sábado, 25 de janeiro de 2020
AMEAÇA

Simpósio da Embrapa discutirá a preservação das abelhas

29 JUL 2017 - 13h00Por Redação

Fundamentais à manutenção da biodiversidade ambiental e à produção de alimentos, pois exercem função de agentes polinizadores de plantas nativas ou cultivadas, as abelhas estão desaparecendo num ritmo acelerado. Para debater o fenômeno, a Embrapa Meio-Norte está trabalhando para realizar de 3 a 5 de outubro deste ano, em Teresina, o Simpósio sobre Perda de Abelhas no Brasil.

O evento, o primeiro a ser desenvolvido no Nordeste brasileiro, vai discutir as principais causas de perdas de enxames de abelhas sociais, consequências e estratégias para reverter a situação. A programação prevê a participação de pesquisadores de destaque no Brasil e em outros países. 

Efeitos nocivos

É pensamento também da coordenação do simpósio realizar uma oficina para elaboração de propostas de projetos de pesquisa vinculadas ao arranjo Conservação e uso sustentável dos recursos genéticos de abelhas em agroecossistemas e impactos no agronegócio brasileiro.

O pesquisador Bruno Souza lembra que o desaparecimento das abelhas vem preocupando especialistas, organizações governamentais e não governamentais em todo o mundo. Segundo ele, problemas como a perda de enxames têm sido relatados por produtores de mel em todo o País.

As causas mais citadas são: ataque de inimigos naturais; uso indiscriminado de agrotóxicos; mudanças climáticas; desmatamento e fragmentação das matas e florestas.

Colapso de colônias

As abelhas estão entre os principais polinizadores do planeta. Sua extinção pode ameaçar também a sobrevivência do homem. Em algumas partes do mundo, estudiosos do assunto já confirmam a redução de colônias entre 40% e 75%, indício de que todas as espécies estão ameaçadas.

Cientistas classificam o fenômeno da redução dessas populações de desordem de colapso da colônia (colony collapse disorder), significando sérios prejuízos para a biodiversidade, a produção de alimentos e a economia em geral.
Polinizadores, como as abelhas e outros insetos e animais, representam um dos mecanismos essenciais à manutenção e promoção da biodiversidade no planeta, pois é somente após a polinização que as plantas formam frutos e sementes, fontes da sua própria reprodução.

De acordo com pesquisadores, mais de 75% das espécies agricultáveis que alimentam o mundo e muitas das plantas utilizadas pela indústria farmacêutica dependem da polinização para produzir frutos e sementes. Além disso, a manutenção da diversidade de polinizadores contribui para a manutenção da diversidade de alimentos e a qualidade de vida, em todos os seus estágios.

Leia Também

Relatos de viagem

Enfim, no marco zero da Ruta 40. Missão cumprida, uma façanha!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza

Paulo Guedes, ministro da Economia

Vídeos

Jornada das Tartarugas

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio

MARCIA HORITA

Atentos e mobilizados na defesa da Mata Atlântica