sexta, 24 de maio de 2024
POLÊMICA

'Turista brasileiro é como poodle', afirma gerente do maior centro de esqui do Chile

05 SET 2023 - 10h26Por VEJA GENTE/REDAÇÃO

Rodrigo Côrtes, gerente de operações hoteleiras dos três hotéis que formam o Valle Nevado Ski Resort, além dos nove bares e restaurantes, trabalha há 15 anos no point de inverno dos brasileiros no Chile. Amante da montanha, já viveu na Espanha, em Portugal e na Itália. Esta temporada marca o fim do processo de recuperação judicial do complexo de esqui, agora administrado pela americana Mountain Capital Partners (MCP), a mesma que cuida das melhores pistas de neve no Colorado e em Utah, nos Estados Unidos. Em conversa com a coluna Veja Gente, assinada por Valmir Moratelli na Revista Veja, Côrtes relata os choques culturais que há entre os turistas que invadem as montanhas de neve em busca de diversão nesta época do ano e sua declaração sobre os brasileiros causou mal-estar.

A mesma coluna publicou nota da direção do Valle Nevado, assinada pelo gerente geral Ricardo Margulis, onde lamenta o posicionamento em relação aos brasileiros, maior público do complexo. O comunicado: “Lamentamos profundamente os termos com que um de nossos gestores se referiu ao público brasileiro, pois isso não representa em nada os nossos valores, o respeito que temos por todas as pessoas e a forma como historicamente nos relacionamos com os visitantes brasileiros. Em nome do Valle Nevado, pedimos desculpas pelas declarações publicadas na Coluna Gente, da VEJA – veículo de imprensa com o qual mantemos relacionamento profissional e amigável – e reitero que os conceitos utilizados por um de nossos executivos não representam, nem nunca representaram a opinião que temos sobre os brasileiros, que há mais de 30 anos consideramos parte fundamental da família Valle Nevado”.

Com previsão de durar até final de setembro, a temporada de neve no Chile promete resultados positivos, aos patamares de 2019. Os turistas estão ávidos para esquiar ou praticar snowboard na estação de esqui mais favorável logisticamente para os brasileiros: o Valle Nevado Ski Resort está localizado a apenas 60km ou 90 minutos doa aeroporto de Santiago, o que torna possível cair nas pistas ainda no mesmo dia do embarque no Brasil. A estação oferece uma completa infraestrutura de lazer para todas idades, além de ter a maior área esquiável da América Latina. São mais de 40 pistas de esqui e snowboard para diferentes níveis.

A rede hoteleira do Valle Nevado Ski Resort conta com 258 habitações, com 570 camas. Quando a ocupação chega em 100%, recebe até 650 pessoas, com camas adicionais. Valle Nevado é um centro 100% seguro, não tem assalto, segundo Rodrigo Côrtes. “Temos força policial de 100 policiais permanentes. Todos se sentem seguros. As portas ficam abertas”, diz. Além dos hotéis, o complexo conta com onze condomínios, aproximadamente 300 apartamentos. Um pouco mais de 2.000 moradores. “Essas propriedades são somente para quem tem dinheiro. Há ainda os turistas que não dormem no Valle Nevado, preferem algo mais econômico, como ficar em Santiago e subir durante o dia.”

A entrevista do gerente de operações do Valle para a Coluna Gente:

1.    Como vê esse movimento de invasão de brasileiros no Valle Nevado? 

Rodrigo Côrtes: Acredito que o Valle tenha se convertido no centro do Brasil no Chile. Para a gente é um mercado muito importante, ainda mais na parte hoteleira. O mercado brasileiro representa aproximadamente 60% das nossas reservas. Claro que durante a pandemia isso mudou muito, ninguém podia viajar. Mas este ano tivemos uma invasão de brasileiros. É como um segundo Brasil aqui. Nos restaurantes só se escuta falar português. E falam alto. A cultura brasileira é muito mais alegre, como a dos italianos, dá para notar a presença. Nós, chilenos, somos mais calmos e recatados.

2.    O que os brasileiros buscam no Valle Nevado? 

Muitos vêm para a neve, depois aproveitar o hotel. Os brasileiros desfrutam muito do hotel, da piscina, cerveja, vinho, e de nossa gastronomia. 

3.    Por muito tempo o destino turístico de brasileiros no inverno foi Bariloche, na Argentina. Mas, nos últimos anos, Valle Nevado tomou a dianteira nessa preferência. Por quê? 

Concordo, antigamente o brasileiro ia ao sul da Argentina. Descobriram o Valle Nevado. Aqui primeiro temos a condição de neve, por altitude, por altura, isso faz com que seja muito mais seca. É uma neve que esquiadores buscam por todo o mundo. Essa condição faz com que tenhamos a melhor neve. E Valle Nevado oferece uma experiência completa. Alimentação, esqui, mercado, alojamento, serviço e comida. Aqui o turista pode esquiar, tomar algo no bar, depois ir para a piscina.

4.    Como os brasileiros se comportam no dia a dia? 

Bom, por exemplo no café da manhã, que começa às 7h, o turista americano já está na porta às 6h45. Encerramos o café às 10h. O brasileiro costuma chegar às 10h15, batendo na porta, gritando para abrirmos. Não gostam de normas para nada! A gente diz: ‘Senhor, sua reserva é às 19h’, eles chegam às 21h30. Esse comportamento é bem brasileiro. É uma cultura diferente, alegre, menos quadrada. Mas querem desfrutar de tudo sem horários. 

5.    E como lida com isso? 

O brasileiro parece com um poodle, é muito bravo, mas nem tanto. Isso acontece com vocês. Ficam bravos, falam, mas, se falamos que vamos chamar a polícia, aí param, acaba a valentia. São bravos com o garçom, com a recepcionista. Mas quando chega alguma autoridade param.

Leia Também

Relatos de viagem

A decoada, o armau e história de pescador no Pantanal do Nabileque

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O meio ambientalismo nunca preocupou-se com o meio ambiente. Suas ações são histéricas ou fanáticas em defender interesses inconfessos

Armando Arruda Lacerda, pantaneiro

Vídeos

As 10 cidades mais ricas em espécies de aves

Mais Vídeos

Eco Debate

PAULO DE GODOY

Os desafios da sustentabilidade da jornada de dados para IA

ARMANDO ARRUDA LACERDA

Pantaneiros informam: respeitar não é idolatrar animais

FREDERICO BUSSINGER

Água, chuvas, enchentes: Lições aprendidas e a aprender