terça, 21 de janeiro de 2020
CAPITAL

Córrego Prosa terá represa para controle de enchentes

13 JUL 2017 - 21h50Por Redação

Parceria da prefeitura de Campo Grande com o Shopping Campo Grande garantirá a construção, ainda neste mês, de uma barragem no Córrego Prosa, dentro da Praça das Águas, localizada nos altos da Avenida Afonso Pena.

A represa terá capacidade de reter mais de 22 milhões de litros (22.515.26 metros cúbicos) e integra o conjunto de obras recomendadas no plano diretor de drenagem para controle de enchentes na Bacia do Prosa.

O plano, elaborado em 2008, prevê a retenção, ao longo da bacia, de 205 mil milhões de litros em várias barragens. Esta obra na Praça das Águas vai aumentar em 22% a atual capacidade de retenção na Bacia do Prosa, que é de 98 milhões de litros, distribuídas em cinco barragens construídas no Sóter (afluente do Prosa).

A obra deve ser executada em um ano e está orçada em R$ 800 mil. Ela será custeada integralmente pela empresa proprietária do Shopping Campo Grande, que no dia 21 de janeiro assinou um termo de compromisso com a prefeitura.

Represa

Um estudo desenvolvido pela prefeitura em toda a área do shopping, abrangendo também um terreno vizinho, na esquina da Afonso Pena com a Rua Ceará, definiu a necessidade da construção de uma represa para reter seis milhões de litros de água, diante do impacto dos empreendimentos.

Se a represa fosse construída no próprio terreno, reduziria a  área de edificação, diminuindo em consequência o potencial de retorno do investimento. Houve, então, uma negociação na qual a prefeitura cede a área pública na Praça das Águas, onde está planejada a represa, e em contrapartida a empresa vai executar uma represa maior, com quase quatro vezes a capacidade de retenção que seria obrigada a construir.

Projeto

A represa de retenção que será construída na Praça das Águas terá seis metros de altura, com 302 metros de largura, e a água se espalhando (a chamada de espelho) por 9.489,69 metros quadrados.  A configuração do projeto não prevê a formação de um lago artificial porque a represa vai se esvaziar tão logo pare de chover.

O retardamento do escoamento da chuva que vem das cabeceiras vai contribuir para minimizar os efeitos do  transbordamento do córrego mais à frente, principalmente na região do cruzamento da Avenida Ricardo Brandão com a Rua Bahia, impactada pelo Córrego Vendas (afluente do Prosa).

Leia Também

Relatos de viagem

Enfim, no marco zero da Ruta 40. Missão cumprida, uma façanha!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

Se você acha a aventura perigosa, tente a rotina, é mortal

Paulo Coelho, jornalista, escritor

Vídeos

Jornada das Tartarugas

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio

MARCIA HORITA

Atentos e mobilizados na defesa da Mata Atlântica