sexta, 24 de maio de 2024

A vida

12 MAI 2023 - 17h35Por HEITOR RODRIGUES FREIRE

Este é um tema recorrente em meus escritos. Constantemente estou me reportando a ele, pela importância que representa e para que cada um de nós, possa aprender, como eu estou fazendo, aprendendo e praticando e ao mesmo tempo, difundindo a Lei de Uso, que determina que o conhecimento e a riqueza devem circular.  

Decifrar o significado da vida é um enigma a que todos devemos dedicar-nos, para procurar entender o que somos e o que estamos fazendo aqui.

Aprendi que a força vital que envolve tudo e a todos, está presente em todos os quadrantes de todos os Universos. É latente em tudo e em cada um de nós. A questão é saber como manifestá-la. Está dentro de cada um. E a chave para desperta-la é o Amor. Não tem outra.

A vida, muitas vezes é desperdiçada por falta de entendimento. Encarnamos e reencarnamos incontáveis vezes. Teremos inúmeras chances de recuperação. É o meio que Deus concebeu para que cada um possa ter as oportunidades necessárias e sucessivas para o seu aprimoramento pessoal. Considero anacrônico admitir que numa só encarnação o espírito teria oportunidade para aprender e evoluir. O universo é infinito!

Não importa onde estivemos, ou quão baixo tenhamos caído, com a ajuda de Deus, podemos olhar para nós mesmos, fazer reparações e começar de novo. Às vezes, repetidas vezes. As chances são inúmeras.  O que quase sempre ocorre é a falta de um aproveitamento adequado. Vivemos grande parte da nossa vida, afobados. A riqueza infinita envolve todo o Universo. E está à disposição de cada um.

Passamos o dia em função do dinheiro: trabalhando, comprando, vendendo, procurando amealhar um patrimônio que, muitas vezes é causa de disputa, discórdia, separação, cisão familiar. O dinheiro é uma criação divina para facilitar nossas vidas. O que não deve acontecer é dar-lhe uma dimensão exagerada.

“Es tán triste el amor a las cosas; las cosas no saben que uno existe”. Jorge Luiz Borges.
E qual o aproveitamento disso tudo?

Recebemos 24 horas por dia – nosso capital diário, infinito –, das quais a esmagadora maioria é gasta dormindo, nos transportes, procurando uma vaga para estacionar, esperando na fila, examinando a correspondência, ouvindo discursos, inventando desculpas, batendo papo, fazendo depósitos, fazendo retiradas. E então, dificilmente encontramos tempo para aquilo que realmente é necessário, fundamental.

Deus tem várias maneiras de nos despertar. É preciso acordar. Quanto antes, melhor para nós mesmos. Sempre haverá uma nova chance. Nós também queremos plenitude, riqueza e serenidade em nossas vidas, verdadeira proximidade em nossos relacionamentos. Para isso, temos que acionar nosso mecanismo interior, cuja chave, repito, é o Amor. Como Paulo, ensinou magistralmente na 1ª Carta aos Coríntios, capítulo 13, vv.12 e 13:

“...

12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor”.

Quem tem que remover os obstáculos para podermos alcançar a evolução, o bem estar físico, espiritual e emocional, somos nós mesmos. Ninguém poderá fazer por nós. Da mesma maneira que ninguém pode alimentar-se por nós, também na nossa evolução a ação tem que ser própria, individual. Familiarizar-nos com nosso verdadeiro eu, promovendo nossa conexão com Deus.

Nós que procuramos recuperação e crescimento pessoal devemos nos esforçar para avaliar-nos diariamente, fazendo um inventário pessoal e prontamente admitindo quando estamos errados. Temos permissão para cometer erros. Mas, por uma questão elementar de inteligência e consciência, não devemos persistir no erro. Receberemos segundas, terceiras, quartas, n chances. Mas nem por isso, devemos negligenciar as oportunidades.

Ou seja, aprender que a vida, transcorre no AGORA, no presente. O passado já foi, muitas vezes deixando um espólio de dívidas a resgatar – e que, necessariamente deverá ser resgatado, a tempo e hora e por meios adequados –, e o futuro não chega nunca.

Vamos decifrar esse enigma para proveito nosso.

(*) Corretor de imóveis e advogado

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O meio ambientalismo nunca preocupou-se com o meio ambiente. Suas ações são histéricas ou fanáticas em defender interesses inconfessos

Armando Arruda Lacerda, pantaneiro

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos