quarta, 12 de dezembro de 2018
CORUMBÁ

Estação Natureza realizou exposição sobre o Porto Geral

29 DEZ 2017 - 13h13Por Sílvio Andrade

A exposição “Navegando na História”encerrou a lista de mostras temporárias realizadas em 2017 na Estação Natureza Pantanal, espaço que funciona em um dos prédios históricos de Corumbá (MS). A mostra permanente sobre o Pantanal continua aberta à visitação.

Para quem ainda não conseguiu visitar a exposição temporária montada no espaço da Estação Com o tema “Navegando na História”, a exposição trouxe a memória da área portuária da Capital do Pantanal, onde operou até meados do século passado um dos maiores portos fluviais da América Latina e atualmente carrega essa importância funcionando como dos mais importantes atrativos turísticos do país.

A iniciativa é promovida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Biblioteca Municipal Lobivar de Matos - do Instituto Luiz de Albuquerque (ILA).

Voltada para todos os públicos - adultos e crianças, moradores de Corumbá, Ladário e região da Bolívia, como Puerto Quijarro e Puerto Suarez, além de turistas que visitam a cidade - a exposição apresentou cenários atuais e antigos do porto, mostrando a relevância comercial que ele teve com exportações e importações, e como ele se encontra nos dias atuais, em um cenário cultural e ambiental. Sons, luzes, imagens e vídeos levaram cada visitante ao passado, destacando suas transformações ao longo do tempo.

“Buscamos trazer todas as influências do passado da região para dentro da Estação. Sabemos que muito do que é ensinado sobre a história e cultura da nossa região nas escolas e em outros grupos, acaba sendo mais superficial, e com a exposição decidimos ir além e provocar um interesse maior da população sobre a história da região”, afirma a administradora da Estação Natureza Pantanal, Ivonete Guaragni.

Logo na entrada do local, a antiguidade se destaca com ladrilhos no chão que remetem aos utilizados nos casarios antigos do século XX. Em seguida, os visitantes passam por painéis visuais que contam a história desses casarios e do Rio Paraguai - importantes personagens da época - mostrando também como era a conservação no local. Por último, uma outra sala abriga um ambiente com imagens em vídeo feitas por drones que mostram do alto as mudanças da parte turística, econômica e cultural da cidade.

“O Rio Paraguai, devido ao grande fluxo de embarcações que existia naquela época acabou sofrendo alguns impactos, mas ainda é bastante conservado e se destaca pela beleza e diversidade presentes em seu leito. Trazer essa questão da preservação local é extremamente importante, mesmo em uma mostra que trata de história, pois não tem como falar dessa história e deixar a nossa planície pantaneira  de fora deste contexto. Todos que habitamos na região dependemos no Pantanal. Aqui está tudo conectado, tudo se mistura formando um dos mais belos cenários ecológico e cultural do MS. ”, analisa Ivonete.

A Estação Natureza Pantanal fica localizada na Ladeira José Bonifácio, 150, um dos acessos ao porto, onde se destaca também o conjunto arquitetônico construído no início do século XX. Vale a pena conhecer o espaço lúdico, cuja visitação é aberta

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

“O que ocorreu com as águas cristalinas de Bonito é muito grave. A solução para preservar aquele santuário não é passar uma pomada, é cirúrgico. Ali não é lugar para plantar soja”

Carlos Marun, ministro da secretaria de Governo da Presidência da República

Vídeos

Rally dos Sertões:largada inédita

Mais Vídeos

Eco Debate

CIRO ANTONIO ROSOLEM

O mito da água gasta pelo agronegócio

PAULO STUCCHI

Voluntários, escravos e pobres: os rostos anônimos da Guerra do Paraguai

JAIME VERRUCK

Meio Ambiente: transversalidade, governança e protagonismo