domingo, 19 de maio de 2019
CAVALGADA

Travessia do Pantanal, uma aventura em sete dias

Pacotes oferecem a oportunidade de conviver com a natureza na região mais conservada do bioma

15 MAR 2019 - 06h57Por SÍLVIO DE ANDRADE

Pantanal é o melhor destino para se fazer cavalgadas no Brasil, segundo os amantes desse esporte. Considerado um dos ecossistemas mais ricos e preservados do planeta, o bioma que se estende por Mato Grosso do Sul e Mato Grosso é conhecido por abrigar uma grande concentração de vida selvagem e paisagens magníficas.

Com terreno plano e arenoso, a planície pantaneira se constitui em um excelente ambiente para as cavalgadas, definitivamente a melhor forma de explorar a grande diversidade de habitats do lugar, seja na seca ou cheia de menor intensidade.

A cultura do pantaneiro é baseada na atividade pecuária, fundamental na história e ocupação da região há mais de 200 anos. O cavalo é um dos elementos principais nesse universo. Ao lado do homem e do boi, o cavalo pantaneiro, uma das raças nobre dos equinos, está intimamente ligado com as tradições do povo das águas. 

Turistas na Barra Mansa: pausa na cavalgada para apreciar o pôr-do-sol na Vazante do Castelo

Uma semana no paraíso

A Bravo Expeditions elegeu os melhores locais para montar seus programas e expedições de cavalgada no Pantanal, levando em consideração não apenas a estrutura oferecida, mas também a qualidade de serviços e autenticidade das experiências.

Um dos roteiros preferidos de brasileiros e estrangeiros é a Cavalgada Travessia do Pantanal, que dura seis noites e sete dias na Nhecolândia, a região mais conservada da planície. Um ambiente fantástico a explorar, mas que exige resistência e adrenalina pelo caminho.

A operadora promove desde 2011 pelo menos seis cavalgadas desse nível de desafio por ano – a primeira de 2019 será de 24 a 30 de maio -, para grupos de duas a doze pessoas. A maioria dos visitantes (75%) é de estrangeiros, atraídos também pela alta cotação do dólar.

Uma iniciativa das hotéis-fazendas Barra Mansa e Baía das Pedras, que promovem o ecoturismo na região valorizando a cultura pantaneira. A Barra Mansa foi fundada pelos Rondon numa curva do Rio Negro, em 1940, e hoje é gerenciada pelo cantor e compositor Guilherme Rondon, da quarta geração da tradicional família.

Passeio pelos campos alagados no lombo do cavalo pantaneiro, animal top na linhagem dos equinos

Baía das Pedras foi fundada também por pioneiros no mesmo ano, margeando a Vazante do Castelo. Na mesma região fica localizada outra centenária fazenda, a Rio Negro, onde foi gravada a novela Pantanal, hoje transformada em RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural).

Daniel, o guia pantaneiro

Os passeios à cavalo podem ser feitos no Pantanal praticamente o ano todo. Os pacotes da Bravo Expeditions, com expedições de curto, médio e longo períodos, vêm com uma escala temporal apontando as melhores épocas para viajar e meses inapropriados para cada expedição.

Mesmo com algumas pequenas diferenças regionais ou mesmo de um período para outro, o Pantanal é certamente fascinante para se visitar e cavalgar em qualquer época do ano. Os roteiros exploram as regiões mais remotas e preservadas do ecossistema.

Na Travessia do Pantanal, Daniel Rondon é o guia especializado. Filho de Guilherme Rondon, pertence à quinta geração dos Rondon. Apaixonado por cavalos, Daniel desenvolveu a habilidade de conduzir grupos pelos campos inundados para que os visitantes tenham a oportunidade de experienciar o melhor dos equinos e as paisagens e vida selvagem pantaneira.

Redário na fazenda Refúgio Primavera: acomodações simples, como é a vida do pantaneiro

Na cavalgada de maio, o pacote inclui translado de Campo Grande em voo panorâmico de 50 minutos até a Barra Mansa, no dia 24. O retorno, no dia 30, será em veículo 4x4, partindo da Baía das Pedras, em um safári que o leva a um contato direto com a vida selvagem.

O dia 25 se passa na Barra Mansa, onde os cavaleiros terão a oportunidade de experimentar mais exemplares da raça pantaneira e ficarão surpresos com a qualidade, sensibilidade e controle das montarias. A fazenda e a natureza que a cerca são inspirações de Guilherme Rondon para compor suas músicas.

A saída em direção a Fazenda Primavera, que também integra o roteiro, começa na madrugada do dia 26. Uma manhã inteira de cavalgada pela privilegiada paisagem da Vazante do Castelo. Tarde livre para apreciar o lugar isolado. Pernoite na Primavera, em redes.

No dia 27, cavalgada o dia inteiro, com recepção na Baía das Pedras e um delicioso jantar pantaneiro. Região de rica fauna. Serão dois dias de convívio com a lida do homem pantaneiro e cavalgadas de até 7h de duração, além de passeios alternativos, como focagem noturna.

Informações sobre os pacotes:

www.bravoexpeditions.com

Conheça os hotéis-fazendas:

www.hotelbarramansa.com.br

www.baiadaspedras.com.br

Leia Também

Relatos de viagem

A conquista do Morro do Ernesto

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Aqui no Pantanal, a gente apaga as luzes para acender as estrelas

ALEXANDRE COSTA MARQUES, Pousada Baía Grande, Miranda (MS)

Vídeos

Refúgio Canaã, Bodoquena (MS)

Mais Vídeos

Eco Debate

THOMAZ LIPPARELLI

A lama de Bonito - Por um marco regulatório no processo de restauração

LEIDE TAKAHASHI

A natureza é o melhor remédio

CARLOS ARAKAKI

Zagaia Eco Resort faz parte do Turismo Sustentável