segunda, 20 de setembro de 2021
BOA NOTÍCIA

FOCOS DE CALOR NO PANTANAL REDUZIRAM 87% NO SEMESTRE

Medidas tomadas pelo Governo do Estado e parceiros, como monitoramento do bioma, surtem efeitos

24 JUN 2021 - 11h01Por MARCELO ARMÔA/Semagro

As ações implementadas pelo Governo do Estado para a prevenção e o combate aos incêndios florestais em Mato Grosso do Sul já demonstram resultado. De acordo com os dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o número de focos de calor registrados entre os meses de janeiro até 15 de junho de 2021, no Pantanal Sul, foi 87,22% menor em relação ao mesmo período do ano passado. Em todo o Estado, essa redução foi de 66,72%.

Essas informações foram destacadas na primeira reunião do CICOE (Centro Integrado de Coordenação Estadual), composto pela Semagro (secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o Corpo de Bombeiros Militar de MS, o  Instituto de Meio Ambiente deMS (Imasul), a Defesa Civil, o Cemtec/Semagro, a Polícia Militar Ambiental (PMA) e as secretarias de Governo e de Seegurança Pública.

“O CICOE é uma estrutura de governança e gestão estabelecida no PEMIF – Plano Estadual de Manejo Integrado do Fogo, que publicamos em abril. Nesta primeira reunião pudemos observar a evolução das ações no âmbito do Governo do Estado, que já nos mostram que estamos melhor preparados para o combate aos incêndios florestais”, comentou o secretário Jaime Verruck, da Semagro, que coordena o centro integrado.

“Avançamos muito na questão de estabelecer um planejamento muito rígido, já em execução para fazer a prevenção aos incêndios florestais”, acrescenta.

Período mais crítico

De acordo com relatório apresentado pelo tenente-coronel Moreira, do Corpo de Bombeiros, Assessor Militar da Semagro, foram registrados 785 focos de calor em Mato Grosso do Sul de janeiro a 15 de junho de 2021, a maioria deles no bioma Cerrado (60%) e 217 no Pantanal sul-mato-grossense.

“Esse menor número menor de focos de calor em todo o Estado é um resultado visível da nossa ação. Agora, no período mais crítico de incêndios florestais, de agosto a outubro, estamos preparados. Temos uma integração de todas as forças, temos a disponibilização de recursos para o combate e a disposição da coordenação do Corpo de Bombeiros para que eles possam atuar no combate direto e intensivo”, pontuou o titular da Semagro.

Primeira reunião do Centro Integrado de Coordenação Estadual, que monitora e define as ações de cmbate e prevenção aos incêndios. Foto: Saul Schramm

A previsão meteorológica para o segundo semestre de 2021 apresentada pela meteorologista Valesca Fernandes, coordenadora do Cemtec/Semagro (Centro Estadual de Monitoramento do Tempo e do Clima), mostra que o volume de chuvas em Mato Grosso do Sul nos meses de julho, agosto e setembro será de 40% a 50% abaixo do que é esperado para o período, de acordo com o modelo ECMWF.

Decreto de emergência

O Corpo de Bombeiros Militar informou que, além da formação de novos militares e capacitação para o combate aos incêndios florestais, também já está recebendo os veículos e demais equipamentos que estão sendo adquiridos pelo Governo do Estado, num investimento total de R$ 56,6 milhões.

Além disso, vem desenvolvendo cinco operações distintas na Fase Estratégica de Prevenção e Preparação aos Incêndios Florestais (período de março a junho), nas unidades de conservação (Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari , Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro e Estrada Parque Pantanal) e suas zonas de amorteecimento.

“As equipes em campo fazem levantamento estratégico das áreas, treinamento de brigadas e orientações das propriedades rurais dessas áreas”, comentou o tenente-coronel Moreira.

Ao final da reunião, o secretário Jaime Verruck comentou que, com base nos dados apresentados na reunião, o Governo do Estado já avalia a necessidade de ser decretado estado de emergência em alguns municípios.

“Junto com a Defesa Civil identificamos elementos que apontam a necessidade de se decretar estado de emergência em alguns municípios, o que nos facilita em termos de obtenção de recurso. Iremos fazer uma ação muito intensa de conscientização da população, pois estamos em um momento crítico devido à crise hídrica. Temos uma anomalia climática presente e isso vai exigir de todos nós uma ação muito forte”, finalizou.

Leia Também

Relatos de viagem

Rota das emoções: lugares de ver Deus...

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O turista estrangeiro que vier a Bonito e ao Pantanal e não avistar uma arara, uma sucuri, um peixe e uma onça-pintada a gente devolve seu dinheiro

Gilson Machado, ministro do Turismo, em MS

Vídeos

Campanha MS 'Desbravador de Destinos'

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Os incêndios no Pantanal e seu enfrentamento

RENATA FRANCO

Mudanças climáticas vão impactar a vida do brasileiro, muito mais do que se imagina!

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Errar é humano, persistir...Loucura ou método?