito é referência nacional em saneamento

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Teses e antíteses ou todo fogo no Pantanal é agropastoril!

MANOEL MARTINS ALMEIDA

Fantástico, o Show da Morte!

THOMAZ LIPPARELLI

Pantanal, uma história que se repete