domingo, 05 de abril de 2020
CENÁRIO

Em queda, fluxo turístico em Bonito preocupa o trade

21 JUN 2017 - 22h01Por Sílvio Andrade

Principal destino de ecoturismo do Brasil, Bonito já não atrai a quantidade de turistas de outras épocas, e agora, com a crise econômica, o fluxo de visitantes está em queda acentuada, gerando um cenário de incertezas no trade. Nos cinco primeiros meses, a cidade recebeu menos 10 mil turistas em relação ao mesmo período de 2016.

“É uma situação muito preocupante”, aponta o presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau, Rodrigo Coinete. “Mesmo com a redução tarifária, as reservas para os próximos meses estão caindo significativamente e não sabemos o que vai acontecer. Aliás, nem os próprios turistas sabem qual será o cenário futuro do país”, acrescenta.

Outra constatação, segundo Coinete, é a queda também no consumo médio por turista no setor de alimentação. O prejuízo é distribuído por toda a cadeia do turismo e o setor já busca uma reação, com o apoio do Convention & Visitors Bureau. “Estamos focando a captação de grandes eventos para Bonito nesse período”, adiantou.

Taxa de ocupação

A temporada de turismo em Bonito é dividida entre três meses de alta (julho, dezembro e janeiro) e nove meses de baixa. No mês de janeiro, segundo o desempenho da hotelaria divulgado pelo Observatório do Turismo, a taxa de ocupação foi de 71%, inferior ao mesmo mês de 2016 (81%). Apenas o mês de março (45%) superou o mesmo período do ano passado (40%).

Número de visitantes à Gruta do Lago Azul sofreu queda de 50% no comparativo entre os meses de janeiro e maio. Foto Rico

De janeiro a maio, segundo o Observatório do Turismo, a capital do ecoturismo recebeu 82.648 turistas, em queda, mas acima de 2015 (80.523), um ano também difícil. Em 2016, o número de visitantes no período foi de 92.418 pessoas.

O balneário municipal com seu aquário natural foi o local mais visitado nestes cinco meses, mas o fluxo de turistas caiu de 11.772, em abril, para 3.117, em maio. A visitação na Gruta do Lago Azul também caiu vertiginosamente: 13.8982, em janeiro, e 6.092, em maio, representando taxas de ocupação de 92% e 44%.

Estratégias

O Convention & Visitors Bureau tem realizado forte campanha, por meio de seu site, mostrando que a cidade “conta com uma infraestrutura de excelência para eventos, a tranquilidade do interior e maior índice de segurança do Estado”.

Com belezas naturais que atraem visitantes do mundo inteiro, Bonito conta com um aeroporto para aviões de grande porte, um moderno centro de convenções para até 2.000 pessoas e rede hoteleira com mais de cinco mil e quatrocentos leitos de diversas categorias.

A passagem do próximo Rally dos Sertões pelo Mato Grosso do Sul, comemorando 25 anos, é um alento para o trade turístico. A prova da edição histórica da competição finaliza em Bonito, no dia 26 de agosto, e deverá atrair muitos turistas, além da divulgação do destino dentro e fora do país.

Em abril, de 4 a 6, o município participou da World Travel Market Latin America, uma das maiores feiras de turismo do mundo, com a presença do secretário de Turismo, Augusto Mariano. Ele divulgou o potencial do município como destino turístico de destaque, com as suas múltiplas opções de passeios, serviços, hospedagem, transporte, gastronomia e passeios turísticos.

Além do trabalho de divulgação, o secretário proferiu palestras para operadores de turismo latino-americanos através do programa "Apresentação dos Destinos Sustentáveis do Brasil", promovido pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), bem como participou de um encontro exclusivo com os próprios operadores.

Mais informações: www.bcvb.com.br, ou pelo telefone (67) 3255-220

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Pesque, solte e volte sempre!

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Tordinhos do entardecer

XICO GRAZIANO

Ecologistas precisam evoluir sobre turismo natural

FRANCISCO OLIVEIRA

Trabalho informal nos lixões: um risco à vida dos catadores