sexta, 19 de julho de 2019
DIÁRIO DE BORDO IV

Frio, vento forte, esforço descomunal, mas o sol patagônico compensou tudo!

18 JAN 2019 - 11h41Por SÍLVIO ANDRADE (edição)

Nossos aventureiros se superaram na travessia do longo trecho de Bariloche a El Calafate, na Patagônia argentina, completando 13 dias na estrada. O engenheiro civil Dorianey Peres (Dori, 49, e sua esposa, Adriana, 48, saíram de Campo Grande em uma moto Big Trail (BMW), R 1200 GS Adventure, no dia 5 de janeiro, com o objetivo de atravessar o Paraguai, Argentina e Chile em uma viagem de 28 dias e 12 mil quilômetros.

O percurso dos últimos dias foi, talvez, um dos mais desafiadores – mas, igualmente, emocionantes para o casal. A chegada à Patagônia exigiu muito dos pilotos devido ao frio intenso, ventos fortes e um trecho de estrada de cascalho. Mas foi compensador, conforme relata Dori em seus diários de bordo. Chegar em El Calafate, já no extremo Sul argentino, valeu o esforço.

Terra dos Glaciares, El Calafate é a base para se descobrir algumas das paisagens mais impressionantes da Patagônia -- e de todo o nosso continente. A 80 km do Parque Nacional Los Glaciares, a pequena cidade recebe turistas do mundo inteiro, que vão conhecer e se curvar diante do majestoso glaciar Perito Moreno, eleito Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco.


Caminho para El Calafate: frio, vento e sol

De Calafate a Ushuaia, objetivo da viagem dos motociclistas, são 878 km. Ushuaia é a capital da Província da Terra do Fogo. É conhecida como a cidade mais austral do mundo ou do Fim do Mundo. Um destino cada vez mais procurado pelos brasileiros, por ser uma cidade charmosa, com ótima culinária, povo receptivo e uma ótima estrutura turística.

 

Acompanhe o relato de Dori e Adraiana:

Sentir, viver, se superar...

Rumo à Perito Moreno, Argentina. Essa etapa foi decidida em última hora, apesar de fazer parte do roteiro.
O plano inicial seria parar em uma cidade antes, Tecka, 400km, para dormir, e daí seguir à Perito Moreno, mais 450km. Então, decidimos pegar direto... ufa! Seriam mais de 800km direto. Mas, se a 'garupatroa' fechou junto... vamos que vamos!!!

E assim fizemos. Saímos bem cedo de Bariloche, na terça-feira (15), com muito frio e promessa de mais frio a caminho. Promessa cumprida: nas montanhas da região 2°, e a sensação de ????... sei lá quanto. Muito frio mesmo!!.

Novos amigos pela estrada das geleiras

Na primeira parada para abastecer, em região mais baixa, encontramos dois gaúchos, da cidade de Foz do Iguaçu, que também estão à caminho de Ushuaia. Mais duas GS 1200 nas rutas 'Sudamericana'.

Resolvemos seguir juntos até Perito Moreno. Ah! E eles me avisaram que a peça que vai na roda traseira como 'para barro' ou 'corta neve' estava solta... E realmente havia caído um parafuso. Apertei bem os dois que ficaram, e tocamos o berrante para estrada!

Bem... agora o bicho começou a pegar!

A Patagônia começou a mostrar sua força. 

Vento, vento e mais vento!!!

Muito forte! No primeiro momento parece que vai te jogar para fora da pista tamanha a intensidade. A força do vento era tanta que para compensar tínhamos que andar de forma inclinada, em 'contraforça' ao vento. Estávamos rodando inclinados, com sensação de estarmos à 45° (só para ilustração do momento) em relação ao solo. 

Como se não bastasse, ainda vinham rajadas de vento como se fossem golpes de ar... É de dar preocupação! Em contrapartida, o sol patagônico é um espetáculo iluminando a abóboda azulada do céu infinito! Lindo de tudo.

Chegamos à Perito Moreno, enfim.

Chegando a Calafate, depois de exaustiva viagem

Parecia que tínhamos acabado de sair da academia, após treino de musculação... O corpo com a musculatura fatigada, pernas e braços cansados e pescoço dolorido devido ao esforço contra a força do vento. 
Resumindo tudo isso... Foi showwww!! Demais!

Essa é a melhor sensação do motociclista, o cumprimento de uma meta, um roteiro. Fazer parte da natureza sobre duas rodas não tem como explicar. É sentir, é viver, é se superar, é tudo!

Estrada ruim, muita tensão

Após um descanso restaurador, precisamos seguir viajem. Destino... El Calafate - Terra dos Glaciares. 
Saímos do hotel bem cedo para aproveitar a parte da manhã onde os ventos são mais amenos na Patagônia. O sol nos brinda a manhã. O vento parece ainda dormir, cansado do dia anterior. Pista livre, vento leve e frio, sensação de liberdade, estrada vazia, quase sem movimento, exceto pelos guanacos, que cruzavam a pista alvoroçados, assustados e serelepes. Afinal, invadimos seu habitat. O guanaco é um camelídeo nativo da América do Sul, cuja altura varia entre 107 e 122 cm. Pesa cerca de 90 kg, e quando assustado temos que aguardar sua decisão, para que lado vai, e evitar colisão.

Tudo indo certo... Tínhamos que definir o trajeto a segui até El Calafate, após a cidade de Governador Gregore. Continuaríamos na Ruta 40? Fomos informados de 70km de rípio que havia provocado vários acidentes devido ao estado da carretera. Dois motociclistas, um com garupa, nos alertara dia anterior sobre o sofrimento que passaram. Rípio são as estradas muito comuns no sul da Argentina e no Chile. São estradas que é uma mistura de terra com cascalho ou seixos. Os seixos são do tamanho de uma bola de gude até o tamanho de uma laranja. É uma estrada linda, mas por trás dessa beleza se esconde um grande perigo. 

Entrada do Patrimônio Mundial da Humanidade

Na cidade, nos desaconselharam seguir a Ruta 40 devido a esse trecho. Outra opção, seguir a Ruta 27, e entrar na Ruta 288, com aproximadamente 120km de rípio, porém em melhores condições. Nós, muito carregados, pesados, com garupa... de qualquer forma, correríamos riscos! Decidimos, vamos pela Ruta 288. Mais longa, com risco minimizado. Encontramos quatro motociclistas na cidade, que tomaram a mesma decisão. Ufa! Parece que acertamos. Acompanhamos o grupo.

De Calafate a Ushuaia, destino final: 878 km

Daí em diante... aguenta coração! 

Geleiras, um espetáculo!

Enfim, as Geleiras!!! El Calafate compensou todo esforço até aqui, com louvor! Lindo espetáculo da natureza.

Aproveitamos o dia livre com um passeio guiado. Pegamos um transporte sugerido pelos proprietários do hostel, que, por sinal, é maravilhoso, charmoso, quarto amplo e bonito, jardim com rosas exuberantes... fantástico!

Seguimos então para o Parque Nacional Los Glaciares, Perito Moreno. É uma das geleiras mais imponentes e já foi chamada de a "oitava maravilha do mundo", devido à vista que se tem de seu topo. Foi criado em 1937, na província de Santa Cruz, ao sul da Argentina.

Não temos muito a dizer, as imagens tentarão passar nossa emoção, com alegria.

Amanhã (18), seguiremos para nossa última parada, Punta Arenas, antes do destino final, Ushuaia, Fin del Mundo
Vem com a gente!

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Para viajar basta existir

Fernando Pessoa

Vídeos

Rio Negro, Caminho dos Ipês

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Grande Circo Taquari

HEITOR RODRIGUES FREIRE

Significado do Solstício

WWF

Código Florestal: é hora de implementar, não de modificar