quinta, 23 de janeiro de 2020
TAILÂNDIA

10 Lugares incríveis para viver Chiang Mai intensamente

07 OUT 2017 - 06h00Por Cinthia Monaco

A Tailândia é um daqueles lugares que tem atrações por todos os cantos do país e quem tiver mais de 10 dias para viajar, sugiro incluir o Norte no roteiro. A base mais comum, prática e apaixonante é sem dúvida Chiang Mai, a segunda maior cidade tailandesa que tem cara de interior, os preços mais em conta e os moradores mais simpáticos.

Para aproveitá-la intensamente, deixo como sugestões as 10 experiências em Chiang Mai que mais me encantaram nos quatro dias que fiquei na cidade:

1 – Wat Chedi Luang

É o principal templo dentro da cidade murada/centro histórico. Possui uma ruína impressionante no seu interior e cedia vários eventos budistas durante o ano.

Visitei esse templo no Dia do Monge e pude participar de uma festa onde os monges distribuem de graça todo tipo de comida salgada, doce e bebida para a população, em agradecimento ao resto do ano, em que eles são alimentados pelos moradores. Foi uma experiência riquíssima. Entrada: 40 bath.

2 – Wat Phra Singh

É um dos templos mais importantes em Chiang Maie fica no final da Rachadamnoen, rua principal da cidade. De fácil acesso é ótima opção para descansar num lugar de paz e observar o vai e vem dos moradores que vão até o templo principal fazer suas orações.

Entrada: 20 bath para o templo principal. O restante é gratuito.

Wat Chedi Luang

3 – Wat Srisuphan ou Tempo Prata

Esse é um dos templos pouco conhecidos pelos turistas, mas que vale a vista por ostentar o título de único Templo Prata da Tailândia. A construção é muito bonita por fora, mas como não é permitida a entrada de mulheres no interior, não sei dizer sobre o altar.

De todos os lugares que visitei, esse foi o único que ainda não se modernizou e proíbe a entrada de mulheres. Entrada: grátis.

4 – Wat Phra Doi Suthep

Esse é o principal, mais famoso e lotado templo de Chiang Mai.

Fica distante 15km do centro da cidade, mas é fácil encontrar taxis vermelhos que cobram 600 bath por carro para levar até o templo. Se quiser economizar, saia pelo portão norte da muralha, atravesse a ponte e encontrará alguns taxis coletivos que cobram 100 bath por pessoa mas esperam juntar 10 para partir. As vezes pode demorar um pouco.

Logo de início são 300 degraus para chegar ao templo, que reserva lindas construções e uma vista panorâmica da cidade. Entrada: 30 bath.

6 – Feira Noturna de Rachadamnoen

Esta sim é a aposta tradicional para quem estiver em Chiang Mai num domingo à noite. Fica na rua principal de mesmo nome e possui barracas de comida, souvenirs e roupas bem baratas.

7 – Elephant Nature Park

O que não falta na Tailândia, principalmente no Norte, são locais de interação com elefantes. Quase todos condenáveis, onde a exploração a exaustão do animal para diversão de turistas é repugnante.

Após muito pesquisar, encontrei o Elephant Nature Park, que é um santuário para recuperação de animais resgatados de cativeiros e circos. Lá você passa um dia aprendendo mais sobre eles e ajudando a cuidar, dar comida e banho. Nada de andar em cima ou uso recreativo dos elefantes.

O valor do passeio é salgado, mas revertido para a manutenção do santuário. Recebe poucas pessoas por dia, portanto é necessário reservar pelo site com mais de um mês de antecedência.

Site: http://www.elephantnaturepark.org

Valor: 2500 bath com transfer ida/volta e almoço.

8 – Massagem tailandesa

Você vai ver casas de massagens em todos os lugares da Tailândia, mas em Chiang Mai estão os melhores centros, as clinicas mais bem equipadas e os menores preços.

Recomendo a rede chamada Lily Massage, com vários pontos espalhados pelo centro e a Women’s Massage Center by ex-prisioners, considerada a melhor casa do ramo. As detentas de crimes leves aprendem o oficio na prisão e quando são soltas trabalham nessa casa que oferece o melhor custo benefício da cidade.

9 – Bate e volta a Chiang Rai (Templo Branco)

Elephant Nature Park

Outra cidade que vale a pena no Norte é Chiang Rai, que fica a 3hr de Chiang Mai e é famosa principalmente pelo inusitado e moderno Templo Branco.

Como estava com pouco tempo e passagem comprada para o Sul, fechei um tour bate e volta de dia todo que inclui o Templo Branco, visita a tribo das mulheres girafas e passeio pela tríplice fronteira entre Tailândia, Laos e Myanmar.

Para ser sincera o passeio é péssimo. Você fica o tempo todo dentro do ônibus, tem apenas 20min para conhecer o Templo Branco que merece muito mais, as tais mulheres girafas são um programão pega turista bastante controverso e a tríplice fronteira não tem nada demais.

Se possível inclua uma noite em Chiang Rai, e se não tiver tempo, vale um bate e volta, mas foque apena no Templo Branco, que é realmente imperdível e alguns outros se desejar. Quase sempre menos, é mais.

10 – Invista em um hotel

Chiang Mai é a cidade mais barata da Tailândia para comer e se hospedar, portanto é o lugar certo para investir em um hotel melhor e desacelerar durante um mochilão. Por preço de hostel no Brasil você consegue um hotel 4 estrelas.

Me hospedei no Tadkham Village que é uma graça, bem localizado, atendimento atencioso e café da manhã ótimo para os padrões tailandeses por menos de R$ 100,00 a diária em quarto duplo.

Chiang Mai foi minha cidade queridinha na Tailândia. A vontade era ficar mais dias por lá, para aproveitar os templos tranquilos, os ótimos restaurantes baratos, as massagens relaxantes e a atmosfera descontraída.

Recomendo quatro dias para as 10 sugestões que deixo aqui, mas com certeza deixei muita atração de fora…

Cinthia Monaco é formada em Educação Física e viajante viciada assumida. Sempre que possível cai na estrada com uma mochila na costa, curtindo um bom livro e buscando novos destinos, culturas, trilhas, paisagens e esportes na natureza. Ajudar a viajar é um prazer... acompanhe suas andanças também pelo Instagram: @ci_mochileira

Artigo publicado originalmente em www.trilhaseaventuras.com.br

Leia Também

Relatos de viagem

Enfim, no marco zero da Ruta 40. Missão cumprida, uma façanha!

Mais Relatos de Viagem

Megafone

O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza

Paulo Guedes, ministro da Economia

Vídeos

Jornada das Tartarugas

Mais Vídeos

Eco Debate

MANOEL MARTINS DE ALMEIDA

Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs

HEITOR FREIRE

O Poder do Silêncio

MARCIA HORITA

Atentos e mobilizados na defesa da Mata Atlântica