quinta, 15 de abril de 2021
ESTUDO

CONCESSÃO DE PARQUES EM MS

30 DEZ 2020 - 21h52Por SÍLVIO DE ANDRADE

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, assinou contrato com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para iniciar os estudos de viabilidade visando a concessão de cinco parques estaduais, buscando, assim, propiciar a utilização sustentável de seus espaços públicos pela população. Por meio desta parceria o Estado pretende valorizar suas riquezas naturais e culturais e ao mesmo tempo preservar o meio ambiente.

O extrato do contrato foi publicado na edição desta quarta-feira (30) do DOE (Diário Oficial Eletrônico) e tem por objeto a prestação de serviços de “apoio, avaliação, estruturação e implementação de projetos visando à concessão dos serviços públicos ou de uso de bem público com delegação de serviços de apoio à visitação, à revitalização, à modernização, à operação e à manutenção dos serviços turísticos nas unidades de conservação”.

No contrato firmado foram incluídas cinco unidades de conservação candidatas à concessão e que terão estudo de viabilidade financiado pelo BNDES, com conclusão prevista para o final do ano de 2021: Parque Estadual Várzeas do Rio Ivinhema, Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari, Parque Estadual do Prosa, Parque das Nações Indígenas e o Monumento Natural Gruta do Lago Azul de Bonito.

Parque das Nações Indígenas. Foto: Edemir Rodrigues

Agenda sustentável

Confirmada a viabilidade do projeto que analisa quesitos como logística, infraestrutura existente e atratividade, será definido o modelo de concessão a ser adotado. A ideia não é tornar as unidades de conservação fontes de renda, mas sim oferecer à população a oportunidade de interagir com a natureza, desfrutar dos parques e, com isso, aprender e ajudar a conservar a natureza com uma infraestrutura mais adequada ao usuário, conforme explicou Ricardo Senna, secretário-adjunto da Semagro (secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

“O Estado está dando um grande passo para promover a conservação dos recursos naturais aliada ao desenvolvimento econômico, aproveitando melhor o potencial destas unidades muito além dos seus serviços ambientais (biodiversidade, qualidade da água, etc)”, disse Senna. “O uso público destes espaços corrobora com a tendência hoje das pessoas em buscar áreas verdes para praticar trilhas, caminhada, espiritualidade, entre outras atividades.”

O secretário-adjunto lembrou que a proposta de concessão dos parques à iniciativa privada nasceu em 2018, com a realização de um seminário coordenado pela Semagro, cuja iniciativa atraiu o interesse do BNDES, que hoje financia estudos der viabilidade de 36 unidades de conservação em nove estados, dentre os quais Mato Grosso do Sul. “O projeto compreende a consolidação de parte importante da agenda ambiental do Governo do Estado”, enfatizou.

Gruta do Lago Azul, atualmente administrada pela prefeitura de Bonito. Foto: Sílvio de Andrdade

Modelos inovadores

Segundo a secretária especial Eliane Detoni, do Escritório de Parcerias Estratégicas (EPE), vinculado à secretaria de Governo e Gestão Estratégica (Segov), esse projeto tem total aderência a agenda do Estado para o desenvolvimento sustentável. “Mato Grosso do Sul está comprometido com os ODS da ONU, a exemplo da PPP de esgotamento sanitário e dos projetos de energia renovável e inclusão digital para 2021. Essa será mais uma parceria de sucesso com o BNDES que resultará em modelos de gestão inovadores e sustentáveis para geração de renda e desenvolvimento regional do nosso Estado”, disse.

O programa desenvolvido pelo BNDES possibilitará a formação de uma carteira de projetos robusta, atração de novos investidores de forma consistente e a alavancagem da agenda do setor, com foco em preservação ambiental, turismo sustentável e geração de renda e desenvolvimento regional. Além dos cinco parques, o programa inclui o Parque Nacional da Serra da Bodoquena, administrado pelo ICMBio. Já o Parque Estadual do Pantanal de Rio Negro também deve passar por estudo de viabilidade visando à concessão, porém via Ministério do Turismo.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Bonito Seguro - Pronto para te receber!

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa