quinta, 20 de fevereiro de 2020
SIMPÓSIO

Valorização da cultura e preservação do meio ambiente

22 AGO 2017 - 22h11Por Redação

O Centro de Educação Ambiental – CEA Imbirussú foi o local escolhido para sediar o I Simpósio: Campo Grande – Meio Ambiente e Cultura – Saberes, Sabores e Sons – Trajetórias do Pantanal para a Capital.

Por meio da apresentação da cultura regional, estudantes, acadêmicos, professores e a comunidade local conheceram e puderam valorizar o meio em que vivem. O evento também proporcionou momentos de reflexão e integração com as questões ambientais.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, José Marcos da Fonseca, enalteceu esse momento de resgatar a nossa cultura regional voltada à preservação ambiental, cultural e o desenvolvimento sustentável.

“Tudo ao nosso redor integra o meio ambiente, estamos numa constante interação. Desta forma, valorizar a cultura regional é também uma forma de preservar e valorizar o meio ambiente. E queremos aliar isso para o fortalecimento de ações e propostas para um desenvolvimento sustentável”, salientou o titular da Semadur.

Valorizar

Já a secretária-adjunta de Cultura e Turismo, Laura Miranda, destacou o sentimento de orgulho e pertencimento junto à nossa cultura. “É importante unirmos cultura, turismo e meio ambiente, devemos mostrar que nossa cidade é rica em patrimônio cultural, na gastronomia, além da preservação ambiental que reflete no que chamamos de turismo sustentável. E essas futuras gerações devem aprender a valorizar a cultura regional”.

O professor de gastronomia do Senac, Antônio Luiz Santos, apresentou ao público presente algumas particularidades e curiosidades da cultura regional, a influência das culturas de outras nacionalidades que se estabeleceram em Campo Grande além de destacar a cultura pantaneira.

“É importante os jovens se identificarem com a sua cultura para que possam conservar essa riqueza. Observamos em Campo Grande toda essa herança cultural em vários aspectos, principalmente a pantaneira. O sabor, por exemplo, é a introdução à construção cultural da pessoa”, disse Santos.

Resgate

Após a palestra, os participantes saborearam a chipa, além de acompanhar a elaboração do prato tipicamente pantaneiro chamado de Macarrão de Comitiva, que também foi servido. Os ingredientes do prato são macarrão, carne soliada, cebola, alho, sal, urucum, banha de porco e água.

Petrona Benites, da Associação de Moradores do Nova Campo Grande, participou do evento e lembrou que muitas crianças não têm noção da riqueza da nossa cultura.

“Eventos como esse são fundamentais para o regate histórico e cultural. Nossas crianças estão perdendo esse contato com a cultura regional, não estão sabendo preservar o meio ambiente em que vivem. Então, com o apoio devido podemos mudar essa situação”, ressaltou a líder comunitária.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Uma longa viagem começa com um único passo

Lao Tsé, filósofo e escritor chinês

Vídeos

Gente pantaneira 01

Mais Vídeos

Eco Debate

FRANCISCO OLIVEIRA

Trabalho informal nos lixões: um risco à vida dos catadores

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio