sexta, 19 de julho de 2024
PRODUÇÃO

Documentário do Bando do Velho Jack estreia dia 13

09 JUL 2024 - 11h30Por REDAÇÃO

A trajetória de quase três décadas do hoje quarteto formado, por Rodrigo Tozzette, Marcos Yallouz, Fábio "Corvo" Terra e Alex "Fralda" Cavalheri, é agora enredo para o curta-metragem “Noites em Claro – Palavras do Bando do Velho Jack”, dirigido pela jornalista e publicitária, Gabriela Dias, que trabalhou durante quase cinco anos na construção do documentário - https://noitesemclaro.com.br/ . 

O curta finalmente estreia no próximo sábado, justamente no Dia Mundial do Rock (13 de julho), às 19 horas, em programação no Shopping Bosque dos Ipês, em Campo Grande.

Há 29 anos, O Bando do Velho Jack - https://www.instagram.com/obandodovelhojackoficial/ -  iniciava um novo capítulo na história da música no Brasil Central com seu repertório embebido no southern rock, subgênero do rock característico da região Sul dos Estados Unidos, a partir de influências básicas do blues e da country music. 

A Banda imprimiu sua essência na cultura sul-mato-grossense com estética e riffs executados por um quarteto instrumental (baixo, guitarra, teclado e bateria) e vozes, consagrando pérolas como a autoral “Palavras Erradas” e a versão rock de “Trem do Pantanal”, clássico de Paulo Simões e Geraldo Roca, imortalizado por Almir Sater. 

Produção independente

Gabriela Dias carrega em seu currículo obras audiovisuais multiplataformas, boa parte capitaneada por sua agência/oficina RBM, além da experiência de vários anos como editora de imagens em televisão. O nome do curta foi pinçado da letra de “Palavras Erradas”, balada blues assinada por “Corvo”, consagrada hoje como uma espécie de hino do rock guaicuru - https://www.youtube.com/watch?v=YoPgN6OD-z8.  

Bastidores do documentário: depoimentos sobre as quase três décadas da banda

Além dos membros da banda, o documentário procura ouvir alguns artistas que influenciaram e conviveram ao longo do tempo com a história e a música do Bando do Velho Jack, como Miska Thomé, Guilherme Cruz, Geraldo Espíndola, Paulo Simões, além do lendário e um dos precursores do rock brasileiro, Oswaldo Vecchione, fundador, nos anos 1960, da longeva banda Made in Brazil, em atividade até hoje no cenário musical de São Paulo e pioneira no conceito de ‘banda pesada’ aqui no Brasil,  com pegada hard/heavy. 

O filme é uma produção independente viabilizada com incentivos da Lei Paulo Gustavo, através da prefeitura de Campo Grande, via secretaria municipal de Cultura e Turismo (Sectur). O projeto conta ainda com o patrocínio da Energisa MS e apoios do Old Sheep Steak Bar e Shopping Bosque dos Ipês.

A produção executiva e o roteiro do curta-metragem de 15 minutos têm a assinatura do publicitário Felipe Mesquita Duarte. O jornalista e radialista Clayton Sales liderou o trabalho de pesquisa e dá voz à narração da obra. “Não temos a pretensão de esgotar a história do Bando do Velho Jack em 15 minutos. Isso seria impossível. Queremos sim provocar debates e ajudar a resgatar conexões importantes para a memória da música regional e nacional”, observa a diretora.

No Dia do Rock

O lançamento oficial do documentário acontecerá no sábado, 13 de julho (Dia Mundial do Rock), às 19 horas, no Shopping Bosque dos Ipês, em Campo Grande. Será a principal atração da exposição “Rock Cine”, que acontecerá próximo à entrada A.  

O espaço instagramável destacará 10 grandes momentos do rock no cinema, uma seção com os elementos que compuseram a narrativa documental do “Noites em Claro” e o mapa mental elaborado pela diretora durante o processo de produzir o curta-metragem que resume a história do Bando do Velho Jack.

Além disso, a mostra terá amplo acervo: quadros assimétricos com fotografias do making-of, arquivos da história da banda, recortes de jornais antigos com reportagens, revistas em quais o grupo foi destaque, fotos antigas e a discografia completa.

A exposição estará aberta até o dia 30 de agosto, no Shopping Bosque dos Ipês. As exibições do curta, por sua vez, acontecerão nos finais de semana.

Leia Também

Relatos de viagem

Gabi viveu o deserto e o céu mais estrelado do mundo

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Leio na mídia: "Bugio expressa ternura ao ver a irmã com o sobrinho no Pantanal..." É muita masturbação.

Silvio de Andrade, jornalista

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

MARCO MORAES

Não confunda sustentabilidade com ideologia

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Fogo Classe P de Pantanal

HEITOR RODRIGUES FREIRE

Um Caminho