quinta, 15 de abril de 2021
ATROPELAMENTO

“capifaixas” alertam: presença de capivaras em lagoa!

15 FEV 2020 - 15h43Por REDAÇÃO

O número de animais mortos por atropelamento no mundo ao tentar cruzar estradas e rodovias, todos os dias, é assustador.

Só no Brasil, segundo o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), 15 deles perdem a vida nessa situação a cada segundo. Por dia, o número chega a quase 1,3 milhão. E por ano, o resultado final fica próximo de 475 milhões.

E esse é um problema que acontece também dentro de cidades, no perímetro urbano, geralmente, próximo a parques e rios, onde há vida selvagem.

Para reduzir o número de atropelamentos de capivaras em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, a prefeitura decidiu pintar ‘capifaixas‘ próximo à Lagoa Maior, local onde vivem muitos animais dessa espécie. Só no ano passado, 15 delas perderam a vida ao tentar cruzar as ruas próximas à lagoa.

Patas gigantes

A faixa de sinalização educativa é amarela e possui patas gigantes de capivaras – uma maneira criativa de chamar a atenção dos motoristas.

Além das ‘capifaixas’, também foram instaladas placas no entorno da Lagoa Maior alertando sobre a presença e trânsito desses animais.

Maior roedor terrestre, a capivara adora água. Precisa dela para manter sua pele úmida. Por isso mesmo, este simpático animal pode ser visto sempre próximo a rios, córregos, lagoas e pântanos.

A espécie, que pode ser encontrada ao longo de todos os países da América do Sul (com exceção do Chile), é bastante resistente e por esta razão, se adaptou bem à vida urbana.

Criatividade

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Agronegócio, Toniel Fernandes, essas faixas são exclusivamente para chamar a atenção dos motoristas.

“O nosso objetivo é reduzir ou até mesmo zerar o número de acidentes e atropelamentos de capivaras na Circular da Lagoa. Por isso, inovamos e usamos a criatividade para alertar quem transita na região”, explicou.

Serão três “capifaixas” pintadas, nos trechos em que há maior índice de atropelamentos, sendo uma frente à pista de skate e duas próximas ao Hotel OT.

Uma ideia que poderia copiada pela prefeitura de Campo Grande e pela administração do Parque dos Poderes, onde ocorre maior incidência de capivaras.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Bonito Seguro - Pronto para te receber!

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa