sexta, 19 de julho de 2024
TURISMO ESOTÉRICO

Lamas fazem meditação e contemplação no Pantanal e Bodoquena

02 AGO 2017 - 06h00Por Sílvio Andrade

Cenários de ambientes que inspiram muita paz e magnetismo do Pantanal e Serra da Bodoquena, formados por espaços abertos e estrelados, água e belezas naturais, começam a atrair um novo tipo de turismo em Mato Grosso do Sul: o esotérico. Um grupo de doze pessoas, incluindo dois casais de lamas budistas da Nova Zelândia, visitará estes lugares por uma semana, cuja viagem teve início nesta terça-feira.

A viagem está sendo organizada pela empresária de turismo de Miranda, Fátima Cordella, uma das pioneiras no setor, com o apoio do Governo do Estado, por meio da Fundação de Turismo (Fundtur). O turismo esotérico, ou “esoturismo”, está em moda em todo o mundo e movimenta milhões de pessoas. No Estado, existem roteiros em Bonito e empreendimentos de meditação e contemplação em Corquinho, os quais atraem ufólogos e curiosos do misticismo.

“É um novo produto, que está pronto, temos a natureza e lugares completamente zen”, afirma Cordella, entusiasmada com a nova experiência em sua atividade. “O canal está aberto, temos cenários intocados, de beleza ímpar, as águas mais cristalinas com vida animal e vegetal do mundo, via láctea documental. Além de ser um santuário, o Pantanal é o berço de procriação do continente africano e das Américas”, completa.

Polos de boa energia

Segundo a empresária, o esoturismo vai dominar lugares onde a natureza se encontra plena e Mato Grosso do Sul será um desses polos energéticos da Terra de atração de praticantes de todo o mundo, concentrando-se nos dois biomas – Pantanal e Bodoquena. “Apostamos nos ecossistemas, são o novo canal para o mundo, dentro dessa visão cósmica, e já se organiza um seminário em Campo Grande para discutir o tema e envolver comunidades”, diz ela.

O grupo de meditação que visitará o Estado, em sua maioria formada por membros brasileiros da prática do “mindfulness” (atenção plena), oriundo da tradição e ensinamentos budistas, chega a Campo Grande na segunda-feira, dia 31 de julho. Entre os membros internacionais, estão o casal Tarchin Hearn (Francis Hearn) e  Mary Jenkins e Jangchub Reid, lamas da Nova Zelândia.

Referências naturais

Ambientes cênicos de MS atraem um forte imã de magnetismo: na rota do esoturismo

A partir da experiência com a vinda desse grupo, segundo o diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS (Fundtur), Bruno Wendling, o Estado – governo e trade – poderá trabalhar melhor o produto, considerando as demandas desse mercado, que é específico e ainda pouco abrangente. Ele enxerga Mato Grosso do Sul com grande potencial para explorar esse novo nicho de mercado, considerando os recursos naturais disponíveis somados a capacidade operacional e oferta de atrativos.

“Temos potencial para sermos competitivos com destinos já consolidados no turismo esotérico, como o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO), pois ainda temos o diferencial da referência em ecoturismo”, disse Wendling, acrescentando que a presença do grupo estrangeiro no Pantanal e Bodoquena apontará de que forma se poderá trabalhar o novo segmento. “É, sem dúvida, mais uma alternativa de demanda que só vem a acrescentar para o setor turístico”, explica.

Amolar, lugar místico

O roteiro para contemplação e medicação começou nesta terça-feira e segue até o dia 4 de agosto na Pousada São João, na Estrada Parque, em Corumbá, onde o grupo também acompanhará os modos e a rotina do homem pantaneiro. Em seguida, segue para as reservas Novos Dourados e Acurizal, no Pantanal da Serra do Amolar, norte de Corumbá, um dos lugares mais belos e místicos do ecossistema, permanecendo até o dia 6. Ambas situadas às margens do Rio Paraguai.

Os lamas e os brasileiros (de São Paulo) concluem as experiências de esoturismo e ecoturismo nos paraísos ecológicos do Estado visitando o Parque Natural do Rio Betione, no Hotel Cachoeiras, Serra da Bodoquena, de 6 a 8 de agosto. Segundo a empresária Fátima Cordella, os lamas budistas retornarão a Campo Grande em 2018, em data ainda a ser agendada, para participarem de um grande evento para praticar o “mindfulness”.

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio na mídia: "Bugio expressa ternura ao ver a irmã com o sobrinho no Pantanal..." É muita masturbação.

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

MARCO MORAES

Não confunda sustentabilidade com ideologia

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Fogo Classe P de Pantanal

HEITOR RODRIGUES FREIRE

Um Caminho