segunda, 20 de setembro de 2021
GOVERNO

AMBIENTALISTAS APOIAM MEDIDAS PARA TRANSFORMAR MS EM ESTADO CARBONO NEUTRO

14 SET 2021 - 10h24Por LEONARDO ROCHA

Com foco na redução do aquecimento global e preservação do meio ambiente, instituições e ambientalista elogiaram as medidas lançada pelo governo para tornar Mato Grosso do Sul estado de carbono neutro até 2030, que significa mitigar todas as emissões de gases causadores do efeito estufa, dentro do próprio território.

Uma das medidas é o financiamento de projetos científicos que possam ajudar na neutralização dos gases que prejudicam o meio ambiente. O edital da Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado) lançado pelo governador Reinaldo Azambuja prevê R$ 4 milhões de investimento.

“Com certeza são medidas bem-vindas e que são de extrema importância, sendo mais uma alternativa para tratar da questão do clima. Precisamos potencializar estes projetos que visam proteger o meio ambiente, estamos por exemplo diante de uma crise hídrica”, destacou o diretor-executivo do SOS Pantanal, Felipe Dias.

Reinaldo Azambuja lança o programa, ao lado dos secrerários Eduardo Riedel (Seinfra) e Jaime Verruck (Semagro). Foto: Chico Ribeiro

O presidente da Ecoa, André Luiz Siqueira, parabenizou a política do Estado de colocar a agenda de mudanças climáticas entre suas prioridades. "O Estado vem se alinhado com as políticas globais, e avança em uma agenda mais proeminente”, comentou.

Acelerar soluções

“É fundamental citar que o Estado vem sofrendo com crises hídricas que tem relação direta com o clima, e o governo se preparou para enfrentar esta questão, como nos incêndios florestais. Ele consegue entender o problema macro, para criar as soluções locais. Quem ganha somos todos nós. Carbono zero é uma política de governo importante.”

Fábio Bolzan, consultor associado da Wetlands International Brasil, destacou que estas medidas anunciadas pelo governo estadual seguem uma política adotada desde o início da atual gestão. “Parabenizo e vejo com bons olhos estas ações e projetos do governo que vai de encontro com nossos objetivos que visam o bem-estar da população”.

Bolzan citou que o edital lançado pelo governo vai de encontro com importantes iniciativas internacionais em favor do meio ambiente. “Tem a mesma sintonia da iniciativa 20x20, que visa à recuperação de 20 milhões de hectares de áreas produtivas na América Latina e Caribe”, descreveu.

A especialista de conservação do WWF-Brasil, Júlia Correa Boock, também elogiou o lançamento do governo. "O WWF-Brasil reconhece a importância de iniciativas como o edital publicado, que busca acelerar soluções e inovação para a reversão das curvas de emissões de gases de efeito estufa que causam as mudanças climáticas. Devemos investir em ciência e tecnologia para alcançar resultados em escala de maneira urgente, pois já sentimos os efeitos das mudanças no planeta", 0bservou.

Sustentabilidade

O governador Reinaldo Azambuja afirmou que faz parte do planejamento estratégico transformar o estado em carbono neutro até 2030. “Temos visto os efeitos causados pelo aquecimento global: secas extremas em algumas regiões, excesso de chuva em outras, e até frio em lugares atípicos. Isso desperta compromisso com a agenda da sustentabilidade”, afirmou.

Estiagem prolongada no Pantanal: maior crise hídrica seca lagoas e baías que sustentam a fauna e comunidades tradicionais. Foto: Sílvio de Andrade

Ainda destacou que o Estado vai focar neste objetivo, que é reduzir a emissão de gases que prejudicam o meio ambiente e provocam o efeito estufa. “Mato Grosso do Sul está focado nisso. Negar o aquecimento global é negar a evolução da ciência e a importância que os países têm dado à essa agenda”, ponderou.

Lavoura_pecuária-floresta

Para o secretário estadual Jaime Verruck, titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), este compromisso em tornar o estado carbono neutro vem sendo desenvolvido desde 2016, com várias iniciativas com foco no desenvolvimento sustentável.

“Temos programas como Prósolo, Carne Orgânica do Pantanal, Plano Integração Lavoura-Pecuária-Floresta e Ilumina Pantanal, que seguem nesta direção e uma lei estadual de mudanças climáticas. O edital (Fundect) vai trazer a comunidade científica para fazer a avaliação de como está a situação atual do inventário de emissão de carbono no Estado”, ressaltou o secretário.

Sobre o edital da Fundect podem participar pesquisadores vinculados às Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) e empresas que executam atividades de pesquisa em Ciência, Tecnologia e Inovação.

Leia Também

Relatos de viagem

Rota das emoções: lugares de ver Deus...

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O turista estrangeiro que vier a Bonito e ao Pantanal e não avistar uma arara, uma sucuri, um peixe e uma onça-pintada a gente devolve seu dinheiro

Gilson Machado, ministro do Turismo, em MS

Vídeos

Campanha MS 'Desbravador de Destinos'

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Os incêndios no Pantanal e seu enfrentamento

RENATA FRANCO

Mudanças climáticas vão impactar a vida do brasileiro, muito mais do que se imagina!

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Errar é humano, persistir...Loucura ou método?