quarta, 01 de abril de 2020
CAPITAL

Córrego Prosa terá represa para controle de enchentes

13 JUL 2017 - 21h50Por Redação

Parceria da prefeitura de Campo Grande com o Shopping Campo Grande garantirá a construção, ainda neste mês, de uma barragem no Córrego Prosa, dentro da Praça das Águas, localizada nos altos da Avenida Afonso Pena.

A represa terá capacidade de reter mais de 22 milhões de litros (22.515.26 metros cúbicos) e integra o conjunto de obras recomendadas no plano diretor de drenagem para controle de enchentes na Bacia do Prosa.

O plano, elaborado em 2008, prevê a retenção, ao longo da bacia, de 205 mil milhões de litros em várias barragens. Esta obra na Praça das Águas vai aumentar em 22% a atual capacidade de retenção na Bacia do Prosa, que é de 98 milhões de litros, distribuídas em cinco barragens construídas no Sóter (afluente do Prosa).

A obra deve ser executada em um ano e está orçada em R$ 800 mil. Ela será custeada integralmente pela empresa proprietária do Shopping Campo Grande, que no dia 21 de janeiro assinou um termo de compromisso com a prefeitura.

Represa

Um estudo desenvolvido pela prefeitura em toda a área do shopping, abrangendo também um terreno vizinho, na esquina da Afonso Pena com a Rua Ceará, definiu a necessidade da construção de uma represa para reter seis milhões de litros de água, diante do impacto dos empreendimentos.

Se a represa fosse construída no próprio terreno, reduziria a  área de edificação, diminuindo em consequência o potencial de retorno do investimento. Houve, então, uma negociação na qual a prefeitura cede a área pública na Praça das Águas, onde está planejada a represa, e em contrapartida a empresa vai executar uma represa maior, com quase quatro vezes a capacidade de retenção que seria obrigada a construir.

Projeto

A represa de retenção que será construída na Praça das Águas terá seis metros de altura, com 302 metros de largura, e a água se espalhando (a chamada de espelho) por 9.489,69 metros quadrados.  A configuração do projeto não prevê a formação de um lago artificial porque a represa vai se esvaziar tão logo pare de chover.

O retardamento do escoamento da chuva que vem das cabeceiras vai contribuir para minimizar os efeitos do  transbordamento do córrego mais à frente, principalmente na região do cruzamento da Avenida Ricardo Brandão com a Rua Bahia, impactada pelo Córrego Vendas (afluente do Prosa).

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A natureza não negocia e a física não faz acordos

Greta Thunberg, ao Parlamento Europeu

Vídeos

Pesque, solte e volte sempre!

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Tordinhos do entardecer

XICO GRAZIANO

Ecologistas precisam evoluir sobre turismo natural

FRANCISCO OLIVEIRA

Trabalho informal nos lixões: um risco à vida dos catadores