terça, 20 de abril de 2021
PARQUES

Ações de estímulo ao turismo cresceram 10 vezes em 2020

28 NOV 2020 - 06h26Por REDAÇÃO

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, desde o final de 2019, ficou mais fácil prestar serviços em parques nacionais. Avanços em gestão e regulamentação no ICMBio removeram a burocracia e tornaram mais claras as regras para viabilizar serviços turísticos como condução de visitantes, transporte, alimentação, aluguel de equipamentos e atividades esportivas em parques nacionais.

Por comparação, entre 2010 e 2019, o ICMBio publicou em média 2,7 editais por ano autorizando a prestação de serviços turísticos. Em 2020, foram 27 editais publicados até novembro, um aumento de dez vezes em relação à média histórica.

Sob a agenda de promoção de ecoturismo do Ministério do Meio Ambiente, parques nacionais como São Joaquim, Descobrimento e Ubajara abriram editais para guias turísticos. Costa dos Corais e Abrolhos tiveram editais para transporte aquaviário, enquanto as florestas nacionais de Ipanema e de Brasília abriram editais para comércio de alimentos para os visitantes.

Parte do avanço se deve ao tempo entre a elaboração e a publicação do edital. Antes, esse período ultrapassava um ano, em média. Depois das medidas do ICMBio, o tempo caiu para menos de dois meses.

Envolvimento

A importância desses resultados vai além dos empregos diretos, gerados dentro dos parques, e dos empregos indiretos, gerados ao longo de toda a cadeia do ecoturismo, dinamizada pelo aumento da visitação. O aquecimento do setor contribui, principalmente, para a proteção ambiental, envolvendo as comunidades da região na conservação dos parques.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável

Mahatma Gandhi

Vídeos

Programa Pesca & Amizade, com Marun

Mais Vídeos

Eco Debate

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Páscoa 2021 no Pantanal

MÁRIO WILLIAM ESPER

Abundância de água, escassez de investimentos

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Uma realidade vergonhosa