quinta, 23 de janeiro de 2020
NEGÓCIOS

Espaço público, Rubens Gil sedia 200 eventos ao ano

20 OUT 2017 - 18h05Por Sílvio Andrade/redação

Desde sua inauguração, o Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, situadono Parque dos Poderes, em Campo Grande, recebeu inúmeros eventos de negócios, shows, espetáculos, congressos, simpósios e palestras com especialistas de renome nacional e internacional.

Há 23 anos, um importante equipamento para a indústria do turismo e consequentemente para o crescimento da economia, sediando, anualmente, cerca de 200 eventos. O espaço contribuiu para que Mato Grosso do Sul tornasse um centro de negócios e eventos, tornando a Capital um dos principais polos de captação.

Criado em 24 de maio de 1.994 (decreto nº7.804), o Centro de Convenções é administrado pela Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur), órgão oficial do turismo do Estado vinculado à secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

Está localizado em uma das maiores reservas ecológica e urbana do Centro-Oeste, o complexo do Parque dos Poderes. Num mosaico de belezas naturais, onde estão reunidos o Executivo, Legislativo e Judiciário de Mato Grosso do Sul, convida os visitantes a contemplar as cores e as belezas do lugar.

Estrutura

O espaço é dotado de quatro auditórios, com capacidade total de 1.485 lugares, uma área de 1.726 m² para exposições, eventos e feiras, além de restaurante, lanchonete, sala VIP, sala de imprensa e ambulatório para emergências médicas. Possui infraestrutura adequada para a realização de convenções, congressos, shows, palestras, treinamentos e apresentações culturais.

O auditório principal, Manoel de Barros, com capacidade para 1.045 lugares, é na verdade um anfiteatro dotado de poltronas anatômicas, palco de 23 metros com dois acessos laterais e com 12 metros de profundidade, vara de iluminação fixa, telão para projeção, quatro cabines para tradução simultânea, sala de aquecimento, seis camarins, sendo quatro individuais.

O Centro de Convenções conta ainda com outros três auditórios independentes, com capacidade para realização de eventos diferentes simultaneamente ou interconectados através de transmissão simultânea por telão, sendo eles: Auditório Germano Barros de Souza, com 196 lugares; Auditório Pedro de Medeiros, com 135 lugares e Auditório Tertuliano Amarilha, com 109 lugares.

Eventos e negócios

Mato Grosso do Sul é conhecido mundialmente por suas belezas naturais e os mais belos cartões postais do Brasil, impressiona brasileiros e estrangeiros por suas peculiaridades. Reconhecido pelo turismo de natureza e aventura, o Estado tem despontado no cenário nacional como um importante destino para turismo de eventos e negócios.

Sua localização geográfica contribui para seu desenvolvimento econômico, progresso produtivo e empreendedor. É vizinho de grandes centros produtores e consumidores do país, como Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Paraná e Mato Grosso, além das fronteiras com os países sul-americanos, a Bolívia e Paraguai. O que colabora para que Mato Grosso do Sul seja um importante centro de negócios e eventos.

De acordo com dados do Ministério do Turismo, o segmento de negócios é o segundo maior fator de atração de visitantes estrangeiros para o Brasil. Estima-se que aproximadamente 25,3% dos turistas que procuram o país são motivados por negócios. No país, esse segmento turístico é responsável por 4,3% do Produtor Interno Bruto (PIB).

Gira a economia

Em Campo Grande, o segmento também é o segundo maior fator de atração de visitantes, segundo dados do Observatório de Cultura e Turismo da secretaria municipal de Cultura e Turismo (Sectur).

Para a presidente do Campo Grande Destination – que tem por objetivo captar eventos e fomentar negócios para a cidade – Melissa Tamaciro, o trabalho voltado ao turismo de evento e negócios representa um fator de geração de renda não somente para o município em questão, mas para toda a região em que ele está inserido.

“De um lado temos esse turista impactando diretamente no crescimento econômico local e, do outro, inúmeras empresas de micro, pequeno e grande portes gerando emprego e renda de maneira mais distribuída e ramificada na cidade”, ressalta.

Leia Também

Relatos de viagem

Enfim, no marco zero da Ruta 40. Missão cumprida, uma façanha!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza

Paulo Guedes, ministro da Economia

Vídeos

Jornada das Tartarugas

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio

MARCIA HORITA

Atentos e mobilizados na defesa da Mata Atlântica