sábado, 25 de janeiro de 2020
MANTER PADRÃO

Comtur quer modernizar o turismo ambiental em Bonito

16 AGO 2017 - 18h38Por Redação

O Conselho Municipal de Turismo de Bonito (Comtur), composto por representantes de diversos segmentos ligados às atividades turísticas do município, abriu uma série de debates tendo como tema "A Modernização do Sistema Operacional Turístico ambiental".

O Comtur tem como missão fomentar e normatizar a atividade turística local de forma integrada e sustentável, visando o desenvolvimento econômico e social de toda a comunidade, através da excelência na qualidade dos serviços.

De acordo com o presidente do conselho, Cícero Peralta, a primeira reunião teve caráter histórico por representar uma "retomada" na determinação da entidade em reorganizar do turismo local, que se encontra estagnado, colocando-o dentro de patamares atuais, mais desenvolvidos.

"Após mais de 20 anos de estrada, o turismo de Bonito precisa parar para refletir. Precisamos localizar e resolver os nossos erros e os nossos problemas, incorporando novas práticas capazes de melhorar efetivamente a qualidade dos serviços oferecidos no setor", afirmou.

Recadastramento

A pauta central, que será mantida para as demais reuniões previstas para o ano, é relativa às questões consideradas estruturais, aquelas capazes de promover mudanças qualitativas de curto, médio e longo prazo no funcionamento geral do turismo no município.

Dentro desse objetivo serão convidados, para cada reunião, representantes de diferentes setores do turismo local. O primeiro encontro reuniu os guias de turismo e monitores ambientais e o próximo segmento a ser convidado, de acordo com o presidente, será o de profissionais de marketing.

Entre os problemas e sugestões apresentados pelo presidente da AGTB (Associação de Guias de Turismo de Bonito) e conselheiro, Pedro Hardt de Araújo, está a necessidade de debater a prestação de serviços dos guias locais no Parque Nacional da Serra da Bodoquena; a falta de preparo de pessoas que comercializam os passeios em agências turísticas; a necessidade do recadastramento dos guias de turismo; a possibilidade do próprio guia negociar a sua remuneração e também a padronização do sistema de pagamento, com a possibilidade da inclusão do voucher no sistema bancário.

Resgatar a excelência

Outros pontos abordados dizem respeito à necessidade da realização de cursos para os monitores ambientais (que na verdade atuam como guia em determinadas atividades); a revogação da portaria que proíbe o guia de tirar e comercializar fotos na Gruta do Lago Azul e também a padronização do tempo de ausência máximo para que o guia possa voltar a trabalhar em determinado atrativo.

De acordo com o conselheiro e secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio (Sectur), Augusto Mariano, existe efetivamente a necessidade de recadastramento dos guias, bem como a de cadastrar os monitores (não existe cadastro de monitores) e qualificá-los, o que será feito pela Sectur. Nesse sentido, ressaltou que o prefeito incumbiu à secretaria e ao Comtur a missão de resgatar a excelência do turismo no município, delegando-lhes para isso a autonomia necessária.

"Apesar dos problemas que temos ainda somos referência nacional para o ecoturismo e constantemente recebemos observadores e missões oficiais de municípios e estados, que querem aprender com a prática que temos", afirmou Augusto, ressaltando que o maior prejuízo decorre da prática de "burlar o sistema".

Leia Também

Relatos de viagem

Enfim, no marco zero da Ruta 40. Missão cumprida, uma façanha!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza

Paulo Guedes, ministro da Economia

Vídeos

Jornada das Tartarugas

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio

MARCIA HORITA

Atentos e mobilizados na defesa da Mata Atlântica