segunda, 02 de agosto de 2021
APOIO FINANCEIRO

COM INCENTIVOS DO GOVERNO COXIM APOSTA NA RETOMADA

20 JUL 2021 - 07h59Por ADRIANA QUEIRÓZ

O Governo do Estado lançou no final de junho o "Retomada MS", um mega pacote de R$ 763 milhões que será voltado para a recuperação dos segmentos econômicos da cultura e principalmente do turismo. Os novos benefícios abrangem três eixos (auxílio financeiro, medidas fiscais e microcrédito orientado) - e representam a maior investida contra os impactos econômicos provocados pela pandemia do coronavírus.

O município de Coxim, cidade polo da região Norte de Mato Grosso do Sul, e que possui cerca de 20% de sua matriz econômica pautada no turismo, teve uma redução de cerca de 90% nas atividades pesqueiras, carro-chefe do setor no município, e de 70% nas atividades ecoturísticas no Pantanal, como os passeios fluviais e os safáris 4x4, segundo dados do Centro de Atendimento ao Turista e do Conselho Municipal de Turismo.

De acordo com o promotor de turismo local, o turismólogo Ariel Albrecht, em 2019 o destino recebeu cerca de 500 turistas, e em 2020, esse número caiu para zero. No entanto, segundo ele, com o avanço da vacinação tanto no Brasil quanto na Europa, o setor já começa a dar sinais de recuperação, e espera-se uma retomada razoável já a partir de outubro, também por conta do pacote governamental.

 “Com o avanço da vacinação muitas pessoas já pensam em visitar o nosso país, incluído o Pantanal. Já tenho reservas de passeios nos pantanais de Coxim para outubro, e a procura está aumentando gradativamente”, aposta.

Ecoturismo de contemplação e aventura é um dos principais atrativos de Coxim. Foto: Silas Ismael

Cenário vai mudar

Para Ariel, o apoio do Governo do Estado vem em excelente hora, pois grande parte das empresas e profissionais do turismo já estavam há meses trabalhando com balanço negativo. “O pacote de auxílio deverá amenizar a situação que, aliada ao cenário positivo para a retomada do crescimento dos respectivos segmentos já nos próximos meses, deverá trazer novo ânimo às empresas e profissionais da cultura e do turismo em Mato Grosso do Sul”, diz o turismólogo, refletindo o otimismo de todo o trade.

Os recursos do Retomada MS serão destinados aos setores de bares, restaurantes e similares, hotéis e outros meios de hospedagem, eventos e profissionais autônomos em geral que foram prejudicados pelas medidas de restrição de mobilidade.

Em Coxim, no segmento do turismo estima-se que cerca 80 empresas (hotéis, pousadas e similares, ranchos legalizados, restaurantes, lanchonetes, bares e similares, transportadores, guias de turismo, agência e operadores de turismo) preencham os pré-requisitos necessários à solicitação do apoio, segundo dados da secretaria municipal de Desenvolvimento Sustentável.

Com a Lei 185/2021, o programa “Incentiva+MS Turismo”, beneficiará durante seis meses, guias turísticos (pessoas físicas) que poderão receber um auxílio emergencial de R$ 1 mil por mês. Neste caso, a iniciativa também contempla microempreendedores Individuais (MEIs) e Microempresas (MEs).

Coxim é um dos polos de pesca esportiva

Arte da sobrevivência

No segmento cultural, Coxim tem cerca de 220 profissionais inscritos no Cadastro Municipal de Artistas, Produtores Culturais e Trabalhadores da Cultura que poderão pleitear os benefícios.

Para os trabalhadores da cultura, a Lei 186/2021 garante que através do programa “MS Cultura Cidadã”, artistas, contadores de histórias, produtores, técnicos, curadores, oficineiros, professores de escolas de artes e capoeira, designers de moda, dentre outros, recebam o apoio de R$ 1.800, a serem pagos em três parcelas iguais e sucessivas de R$ 600.

No ano passado, 46 profissionais foram beneficiados em três editais da Lei Aldir Blanc, entre eles o mestre em capoeira Pernalonga, que além de ter o espaço Nação Primitiva, com cerca de 40 alunos, onde desenvolve suas atividades, também realiza projetos voluntários nas escolas do município.

“Nesse momento que foi tão crítico, a gente sem poder trabalhar a dar continuidade aos nossos trabalhos, esse auxílio ajudou bastante os produtores culturais, as pessoas que vivem da cultura, não só eu na área da capoeira, mas todos os segmentos culturais. Só tenho a agradecer ao Governo do Estado por esse apoio, por ter me ajudado a investir no espaço Nação Primitiva e de alguma forma pude estar ampliando melhor o meu trabalho”, reconhece.

Também beneficiado com a Lei Aldir Blanc o artista e professor de dança, Marcelo Mariano, que tem um estúdio de dança e teve, foi obrigado a paralisar as atividades por conta da pandemia. Formado em Educação Física, mas há 35 anos atua no campo das artes cênicas e dança, ele conta que viver da arte nunca foi fácil, mas passar por essa pandemia foi viver uma arte diária de sobrevivência.

“Sem dúvidas o benefício ajudou. Tive que parar com as atividades e minha renda foi a zero durante todo o ano de 2020, fui vivendo com doações e ajuda de amigos que se disponibilizaram em pagar contas de água e luz. Foi muito difícil! Pelo menos pra quem vive da arte, bem a passos lentos as coisas estão no início de retornar ao normal”, conta.

Leia Também

Relatos de viagem

Rota das emoções: lugares de ver Deus...

Mais Relatos de Viagem

Megafone

É a nova Genesis, o pantaneiro deixou de ser invisível

Pantaneiro Armando Lacerda, sobre a chegada da energia elétrica no Pantanal

Vídeos

Embratur promove o turismo doméstico

Mais Vídeos

Eco Debate

LUIZ AUGUSTO PEREIRA DE ALMEIDA

O paradoxo das águas

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Maraboho

FELIPE BARROSO

Alerta ao marco legal do saneamento: desafios em prol do meio ambiente