quarta, 12 de dezembro de 2018
SUSTENTABILIDADE

Copagaz investe mais de R$ 5 milhões em ações ambientais

08 JAN 2018 - 17h34Por Redação

A Copagaz, quinta maior distribuidora de GLP (popularmente conhecido como gás de cozinha) do país, apontou redução de 10,3% nas emissões de CO2 nos últimos cinco anos, como mostra o seu Relatório de Sustentabilidade auditado pela BDO Auditores Independentes.

Neste mesmo período, entre 2012 e 2016, houve também o investimento de mais de R$ 5,2 milhões de reais em projetos ambientais.

“É verdade que tivemos um panorama bastante desafiador no Brasil, com um ambiente de negócios desfavorável a todos os setores da economia. Mesmo assim, mantivemos esforços e adotamos medidas assertivas para superar a crise e tornar nossa operação cada vez mais eficiente, segura e sustentável, não apenas sob o ponto de vista financeiro, mas principalmente social e ambientalmente responsável”, declara Ueze Zahran, presidente da Copagaz.

Outro fator positivo foi registrado no período, tendo a Copagaz registrado, em 2016, o aumento do marketshare de 7,8% para8,2% no segmento de distribuição de GLP no Brasil. Isto só comprova que adotar medidas benéficas ao meio ambiente auxilia no desenvolvimento de uma organização.

Como diretriz da companhia, a Copagaz tem como foco dar continuidade aos seus projetos, com acompanhamento constante de todas as áreas para garantir a eficiência de cada uma delas.

Ações ambientais

Durante esse período, a empresa realizou ações contínuas, que geraram resultados positivos à empresa. Conheça cada uma delas:

Redução no consumo de energia elétrica - Nessas cinco décadas de acompanhamento, as 15 unidades de operação da Copagaz apresentaram redução no consumo de energia elétrica. Comparando o ano de 2012 com 2016, houve a redução de 13,23% no uso de energia elétrica nas filiais, sem qualquer alteração no processo produtivo. Além disso, a conscientização dos colaboradores ajudou a empresa a economizar com ações simples, como apagar lâmpadas, desligar equipamentos elétricos e utilizar de maneira racional aparelhos como o ar condicionado.

Redução no consumo de água e reciclagem - Nesse mesmo período, a Copagaz também registrou a redução de 31% do consumo de água em todas as operações, o que representa uma economia de 20.970,30m³, mesmo com as novas expansões e melhorias em sua estrutura operacional, como a construção do gasoduto em Canoas (RS) e da nova filial em Ibirité (MG). Esse resultado se deu graças ao acompanhamento e continuidade nos projetos de conscientização de uso.

Houve também um aumento na quantidade de água reutilizada nas operações, que passou de 4% em 2012, para 36% em 2016. Além disso, ao longo dos cinco anos foi reaproveitado um total de 264,97m³ de água nas cabines de pintura. Seguindo essa mesma diretriz, o Programa Coleta Seletiva, reciclou mais de 1,2 toneladas de resíduos.

Floresta do Futuro - A empresa mantém uma parceria de compensação de COcom a Fundação SOS Mata Atlântica, por meio do Programa Floresta do Futuro, em que o plantio é rastreado e tem acompanhamento contínuo. A cada dez mil folhas impressas pela Copagaz, uma árvore é plantada. Iniciado em 2011, ao todo já foram plantadas 4.162 árvores.

Ações de redução das emissões de gases

Roteirização de caminhões de autotanques - Desde 2012, o projeto de roteirização da frota própria e terceirizada de caminhões autotanques, apresentou a redução de 2% no total de emissões de gases de efeito estufa, o que representa 30 mil toneladas a menos de CO2. Além disso, graças ao novo sistema de roteirização de processo operacional, diminuiu a burocracia interna e agilizou o carregamento do caminhão, o que gerou uma economia de cerca de duas horas diárias a cada colaborador encarregado de fazer as entregas. O novo modelo de controle incrementou em 11,25% o volume de vendas e conseguiu ser mais eficiente sem precisar aumentar o número de veículos, pois permitiu que os clientes recebessem o gás com uma periodicidade definida e no momento desejado.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

“O que ocorreu com as águas cristalinas de Bonito é muito grave. A solução para preservar aquele santuário não é passar uma pomada, é cirúrgico. Ali não é lugar para plantar soja”

Carlos Marun, ministro da secretaria de Governo da Presidência da República

Vídeos

Rally dos Sertões:largada inédita

Mais Vídeos

Eco Debate

CIRO ANTONIO ROSOLEM

O mito da água gasta pelo agronegócio

PAULO STUCCHI

Voluntários, escravos e pobres: os rostos anônimos da Guerra do Paraguai

JAIME VERRUCK

Meio Ambiente: transversalidade, governança e protagonismo