quarta, 12 de dezembro de 2018
NA BORDA

75 mil hectares desmatados na bacia pantaneira, suspeita PMA

19 JAN 2018 - 15h40Por Redação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) identificou a existência de aproximadamente 75 mil hectares na Bacia do Paraguai, que possivelmente tenham sido desmatadas e está intensificando a fiscalização. Desde o início do ano, as ações estão sendo realizadas na região de Jardim, onde já foram confirmadas oito áreas desmatadas.

Com base no cruzamento de dados a partir de imagens de satélite do Núcleo de Geoprocessamento (NUGEO), do Ministério Público Estadual (MPE), foram identificados 594 pontos de possíveis desmatamentos. A partir da confrontação de imagens de satélite captadas em 2013 com as registradas em 2015, foram identificados sinais de modificação na vegetação.

Com base nessa análise de imagens a PMA faz o cruzamento de dados da propriedade e sendo verificado que para aquela propriedade não foi emitida nenhuma autorização de desmate no ponto identificado pelo satélite, equipes da Ambiental vão ao local e, até com o uso de drone, faz a verificação. Em todas as oito propriedades visitadas houve a confirmação da irregularidade, o que levou a autuação dos proprietários.

Multa

A última vistoria foi no dia 18 de janeiro, em uma fazenda a 15 quilômetros de Jardim. No local, foi constatado que o pecuarista suprimiu a vegetação há algum tempo e não possuía autorização ambiental para a atividade. Parte da madeira produto do desmatamento da floresta ainda se encontrava em leiras no local e já havia pastagem no lugar da vegetação. Os policiais mediram a área desmatada ilegalmente com uso de GPS, que apontou 3,2 hectares destruídos. As atividades foram interditadas.

O infrator, de 85 anos, residente em Jardim, foi autuado administrativamente e recebeu multa administrativa de R$ 960,00. Ele também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção. O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

Leia Também

Relatos de viagem

Conte sua aventura aqui!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

“O que ocorreu com as águas cristalinas de Bonito é muito grave. A solução para preservar aquele santuário não é passar uma pomada, é cirúrgico. Ali não é lugar para plantar soja”

Carlos Marun, ministro da secretaria de Governo da Presidência da República

Vídeos

Rally dos Sertões:largada inédita

Mais Vídeos

Eco Debate

CIRO ANTONIO ROSOLEM

O mito da água gasta pelo agronegócio

PAULO STUCCHI

Voluntários, escravos e pobres: os rostos anônimos da Guerra do Paraguai

JAIME VERRUCK

Meio Ambiente: transversalidade, governança e protagonismo